Saúde

Covid-19: casos sobem para 22,043 milhões e mortes, para 613,3 mil

Publicados

em


O número de pessoas que contraíram covid-19 durante a pandemia subiu para 22.043.112. Em 24 horas, as autoridades de saúde confirmaram 12.930 diagnósticos positivos da doença.

Ainda há 165.060 casos em acompanhamento, de pessoas que tiveram o quadro de covid-19 confirmado.

Já o total de vidas perdidas para a doença chegou a 613.339. Desde ontem as autoridades de saúde registraram 273 mortes.  

Boletim Covid-19 de 24 de novembro de 2021 Boletim Covid-19 de 24 de novembro de 2021

Boletim Covid-19 de 24 de novembro de 2021 – Ministério da Saúde

Ainda há 2.861 falecimentos em investigação. Essa situação ocorre pelo fato de haver casos em que o paciente faleceu, mas a investigação sobre se a causa foi covid-19 ainda demandar exames e procedimentos posteriores.

Até esta quarta-feira, 21.264.713 pessoas já se recuperaram da doença.

Os dados estão no balanço diário do Ministério da Saúde, divulgado na noite desta quarta-feira (24). A atualização consolida informações sobre casos e mortes enviadas pelas secretarias estaduais de Saúde.

Estados

Segundo o balanço do Ministério da Saúde, no topo do ranking de estados com mais mortes por covid-19 registradas até o momento estão São Paulo (153.639), Rio de Janeiro (68.919), Minas Gerais (56.084), Paraná (40.759) e Rio Grande do Sul (36.007).

Já os estados com menos óbitos resultantes da pandemia são Acre (1.845), Amapá (1.999), Roraima (2.045), Tocantins (3.913) e Sergipe (6.040). Não houve novas mortes desde ontem no Acre e em Sergipe.

Vacinação

Até o início da noite desta quarta-feira,  o sistema do Ministério da Saúde marcava a aplicação de 305,7 milhões de doses no Brasil, sendo 158,3 milhões da primeira dose e 133,5 milhões da segunda dose ou dose única. Foram aplicadas ainda 13,2 milhões de doses de reforço.

Edição: Aline Leal

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Propaganda

Saúde

‘De novo vai começar?’, diz Bolsonaro sobre proposta da Anvisa

Publicados

em


source
'De novo vai começar?', diz Bolsonaro sobre proposta da Anvisa
Reprodução

‘De novo vai começar?’, diz Bolsonaro sobre proposta da Anvisa

O presidente Jair Bolsonaro criticou nesta terça-feira a proposta da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de exigir a vacinação contra a Covid-19 para a entrada no Brasil. Bolsonaro questionou se “de novo, vai começar essa negócio”.

Bolsonato também minimizou a variante ômicron, classificada como de preocupação pela Organização Mundial de Saúde (OMS), dizendo que “vai ter um montão de variante” e que é preciso “enfrentar” a doença, sem explicar o que isso significa.

“Estramos trabalhando agora com a Anvisa, que quer fechar o espaço aéreo (para não vacinados). De novo, porra? De novo, vai começar esse negócio? “Ah, ômicron…”. Vai ter um montão de vírus pela frente, um montão de variante pela frente. Talvez, peça a Deus que esteja errado. Mas temos que enfrentar”, disse Bolsonaro, durante evento promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Desde o início da pandemia de Covid-19, no ano passado, Bolsonaro minimizou os riscos da doença, que já matou mais de 615 mil brasileiros.

No dia 12 de novembro, a Anvisa enviou à Casa Civil duas notas técnicas, recomendando a exigência de vacinação para a entrada no país. Desde então, não houve decisão.

Leia Também

A definição sobre se haverá ou não a exigência será realizada pela Casa Civil e pelos ministérios da Saúde, da Justiça e da Infraestrutura. A Anvisa tem um papel apenas de assessoramento.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana