mato grosso

Cultivo de banana da terra em sistema adensado pode obter aumento de até 75% na produtividade

Publicado


.

No município de Acorizal (62 km ao Norte de Cuiabá), foi implantada uma Unidade de Referência Tecnológica (URT) para avaliar o desenvolvimento da cultura da banana da terra. A cultivar analisada foi a Farta Velhaco, no sistema irrigado e plantio adensado. O experimento foi montado na Comunidade Guanandi, no Sítio Cantinho do Céu, do produtor rural Ernesto Teobaldo de Assis Filho (56), em uma área de meio hectare (cinco mil metros quadrados). A previsão é colher 7 mil quilos de banana da terra, que serão comercializados na região, podendo gerar uma renda de até R$ 22.750.

A Unidade é mantida pelo agricultor Pedro Paulo Teobaldo Ribeiro, de 17 anos, que trabalha com seu pai, Ernesto. Pedro explica que em uma área de 14 hectares eles possuem plantio de limão, quiabo, melancia, milho e criação de gado de corte. Em abril de 2019 implantaram a URT com o auxílio técnico da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) e apoio financeiro da Cooperativa de Crédito Sicredi.

Conforme Pedro, o custo de implantação da Unidade foi de R$ 2.500, com aquisição de mudas, adubo e calcário. A mão-de-obra é realizada pelos agricultores, que esperam ter um lucro líquido de R$ 17.500 com a venda da banana da terra. A colheita já começou, e foram comercializadas 50 caixas de 20 quilos por R$ 65,00 a caixa, dando um retorno de R$ 3.250. A previsão é comercializar 350 caixas até o mês de julho.

Leia mais:  Procon-MT suspende atividades temporariamente

A previsão é comercializar 350 caixas de banana da terra até o mês de julho.

O técnico agropecuário da Empaer, Carlos Reis, explica que o agricultor Pedro buscou informações sobre o plantio adensado no site da Empaer e consultou os técnicos da empresa sobre a viabilidade da implantação do sistema em sua propriedade. A diferença do sistema convencional é o espaçamento entre as plantas. Enquanto o convencional utiliza o cultivo com três metros de espaçamento e 1.111 plantas por hectare, o adensado usa o espaçamento de dois metros e 2.400 plantas por hectare. “O cultivo possibilita a mesma quantidade de planta na metade de uma área. Em um hectare seria usado 1.100 mudas”, explica.

Carlos comenta que se fosse optado pelo sistema convencional, o plantio seria de até 550 mudas de banana numa área de meio hectare, alcançando uma produção de no máximo quatro mil quilos. Na mesma área foi plantado o dobro de mudas e a previsão é colher sete mil quilos. Os dados são parciais, a colheita está sendo realizada e a expectativa de ganho com esse sistema de plantio adensado prevê um aumento de R$ 9.750, ou seja, de 75% em comparação com o convencional.

Leia mais:  Conheça as opções de atendimento ao público da Procuradoria Geral do Estado

No sistema de plantio adensado são retirados os perfilhos (filha e neta) da bananeira, ou seja, após o fim do ciclo produtivo se faz o corte das plantas e um replantio. Todo o plantio é irrigado por gravidade e gotejamento, sendo utilizados cerca de 10 mil litros de água por dia. “Uma das nossas missões também é auxiliar os agricultores no uso de defensivos agrícolas. Nesse plantio de banana não foi utilizado nenhum tipo de defensivo químico, só usaremos em último caso”, destaca.

O sistema de plantio adensado usa o espaçamento de dois metros e 2.400 plantas por hectare.

O pesquisador da Empaer, Humberto Marcílio, fala que a recomendação do plantio adensado para a agricultura familiar é uma estratégia para aumentar a produtividade, além de melhorar o aproveitamento da mão-de-obra e de insumos, e reduzir custos com controle de plantas invasoras.

Segundo Marcílio, para a utilização do plantio adensado é necessário que as condições do solo sejam favoráveis (textura mista, profundo, bom teor de matéria orgânica e bem drenado) e que sejam aplicadas práticas culturais de correção do solo e adubação. Ele destaca que é importante seguir as recomendações para a cultura e viabilizar a instalação de sistema de irrigação. “O adensamento promove maior competição entre as plantas por fatores de crescimento, como água, luz e nutrientes”, adverte.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

mato grosso

Sexta-feira (05): Mato Grosso registra 3.568 casos confirmados e 91 óbitos por Covid-19

Publicado


.

Em Boletim divulgado nesta sexta-feira (05.06), a Secretaria de Estado de Saúde atualiza para 3.568 o número de casos confirmados de coronavírus em Mato Grosso, sendo registrados 91 óbitos em decorrência do vírus. As sete mortes mais recentes envolveram residentes de Cuiabá, Várzea Grande, Pontes e Lacerda e Sinop.

Dentre os 20 municípios com maior número de casos de Covid-19, estão: Cuiabá (1.037), Várzea Grande (346), Rondonópolis (274), Primavera do Leste (161), Tangará da Serra (152), Sorriso (134), Confresa (130), Lucas do Rio Verde (99), Barra do Garças (91), Sinop (91), Campo Verde (70), Pontes e Lacerda (61), Nova Mutum (51), Jaciara (48), Rosário Oeste (45), Alta Floresta (38), Cáceres (37), Peixoto de Azevedo (33), Sapezal (32) e Tapurah (31). 

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada no Boletim anexado ao final desta matéria.

Mudança

A partir do boletim desta sexta-feira (05), a SES passou a considerar e divulgar os dados relativos às internações de casos suspeitos de coronavírus em todo o estado.

Com o crescimento do número de hospitalizações de casos suspeitos para Covid-19, as taxas de ocupação hospitalar também registram aumento; hoje, a taxa é de 37,6% para leitos de UTI e 11,3% para enfermarias da Rede SUS de Mato Grosso. Os percentuais servem de parâmetro para a tomada de decisão que ocorre em âmbito municipal.

O Governo de Mato Grosso publicou decretos que orientam os municípios a como agir frente ao isolamento e distanciamento social de maneira geral, incluindo comércios e indústrias. As medidas orientativas estão nos Decretos Nº 462 DE 22/04/2020 e Nº 467 DE 30/04/2020, disponíveis neste link: http://www.saude.mt.gov.br/informe/581. 

Leia mais:  Procon-MT suspende atividades temporariamente

Novos casos

Nas últimas 24 horas, surgiram 205 novas confirmações em Alto Boa Vista (1), Araputanga (2), Aripuanã (6), Barra do Garças (4), Cáceres (1), Campo Verde (7), Campos de Júlio (3), Chapada dos Guimarães (1), Colíder (1), Comodoro (1), Confresa (4), Cuiabá (62), Diamantino (1), Guarantã do Norte (10),  Guiratinga (1), Itiquira (3), Jaciara (3), Juara (2), Juína (2), Lambari D’Oeste (1), Matupá (7), Mirassol D’Oeste (2), Nossa Senhora do Livramento (1), Nova Santa Helena (1), Novo Santo Antônio (3), Paranatinga (2), Pedra Preta (2), Pontal do Araguaia (1), Porto Esperidião (1), Primavera do Leste (8), Rondonópolis (21), Santa Carmem (1), São José dos Quatro Marcos (6), Sapezal (1), Sinop (8), Tapurah (1), Várzea Grande (22), Vera (1) e municípios de outros Estados (3). 

Dos 3.568 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 2.100 estão em isolamento domiciliar e 1.145 estão recuperados. Há ainda 232 pacientes hospitalizados, sendo 114 em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 118 em enfermaria. 

Contudo, a SES aponta que há 26 casos suspeitos em enfermaria e 28 em UTI – números que se somam aos confirmados e resultam na taxa de ocupação. 

No boletim, a SES também divulga que a rede do Sistema Único de Saúde (SUS) dispõe, atualmente, de 161 leitos de UTI e 724 leitos de enfermaria especificamente para pacientes com coronavírus no Estado.

Leia mais:  Atendentes do Ciosp recebem treinamento para fazer triagem de denúncias de queimadas

O documento ainda aponta que um total de 8.759 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 423 amostras em análise laboratorial.

Os pacientes são devidamente acompanhados pelas equipes de Vigilância Epidemiológica do Estado e dos municípios. Mais informações estão detalhadas na Nota Informativa divulgada diariamente pela SES.

Recomendações

Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca do novo coronavírus. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:
– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;
– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
– Evitar contato próximo com pessoas doentes. Ficar em casa quando estiver doente;
– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana