economia

Conheça os brasileiros que entraram na lista de bilionários da Forbes

Publicados

em


source
Conheça os brasileiros que entraram na lista de bilionários da Forbes
Divulgação/Brex

Conheça os brasileiros que entraram na lista de bilionários da Forbes

Na lista de bilionários publicada nesta terça-feira (5) pela revista Forbes, dois novatos chamaram a atenção: os brasileiros Pedro Franceschi, de 25 anos, e Henrique Dubugras, de 26 anos. Co-fundadores da fintech de cartão de crédito para empresas Brex, cada um tem uma fortuna estimada em US$ 1,5 bilhão.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia

A companhia foi fundada há cinco anos em São Francisco, na Califórnia, reduto mundial das start-ups e tecnologia. A virada veio com uma rodada robusta de financiamento privado de investidores anunciada esta semana que quase dobrou o valor de avaliação da Brex para US$ 12,3 bilhões (R$ 57,3 bilhões).

Além deles, há outros 13 bilionários brasileiros na lista de 234 pessoas que não sabem o que é xepa de feira nem parcelamento de dívidas.

Os dois se conheceram através de uma discussão no Twitter em 2012, quando ainda estavam no ensino médio e moravam no Brasil. No ano seguinte, lançaram uma start-up de pagamentos chamada Pagar.me para pequenas empresas, a qual venderam mais tarde para uma concorrente em 2015.

De acordo com a Forbes, Dubugras cresceu em São Paulo e Franceschi, no Rio. Ambos frequentaram a Universidade Stanford, nos Estados Unidos, antes de fundarem a Brex em 2017.

Comentários Facebook
Propaganda

economia

Aneel mantém bandeira tarifária verde para julho

Publicados

em

source
Hoje, há 212 localidades isoladas do SIN, com consumo energético abaixo de 1%
Agência Brasil

Hoje, há 212 localidades isoladas do SIN, com consumo energético abaixo de 1%

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu acionar a bandeira verde no mês de junho para todos os consumidores conectados ao Sistema Interligado Nacional (SIN). De acordo com a agência, dessa forma, não haverá cobrança extra na conta de luz no próximo mês.

É o segundo anúncio de bandeira verde realizado pela Aneel desde o fim da Bandeira Escassez Hídrica , que durou de setembro de 2021 até meados de abril deste ano. Em maio, a agência já havia acionado a bandeira verde . Segundo a Aneel, na ocasião, a bandeira verde foi escolhida devido às condições favoráveis de geração de energia.

Criadas em 2015 pela Aneel, as bandeiras tarifárias refletem os custos variáveis da geração de energia elétrica. Divididas em níveis, as bandeiras indicam quanto está custando para o SIN gerar a energia usada nas casas, em estabelecimentos comerciais e nas indústrias.

Quando a conta de luz é calculada pela bandeira verde, significa que a conta não sofre qualquer acréscimo. Quando são aplicadas as bandeiras vermelha ou amarela, a conta sofre um acréscimos, que variam de R$ 1,874 por 100 quilowatt-hora (kWh) consumido a 9,492 por 100 kWh.

O Sistema Interligado Nacional é dividido em quatro subsistemas: Sudeste/Centro-Oeste, Sul, Nordeste e Norte. Praticamente todo o país é coberto pelo SIN. A exceção são algumas partes de estados da Região Norte e de Mato Grosso, além de todo o estado de Roraima.

Atualmente, há 212 localidades isoladas do SIN, nas quais o consumo é baixo e representa menos de 1% da carga total do país. A demanda por energia nessas regiões é suprida, principalmente, por térmicas a óleo diesel.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana