POLÍTICA MT

Comunidade indígena de General Carneiro recebe ambulância via emenda parlamentar

Publicados

em


Foto: VÂNIA NEVES

O município de General Carneiro acaba de receber ambulâncias novas. De acordo com o deputado estadual Ondanir Bortolini (PSD), Nininho, o recurso, destinado via emenda parlamentar, foi na ordem de R$ 150 mil para a aquisição de um desses veículos com contrapartida do município. A ambulância vai atender a comunidade Sangradouro, composta por 35 aldeias dentro da área Xavante. 

“É uma alegria ver esta demanda concluída, um pedido do saudoso vereador Heder Caio, dos vereadores Valdecy e José Mauro e do nosso amigo Luiz Antônio, presidente do assentamento Santa Cássia. Com certeza a comunidade agora será melhor assistida nas condições de logística para a saúde”, pontuou Nininho. 

O vereador José Mauro agradeceu o deputado em nome dos seus colegas e da população. “É gratificante ver a atenção que o deputado Nininho tem com os municípios, em especial, os que estão distantes da capital como ocorre com nossa cidade. Nós acompanhamos as ações dele presentes em cerca de 80% dos municípios do nosso estado, independente de sigla partidária, ele tá sempre pronto para receber as pessoas”, destacou José Mauro.

Para o parlamentar, a ambulância para a comunidade Sangradouro traz de volta dignidade e respeito à população. 

“A comunidade está localizada a 172 quilômetros da sede do município. Esse veículo é mais que necessário para atender essas pessoas. Agradecemos o governador Mauro Mendes por entender e ser pontual com os compromissos com o nosso povo”, ratificou o parlamentar.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA MT

Faissal apresenta projeto que efetiva alíquota de 12,5% para o etanol

Publicados

em


Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

O deputado estadual Faissal Calil (PV) apresentou na sessão da manhã desta quarta-feira (22), na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT),  Projeto de Lei (PL) de n. 860/2021 que prevê a redução da alíquota de ICMS do etanol combustível no estado. O parlamentar quer reduzir a percentagem atual de 25% para 12,5%, formalizando assim o desconto de 50% no tributo atualmente aplicado pelo governo do estado.

O deputado aponta que a efetivação da alíquota cobrada pelo Estado atualmente é necessária, tendo em vista que o governo defende e “propagandeia” que Mato Grosso detém a menor tributação do país neste tipo de produto. Faissal destacou que não é concebível que Mato Grosso, sendo exportador de etanol, tenha seu cidadão pagando praticamente o mesmo preço cobrado em outras unidades da federação, sendo que aqui, segundo o governo, a alíquota é de metade em relação aos outros estados.

“O etanol sai da usina por R$ 1,57 por litro e os impostos federais correspondem a R$ 0,24, totalizando aproximadamente R$ 1,80. Quando chega no posto, esse combustível está R$ 4, ou seja, mais do que dobra entre a distribuidora e os impostos estaduais. Na bomba, o preço final é de R$ 4,50, onde estes 50 centavos pagam uma infinidade de gastos para que o posto funcione, rendendo ao empresário um lucro de apenas R$ 0,15 por litro. Ou seja, os donos de postos, vistos por muitos como vilões, possuem um “sócio oculto” chamado poder público, que não faz nada e as vezes até atrapalha”, afirmou.

A iniciativa de Faissal se dá após vários episódios onde consumidores ficaram confusos, sentindo-se até mesmo lesados, quando solicitavam as notas fiscais nos postos de combustíveis. No documento, é informado que a alíquota cobrada é de 25%, só que o Governo do Estado oferece um desconto de 50% na tributação, o que gera a confusão.

“O Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Mato Grosso (Sindipetróleo), afirma que há um erro na emissão das notas fiscais e que isso ocorre porque os sistemas de Tecnologia da Informação utilizados pelos postos revendedores buscam a informação sobre tributos no Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), e a alíquota prevista na legislação é a que aparece nas notas fiscais. Este projeto visa corrigir este equívoco e efetivar a alíquota de ICMS cobrada atualmente”, afirmou.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana