Cuiabá

CPI dos Medicamentos requer cópia de inquérito da Deccor

Publicados

em


Carol Siqueira/Secom Câmara

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Medicamentos, instaurada na Câmara de Cuiabá para apurar a questão dos remédios com prazo de validade vencida encontrados no Centro de Distribuição de Medicamentos e Insumos da Capital, encaminhou um ofício a Delegacia Especializada de Combate à Corrupção (Deccor) solicitando cópia do inquérito oriundo da Operação Overpriced.

A medida é reflexo dos desdobramentos da investigação criminal conduzida pelo órgão, que nesta quinta-feira (10) deflagrou a segunda fase da Operação.
Como cita questões referentes a medicamentos vencidos, o qual é objeto de investigação da CPI, a intenção dos membros da Comissão é reunir informações que venham a corroborar com as investigações em andamento no Parlamento Municipal.
Para tanto, foi solicitado “acesso integral ao presente Procedimento de Investigação Criminal ou outros dele decorrentes referentes à primeira e à segunda fase da Operação Overpriced”.
“Dentre os medicamentos vencidos que estão estocados no CEDMIC temos a ivermectina, que é utilizada para o tratamento da Covid-19. As investigações da Deccor cruzam com a que estamos realizando na Câmara e estamos solicitando acesso a esses dados para corroborar ao nosso levantamento. Nós não mediremos esforços para elucidar os fatos e dar uma resposta para a população”, coloca o relator da CPI, vereador Marcus Brito Junior (PV).
Também integram a Comissão os vereadores Lilo Pinheiro (PDT), que responde pela presidência do grupo, e o tenente coronel Paccola (Cidadania), que figura como membro titular.

Kamila Arruda/Assessoria de Imprensa Vereador Marcus Brito

Comentários Facebook
Propaganda

Cuiabá

Criação da gestão Emanuel Pinheiro, programa Cata-treco deve fechar 1º semestre com 150 bairros atendidos

Publicados

em


Gustavo Duarte

Clique para ampliar

A Prefeitura de Cuiabá prevê fechar o primeiro semestre de 2021 com pelo menos 150 bairros atendidos pelo programa Cata-treco. Um levantamento feito pela Empresa Cuiabana de Zeladoria e Serviços Urbanos (Limpurb) aponta que, até o dia 17 deste mês, já alcançou 135 comunidades das regiões Norte, Sul, Leste e Oeste da Capital.

O Cata-treco é uma iniciativa criada pela gestão do prefeito Emanuel Pinheiro, ainda em 2017, e tem sido uma das principais ferramentas de limpeza pública utilizada pelos cuiabanos para dar a destinação corretas a materiais inservíveis. Por meio da ação, a população pode descartar objetos sofá, cama, porta, janela, e outros que não possuem mais utilidade.

A execução da atividade conta com equipes externas, formadas por motoristas dos caminhões e ajudantes, além da equipe interna que efetua o recolhimento das demandas no WhatsApp (65) 9 9243–6502. O cronograma de atendimento também é montado com base nas solicitações feitas por lideranças comunitárias e indicação de vereadores.

O Cata-treco é uma das criações da gestão Emanuel Pinheiro que rapidamente teve a adesão da população. Antes, o cidadão não tinha essa opção de poder descartar um objeto que não quer mais sem ter que sair de casa. É claro que isso pode melhor, estamos trabalhando para dar mais agilidade ao serviço e, ao mesmo tempo, também buscamos fomentar ainda mais a participação popular”, explica o diretor-presidente da Limpurb, Vanderlúcio Rodrigues.

De acordo com a Limpurb, a cada comunidade atendida, as equipes chegam a recolher uma média de 30 toneladas de resíduos sólidos. A partir desta etapa, todo material que pode ser reaproveitado é direcionado para as cooperativas de reciclagem e o restante encaminhado para o aterro sanitário.

“Além da facilidade ofertada à população, essa atividade ainda cumpre essa função social de contribuir com os trabalhadores que vivem da reciclagem. Esse é uma parceria positiva para todo os envolvidos. Outro ponto de importante destaque é que o Cata-treco evita o despejo irregular desses materiais, no ajudando no combate dos bolsões de lixo”

Segundo a Limpurb, Cuiabá chegou a ter mais de 300 áreas identificadas como locais de despejo ilegal de lixo. Atualmente, com a contribuição o Cata-treco, o número foi reduzido para cerca de 38. Ainda conforme o órgão municipal, todas essas áreas são monitoradas com o apoio da população e recebem constantes intervenções de limpeza.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana