TECNOLOGIA

Conheça os 5 melhores jogos grátis para PC lento

Publicados

em


source
Veja os melhores jogos de graça para PCs mais fracos
Unsplash/Emmanuel

Veja os melhores jogos de graça para PCs mais fracos

Mesmo se seu computador for antigo e tiver configurações básicas, ainda é possível se divertir com jogos . Há diversas opções de games que rodam em PCs lentos , mas apenas algumas delas são gratuitas.

Abaixo, separamos cinco jogos que não exigem muito da sua máquina, que são gratuitos e que receberam boas avaliações online. Confira:

1. Team Fortress 2

Um dos jogos de ação online mais populares de todos os tempos, Team Fortress 2 é um game de tiro que conta com o desenvolvimento de personagens interessantes e insere um pouco de humor.

Requisitos mínimos:

  • Sistema operacional: Windows/Vista/XP
  • Processador: 1.7 GHz
  • Memória: 512 MB de RAM
  • Armazenamento: 15 GB de espaço disponível

2. GTA Vice City

O clássico jogo também é uma boa opção para PCs mais lentos. Nele, o jogador se torna um criminoso em busca de poder em Vice City nos anos 1980.

Requisitos mínimos:

Você viu?

  • Sistema Operacional: Windows 2000/XP
  • Processador: 800 MHz Intel Pentium III ou 800 MHz AMD Athlon
  • Memória: 128 MB de RAM
  • Armazenamento: 915 MB de espaço livre

3. Euro Truck Simulator 2

O game de simulação coloca o jogador como um motorista de caminhões. Ele conta com diversas cidades para visitar e muitas rotas para fazer.

Requisitos mínimos:

  • Sistema operacional: Windows 7
  • Processador: 2.4 GHz
  • Memória: 4 GB RAM
  • Armazenamento: 7 GB de espaço disponível

4. Hearthstone

Esse jogo de cards é bastante leve e funciona em qualquer PC ou celular. Para ganhar, é preciso dominar as estratégias e jogar contra gamers reais.

Requisitos mínimos:

  • Processador: Intel Core 2 Duo
  • Memória RAM: 2 GB

5. Knives Out

O battle royale foi criado para dispositivos móveis, mas conta com uma versão que roda em PCs lentos. Nesse jogo, existem muitos mapas e tipos de arma para todos os gostos. Além disso, novos desafios são adicionados com frequência.

Requisitos mínimos:

  • Processador: Pentium Dual Core E2140 1.60GHz ou Athlon 64 X2 Dual Core 3600+
  • Memória: 2 GB de RAM.

Comentários Facebook
Propaganda

TECNOLOGIA

Streamers brasileiros criam “sindicato” para contestar preços da Twitch

Publicados

em


source
Twitch
Unsplash

Twitch

Streamers brasileiros estão se organizando para contestar as mudanças impostas pela Twitch nos últimos dias. A plataforma mudou os preços para quem deseja se tornar assinante de canais,  reduzindo de R$ 22,99 para R$ 7,90 – o problema é que isso também afetou diretamente os ganhos de quem transmite na plataforma, para a pior.

A iniciativa foi formulada por diversas pessoas da comunidade, mas divulgada por Matheus “Pipoca” Tavares, streamer e também jogador profissional de League of Legends . Em seu Twitter ele convoca que streamers preencham um formulário para o “sindicato de streamers”.

O nome, esclarece Pipoca, é brincadeira, mas o sentido é o mesmo. Trata-se de uma união de pessoas que utilizam a mesma ferramenta de trabalho, que buscam formas mais justas de serem remunerados por seus serviços – neste caso, a transmissão de conteúdo via Twitch.

“Não tem data nem hora marca ainda, estamos reunindo o máximo de streamer possível para discutir o futuro da plataforma”, escreve Pipoca em seu Tweet. A ideia é que, com muita gente reunida, as insatisfações possam ser levadas à Twitch para discussão e para saber melhor como isso vai afetar a todos no futuro.

Você viu?

Além disso, também foi aberto um servidor no Discord para reunir as pessoas e ter a troca de ideias e informações.

Twitch piorou?

Em tese, com o novo preço de R$ 7,90, o percentual que fica com o dono do canal reduziu drasticamente. De acordo com a revista digital Stiles Gaming, cada assinante (sub) pago neste valor mais básico rende apenas US$ 0,48 para o streamer. Se o sub for dado de gift por outro usuário o dono do canal fica com US$ 0,45. São valores quase irrisórios, mesmo com a cotação do dólar em alta.

Em tese, a melhor alternativa, no momento, é incentivar que seus espectadores doem bits e não assinem, ainda que percam uma série de benefícios com isso. A Stiles Gaming informa que 100 Bits equivalem a R$ 6,50, enquanto US$ 1 fica com o dono do canal – o espectador gasta menos e ajuda mais.

Os valores correspondem a assinaturas e gastos usando o computador, via celular pode ser um pouco mais caro. Sobre o futuro da plataforma resta aguardar por novidades da união de streamers criada pela comunidade e ver como a Twitch deve reagir a isso no país. A Twitch, porém, já chegou a prometer mais auxílio aos gamers, mas, por enquanto, não se sabe como vai passar a valer para o Brasil.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana