Saúde

Covid-19: Covax fecha acordo para distribuir vacinas CoronaVac e Sinopharm

Publicados

em


source
Covid-19: Covax fecha acordo para distribuir vacinas CoronaVac e Sinopharm
Agência Brasil

Covid-19: Covax fecha acordo para distribuir vacinas CoronaVac e Sinopharm

O consórcio Covax Facility fechou um acordo nesta segunda-feira (12) e vai distribuir as vacinas CoronaVac e Sinopharm contra a Covid-19 a partir deste mês, anunciou a Gavi, a Aliança para Vacinação.

“De julho até outubro, serão entregues 110 milhões de doses de vacina: 50 milhões da CoronaVac até setembro e outras 60 milhões da vacina da Sinopharm até o mês seguinte”, segundo o anúncio.

Com a inclusão desses imunizantes, a Covax agora tem 11 imunizantes em sua lista:

  • AstraZeneca/Oxford (usada no Brasil)
  • Clover (teve testes de fase 3 autorizados no Brasil)
  • Janssen (usada no Brasil)
  • Moderna
  • Novavax
  • Pfizer/BioNTech (usada no Brasil)
  • Sanofi/GSK (teve testes de fase 3 autorizados no Brasil)
  • SII-Covishield (versão produzida na Índia da AstraZeneca/Oxford)
  • SII-Covovax (versão produzida na Índia da Novavax)
  • Sinopharm
  • CoronaVac

O Brasil faz parte do consórcio e, até agora, já recebeu doses das vacinas da AstraZeneca e Pfizer por meio da iniciativa.

Você viu?

Além das vacinas já garantidas até outubro deste ano, a Gavi também tem a opção de comprar mais 210 milhões de doses no quarto trimestre de 2021, sendo 150 milhões da CoronaVac e 60 milhões da Sinopharm.

Outras 230 milhões de doses de vacina poderão ser adquiridas no primeiro semestre de 2022: 180 milhões da CoronaVac e 50 milhões da Sinopharm.

Assim como a CoronaVac, a vacina da Sinopharm é de origem chinesa. Ambas utilizam a tecnologia de vírus inativado e são aplicadas em duas doses. O intervalo recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) entre as doses da Sinopharm é de 3 a 4 semanas. Já a CoronaVac tem um intervalo entre doses de 2 a 4 semanas.

O consórcio Covax Facility é uma iniciativa da Organização Mundial de Saúde (OMS) em parceria com a Gavi, que tem como objetivo uma distribuição mais igualitária de vacinas contra a Covid entre países pobres e ricos.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Propaganda

Saúde

Pfizer vai pedir à Anvisa uso de vacina em crianças de 5 a 11 anos

Publicados

em

 

A Pfizer informou que deve submeter pedido à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para aprovação do uso da sua vacina contra a covid-19, a ComiRNAty, em crianças entre 5 a 11 anos no mês de novembro deste ano.

Conforme divulgou a Reuters, a vacina da Pfizer/BioNTech apresentou 90,7% de eficácia contra o novo coronavírus em um ensaio clínico com crianças de 5 a 11 anos, informou a farmacêutica norte-americana na sexta-feira (22).

Atualmente, a vacina da farmacêutica tem autorização da Anvisa para ser aplicada em adolescentes com 12 anos ou mais. Sua aplicação para jovens de 12 a 15 anos foi autorizada no mês de junho deste ano pela agência sanitária.

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana