AGRO & NEGÓCIO

Curso promove formação sobre cultivo de espécies florestais nativas

Publicados

em


A Embrapa Clima Temperado (Pelotas, RS), com apoio do CNPq, Afubra e Fapeg, promove curso on-line sobre Produção de Sementes e Mudas de Espécies Florestais Nativas e Viveiros Artesanais. Ao todo, serão quatro módulos, nos dias 6, 8, 13 e 15 de abril. As lives ocorrerão das 15h às 18h, no canal da Embrapa no YouTube.

O objetivo é promover a formação de agentes multiplicadores, de maneira a contribuir com a restauração ecológica, com o uso sustentável dos recursos naturais, com a formação de sistemas de produção sustentáveis e com o redesenho dos agroecossistemas. Os quatro módulos abordarão, respectivamente, Coleta e manejo de sementes florestais; Viveiros; Produção de mudas para sistemas agroalimentares sustentáveis; e Legalização de coleta de sementes e produção de mudas nativas

O curso é voltado a agricultores, comunidades indígenas e quilombolas, técnicos de Ater, representantes de instituições de ensino e pesquisa, além de parceiros. Irão receber certificado os primeiros 200 inscritos. Os demais poderão acompanhar as atividades gratuitamente, acessando diretamente os links das lives nos dias e horários agendados.

Além da articulação com as instituições apoiadoras, o curso é resultado de uma rede de projetos de pesquisa da Embrapa. São eles: RestauraSul, Nexo Pampa, SafLegal, Cortinamento, InovaSocial Sementes Agroecológicas Sul, Auera, Aptas e Agroecologia e Produção Orgânica.

Programação

MÓDULO I – Coleta e manejo de sementes de espécies florestais
Moderador: Ernestino de Souza Gomes Guarino

  • 15h10 – 15h45h – Quero coletar sementes florestais: o que devo fazer? Por onde começar?
    Bárbara Pacheco – VerdeNovo Sementes

  • 15h45 – 16h20 – Tipos de dormência e tratamentos pré-germinativos de sementes
    Élbio Treicha Cardoso – Embrapa Clima Temperado

  • 16h20 – 16h55 – Tipos de frutos e beneficiamento de sementes de espécies florestais
    Gustavo Crizel Gomes – Projeto Flora Pelotensis

  • 16h55 – 17h30 – Guardiões de sementes e melhoramento participativo: conceitos e princípios
    Gilberto Antônio Peripolli Bevilaqua e Irajá Ferreira Antunes – Embrapa Clima Temperado

  • 17h30 – 18h – Perguntas

MÓDULO II – Viveiros
Moderador: Adalberto Koiti Miura

  • 15h – 16h – Planejamento e instalação de viveiros para a produção de mudas
    Juarez Pedroso Filho – Viveiro Agroflorestal da Afubra

  • 16h – 16h30 – Experiências na instalação de viveiros artesanais
    Adalberto Kioti Miura

  • 16h30 – 17h30 – Intercâmbio de experiências em educação ambiental visando à instalação e produção de mudas em viveiros artesanais
    Carlos Uhry Reis – Associação Regional de Educação, Desenvolvimento e Pesquisa – Arede, Günter Timm Beskow – Centro de Educação Ambiental da Mata Atlântica – Ceama e MPA

  • 17h30 – 18h – Perguntas

MÓDULO III – Produção de mudas de espécies florestais
Moderador: Gustavo Crizel Gomes

  • 15h – 15h50 – Produção de mudas de espécies florestais
    César Oneide Sartori – Universidade Regional do Noroeste do estado do Rio Grande do Sul – Unijuí

  • 15h50 – 16h40 – Produção de insumos básicos para produção de mudas
    Gustavo Schiedeck – Embrapa Clima Temperado

  • 16h40 – 17h30 – Propagação vegetativa de espécies florestais
    Juarez Pedroso Filho – Viveiro Agroflorestal Afubra

  • 17h30 – 18h – Perguntas

MÓDULO IV: Aspectos legais da coleta de sementes, produção de mudas, comercialização e rede de sementes
 Moderadora: Letícia Penno de Sousa

  • 15h – 15h35 – Aspectos legais da coleta de sementes e da produção e comercialização de mudas
    Francisco S. N. da Gama (Superintendência Federal de Agricultura (SFA) – Mapa/RS

  • 15h35 – 16h20 – Legislação e procedimentos administrativos estaduais para a coleta de sementes e a produção de mudas
    Vanessa Nataline Tomazeli – Divisão de Licenciamento Florestal (DLF) – Sema/RS

  • 16h20 – 17h30 – Rede de Sementes: Relatos de Experiências
    Eduardo Malta – Rede de Sementes do Xingu, Camila Motta – Rede de Sementes do Cerrado e Bárbara Pacheco – VerdeNovo Sementes

  • 17h30 – 18h – Perguntas

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
Propaganda

AGRO & NEGÓCIO

Embrapa Solos tem nova chefe geral

Publicados

em


A pesquisadora Maria de Lourdes Mendonça Santos Brefin será a nova chefe da Embrapa Solos (Rio de Janeiro-RJ), a partir do dia 1º de junho de 2021. Ela sucederá a também pesquisadora Petula Ponciano, que ocupou o cargo desde outubro de 2019.

Nascida no Maranhão, ingressou na Empresa em 1990 na própria Embrapa Solos. Ao longo de 31 anos, Maria de Lourdes adquiriu vasta experiência na área da pesquisa liderando diversos projetos nacionais e internacionais de pesquisa. Foi chefe-geral da Embrapa Solos, por dois mandatos, no período de 2009 a 2014. Foi supervisora de Inovação Tecnológica, coordenou o Núcleo de Apoio a Projetos (NAP) e fez parte do Comitê Técnico Interno (CTI) e do Comitê Local de Publicação (CLP). 

Maria de Lourdes Mendonça Santos Brefin é graduada em Agronomia pela Universidade Estadual do Maranhão (1986), mestre em Ciências do Solo pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1990), mestre em Ciências Ambientais pela École Polytechnique Fédérale de Lausanne, na Suíça (1995), e doutora em Ciências, Pedologia e Geomática pela mesma instituição (1999). Possui pós-doutorado em Mapeamento Digital de Solos pela The Sydney University, na Austrália.

Sempre desenvolveu pesquisas na área de Solos em interface com Geomática, especialmente nas áreas de Pedologia Quantitativa e Modelagem Solo-Paisagem por meio de Mapeamento Digital de Solos. Tem atuado fortemente no âmbito internacional, participando e formando redes de pesquisa. É membro da Sociedade Brasileira de Ciência do Solo e também do Intergovernamental Technical Panel on Soil (ITPS), da Aliança Mundial para o Solo (AMS) da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

“Minha trajetória de vida, formação e experiência como pesquisadora e como líder de PD&I nacionais e internacionais, assim como a ampla experiência em gestão institucional adquirida como chefe-geral do Centro Nacional de Pesquisa em Solos (Embrapa Solos), de 2009 a 2014, aliados à experiência em articulação que venho exercendo ao longo de minha carreira, representando a Embrapa, o Brasil e a América Latina e Caribe, além de minha recente gestão como chefe-geral da Embrapa Cocais, contribuindo para a consolidação dessa nova Unidade, me trouxeram até aqui, de volta à cellula mater, a Embrapa Solos, de cuja história faço parte desde meu ingresso na Embrapa em 1990. Esses desafios múltiplos de gestão e liderança, ajudaram a consolidar minha experiência nestes 31 anos de Embrapa, fazendo-me crer que eu possa mais uma vez contribuir, de forma agregadora e inovadora, para o fortalecimento da Embrapa Solos em seu papel preponderante frente aos desafios científicos globais e aos objetivos estratégicos e metas definidos no VII PDE”, disse Lourdes Mendonça.

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana