POLÍTICA NACIONAL

CPI da Covid: depoimento de Nelson Teich é transferido para quarta-feira (5)

Publicados

em


source
Nelson Teich, ex-ministro da Saúde
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Nelson Teich, ex-ministro da Saúde

Nesta terça-feira (04), a CPI da Covid tinha em sua programação colher os depoimentos de dois es-ministros da Saúde, Luiz Henrique Mandetta e Nelson Taich. Mas, um acordo extra-oficial foi feito entre os senadores da comissão e o  testemunho de Teich passou para quarta-feira (05), as 10h. As informações foram divulgadas GZH.

Adiamento deve recolhido após depoimento de Mendetta, que desde da manha desta terça, presta esclarecimentos na CPI. Seu depoimento deve terminar às 16h, devido a uma sessão ordinária marcado no Senado , ocasionando o encerramento de todas as atividades em comissões.

O general Eduardo Pazuello, que ocupou o cargo depois de Teich, estava marcado para depor também na quarta-feira (05). Entretanto, ele informou que não poderá comparecer , pois, no final de semana, esteve em contato com dois coronéis que testaram positivo para o novo coronavírus . Disse que ficaria de quarentena e por isso, não poderia comparecer presencialmente como testemunha para prestar seu depoimento.

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Moro diz que não influenciou na atuação da PF sobre vazamentos da Lava-Jato

Publicados

em


source
Ex-juiz Sergio Moro
Reprodução, iG Minas Gerais

Ex-juiz Sergio Moro

O ex-ministro da Justiça e ex-juiz Sergio Moro prestou depoimento nesta segunda-feira à Justiça Federal do Distrito Federal, no âmbito da Operação Spoofing, que investiga a interceptação de mensagens entre autoridades e membros da Lava-Jato. O ex-juiz foi uma das vítimas das invasões dos hackers.

Na audiência, realizada pela 10ª Vara de Brasília, Moro falou na condição de testemunha ao juiz federal Ricardo Augusto Soares Leite sobre a invasão de celulares e explicou que não influenciou a atuação da Polícia Federal na investigação sobre as invasões às contas de Telegrama de autoridades.

– Nunca foi feita a gestão alguma da minha parte para conduzir neste caso ou na Polícia Federal “, disse o ex-ministro da Justiça por videoconferência, que complementou: – O delegado teve autonomia total para conduzir o caso da forma que ele entendia apropriado.

O ex-ministro da Justiça ainda possui que “os ataques e as mensagens roubadas foram utilizadas com sensacionalismo para frear o combate à corrupção e condenações anulares de corruptores e corruptos”.

Além de Moro, também foi ouvida a ex-deputada federal Manuela D’Ávila (PCdoB), citada pelo hacker Walter Delgatti Neto, o “Vermelho”, como elo entre ele o jornalista Glenn Greenwald, do site The Intercept Brasil, que, depois , publicou série de reportagens que ficou conhecida como “Vaza Jato”.

Deflagrada em julho de 2019, uma Operação Spoofing prendeu quatro pessoas suspeitas da invasão de celulares de autoridades.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana