EDUCAÇÃO

Cuiabanas participam de simulações estudantis da ONU

O projeto tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento acadêmico e o senso de empatia dos estudantes ao mostrar como problemas de outros países podem afetar, direta ou indiretamente, toda a sociedade.

Publicados

em

Por Hernandes Cruz

Duas estudantes do Colégio Salesiano São Gonçalo participam este ano da 15ª edição do PoliONU, uma das maiores simulações estudantis da Organização das Nações Unidas na América Latina e reconhecido pela UNESCO. O evento reúne entre os dias 11 e 13 de junho mais de 300 estudantes de cinco estados brasileiros: São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso, Bahia e Alagoas.

Excepcionalmente em 2020, o encontro, por conta da pandemia do novo coronavírus, exigiu que o debate fosse conduzido virtualmente. Com o desejo de cursar medicina, a aluna Samanta Ziliani, de 16 anos é uma das representantes e diz se sentir imensamente satisfeita em representar Mato Grosso e o Salesiano São Gonçalo no evento. “Essas experiências com simulações contribuem tanto para a vida pessoal quanto para a profissional. Nos faz enxergar que fora do nosso ciclo cotidiano, existe um mundo com diversos acontecimentos extremamente importantes que devem ser pensados e levados em consideração, diz ela.

Com duração de aproximadamente seis horas diárias, o projeto tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento acadêmico e do senso de empatia dos estudantes ao mostrar como problemas de outros países podem afetar, direta ou indiretamente, toda a sociedade. “Criamos uma outra visão de mundo fora dos nossos paradigmas e enxergando os acontecimentos mundiais com muito mais relevância”, completa Samanta.

Para representar Mato Grosso, os estudantes participam de uma preparação quinzenal, dentro do Salesiano São Gonçalo, com o professor de geografia Eder Dourado. “Fazemos uma formação contínua, estimulando a oratória, o senso crítico e a pluralidade de ideias”, pontua.

O diretor-geral do Salesiano São Gonçalo, padre Hermenegildo Conceição, explica que entre os principais objetivos do projeto, que é pioneiro em Cuiabá, está o de formar cidadãos globais, sensíveis aos problemas do mundo. “A proposta é despertar o senso crítico, empatia, a sensibilidade, a colaboração e o pensamento crítico frente aos problemas da humanidade, num espaço de discussão que visa os participantes apresentarem novas ideias que prezam pelo apoio e bem-estar comum”, pontua.

Outra representante é a estudante Maria Eduarda Ribeiro, de 15 anos. “Estou na diretoria do projeto desde 2018. É uma satisfação fazer parte, saímos da nossa bolha, com senso crítico mais aguçado, uma visão de mundo muito mais ampla.  São discussões de temas que estão acontecendo na nossa realidade, mas longe da gente, todos crescemos”, dispara.

Nesses três dias de programação, os estudantes estarão divididos em comitês para discussão de assuntos diversos. Podem representar delegações de países, ONGs e órgãos da imprensa. A edição especial de 2020 abordará temas que foram destaque em edições anteriores e no comitê da Assembleia Geral das Nações Unidas (AGNU).

Comentários Facebook
Propaganda

EDUCAÇÃO

Estudante conquista vaga na universidade antes de concluir o ensino médio

Publicados

em

Estudante Anna Vitória Medeiros Metello

Por Hernandes Cruz

A estudante Anna Vitória Medeiros Metello, de 18 anos, vai conseguir realizar o sonho de cursar a faculdade de Arquitetura logo depois de concluir o ensino médio. Ela obteve nota suficiente no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em 2020, para ocupar uma vaga na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), quando ainda estava cursando o 3º ano, no Colégio Salesiano São Gonçalo. 

O ano de 2020 foi difícil para todo mundo, mas a qualidade dos estudos oferecidos pelo Colégio São Gonçalo, a estrutura à disposição dos estudantes, as estratégias e dedicação dos professores e da direção do colégio foram ferramentas fundamentais para que ela e outros alunos conseguissem ingressar na universidade. 

Com a sua dedicação, Anna soube explorar o que há de melhor no Colégio São Gonçalo, para que alcançasse a nota 692,7. Na redação, ela tirou quase mil pontos.

Toda a conquista é resultado de dedicação e enfrentamento aos desafios. Realizar sonhos é algo que exige determinação. E foi assim, superando cada dificuldade que Anna Vitória manteve o foco nos estudos, orientada pelo colégio até chegar ao grande objetivo.

Houve respeito aos limites e ao próprio tempo que cada um tem para executar uma tarefa ou chegar a um objetivo importante. A estudante conta que, além de assistir as aulas da escola no formato online, criou em casa também uma rotina para estudar e fazer exercícios em conteúdos que devem cair no Enem de 2021.

Ela afirma que não estava conseguindo acompanhar a carga horária da escola. Na busca por uma nota boa no Enem, ela assistia as aulas gravadas depois. 

“Eu não contava as horas, estabelecia os estudos por matéria. Cada dia eu estudava uma ou duas matérias, geralmente de manhã e à noite”, explica Anna Vitória. 

Ela também cita outra ação do colégio que a ajudou na conquista da vaga na universidade. “Foi muito bom, por parte da escola, oferecer no final do ano as aulas ao vivo com professores da Poliedro, como uma revisão para o Enem e vestibulares de São Paulo” conta. A estudante é mais um dos grandes exemplos de vitória.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana