BRASIL E MUNDO

“Coronavírus pode ​​nunca desaparecer”, diz funcionário da OMS

Publicados

em


source
oms
Reprodução

A única doença humana que foi erradicada é a varíola; solução para coronavírus parece estar distante


A Covid-19, que se espalha pelo mundo, “pode ​​nunca desaparecer”, tornando-se um fato da vida a longo prazo que deve ser gerenciado, e não um inimigo que pode ser erradicado permanentemente. Foi o que disse, nesta quarta-feira (13), uma importante autoridade da Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Esse vírus pode se tornar apenas outro vírus endêmico em nossas comunidades e nunca pode desaparecer”, disse Mike Ryan, chefe do Programa de Emergências em Saúde da OMS, em entrevista coletiva. “O HIV não desapareceu, mas chegamos ‘a um acordo com o vírus’, descobrimos as terapias e os métodos de prevenção, e as pessoas não se sentem tão assustadas quanto antes”, comparou. 

“Não há promessas nem datas”, disse ele, diminuindo as expectativas de que a invenção de uma vacina para o coronavírus forneça um fim rápido e completo do que se tornou uma calamidade econômica e de saúde global. “Uma boa vacina pode ser desenvolvida, mas não há como dizer quando”, acrescentou, chamando de “um tiro na lua”.

Se as pessoas infectadas se tornarem imunes ou resistentes, quando um número suficiente tiver o vírus, restará menos pessoas que poderão pegá-lo ou espalhá-lo, tornando os surtos mais fáceis de administrar. Mas ninguém sabe quanto tempo isso levará.

Ele também expressou cinismo sobre as perspectivas de erradicação, mesmo com uma vacina. “Temos algumas vacinas perfeitamente eficazes neste planeta que não utilizamos efetivamente para doenças que poderíamos ter erradicado”.

A única doença humana que foi erradicada é a varíola.

Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
Propaganda

BRASIL E MUNDO

Mais 4,2 milhões de doses de vacinas covid-19 são enviadas para todo o Brasil

Publicados

em


O Ministério da Saúde entrega, nesta semana, mais 4,2 milhões de doses de vacinas covid-19 para todos os estados e Distrito Federal. São novos lotes contendo 1,8 milhão de doses da Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan, e 2,3 milhões de doses da Pfizer/BioNTech. A distribuição começou nessa quinta-feira (17) e está prevista para ser concluída nesta sexta (18).

As doses são destinadas para continuidade da vacinação de pessoas com comorbidades, gestantes e puérperas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, trabalhadores do ensino básico e trabalhadores do transporte aéreo. Além disso, estão incluídos agentes das forças de segurança e salvamento e Forças Armadas, povos ribeirinhos, trabalhadores da saúde e pessoas com 60 anos que vivem em instituições de longa permanência.

Nessa pauta de distribuição, as vacinas da Pfizer são destinadas para primeira dose. Para as vacinas do Butantan, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) recomenda que os estados façam a reserva da segunda dose.

A campanha de vacinação contra a Covid-19 caminha em ritmo acelerado. Desde janeiro, o Ministério da Saúde já destinou a todas as Unidades Federativas mais de 114 milhões de doses de imunizantes contratados. Até o momento, mais de 84 milhões foram aplicadas.

Com informações do Ministério da Saúde

Fonte: Brasil.gov

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana