POLÍTICA NACIONAL

Comissão da Covid-19 define cronograma de audiências públicas para maio

Publicados

em


Já está definido o cronograma de trabalho a ser relizado no mês de maio pela Comissão Temporária Covid-19 (CTCOVID19), criada para acompanhar questões de saúde pública relacionadas à pandemia. Serão ouvidos em audiências públicas remotas, neste mês, os ministros Marcelo Queiroga, da Saúde; Paulo Guedes, da Economia; Carlos Alberto Franco França, das Relações Exteriores; e Marcos Pontes, da Ciência, Tecnologia e Inovações. A comissão também vai receber representantes de laboratórios, de instituições e associações médicas, de organizações internacionais e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), além de embaixadores, governadores e profissionais da saúde. 

Na sexta-feira (7), o grupo vai debater a crise sanitária no país, as tratativas de aquisição de vacinas pela Covax Facility, iniciativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) em parceria com entidades filantrópicas para distribuição de imunizantes contra a covid-19, e também discutir sobre a não aprovação da vacina russa Sputnik V. Foram convidados para a audiência pública Tedros Adhanom, diretor geral da OMS; António Guterres, secretário-geral da ONU; Socorro Gross, representante da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) e OMS no Brasil; Carlos Machado de Freitas, coordenador do Observatório da Covid da Fiocruz; e representantes da Anvisa e da vacina Sputnik V. 

Marcelo Queiroga, ministro da Saúde, é o convidado da audiência pública do dia 28 de maio, que vai tratar do Plano Nacional de Imunização e do cumprimento dos respectivos prazos, bem como das medidas de combate à pandemia. Já Paulo Guedes, ministro da Economia, será ouvido na reunião do dia 31, para discutir a situação fiscal e a execução orçamentária e financeira das medidas relacionadas à pandemia. 

Aquisição de vacinas

As dificuldades de aquisição de vacinas e as possibilidades de auxílio ao Brasil no combate ao coronavírus serão temas do debate a ser realizado no dia 14 de maio. A reunião foi requerida pelo senador Marcos do Val (Podemos-ES), e também vai avaliar formas de cooperação internacional para a produção de ingredientes farmacêuticos ativos necessários à fabricação dos imunizantes em território nacional. 

Estão convidados para a discussão Carlos Alberto Franco França, ministro das Relações Exteriores; Yang Wanming, embaixador da República Popular da China; Todd Chapman, embaixador dos Estados Unidos; Shri Suresh Reddy, embaixador da República da Índia; Alexey Labetskiy, embaixador da Federação da Rússia; a senadora Kátia Abreu, presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado Federal; o deputado Aécio Neves, presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados; e um representante do Ministério da Saúde. 

Corte orçamentário 

Marcos Pontes, ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, é o convidado da audiência pública do dia 21 de maio, que vai tratar do impacto negativo que o corte no orçamento do ministério sob seu comando causará nas pesquisas em andamento no país. Além disso, a reunião também terá como finalidade atualizar as informações sobre investimento em pesquisa e tecnologia para alternativas de vacinação contra a covid-19. 

A reunião foi requerida pelos senadores Wellington Fagundes (PL-MT), relator da comissão, e Confúcio Moura (MDB-RO), presidente do grupo. 

Outras reuniões 

A comissão vai debater, na próxima segunda-feira (10), com governadores, as dificuldades que permanecem sendo enfrentadas pelos estados, o estágio da pandemia, o progresso do cronograma de vacinação e a compra de vacinas de maneira descentralizada por estados e municípios. 

Também será tema de discussão os efeitos da contaminação pela covid-19 em gestantes e lactantes, o impacto do crescente aumento da busca popular por atendimento e tratamento médico das sequelas ocasionadas pela contaminação do vírus no Brasil, e a necessidade de alterar o plano nacional de vacinação em decorrência do quantitativo de jovens internados com coronavírus. A reunião será realizada no dia 17 de maio, e tem como convidados representantes de associações e instituições médicas, e profissionais da saúde. 

No dia 24, será promovida audiência pública para tratar sobre o uso da oxigenação extracorpórea no enfrentamento da pandemia, inclusive pelo Sistema Único de Saúde (SUS), e a prestação de informações atualizadas sobre o programa de imunização contra a covid-19, em especial sobre compra e distribuição de vacinas, calendário vacinal, perspectivas de vacinação dos grupos prioritários e do restante da população, além do planejamento para atingir os objetivos propostos. Também será discutida a escassez de remédios essenciais para intubação de pacientes infectados com coronavírus. Estão convidados representantes de laboratórios, do Ministério da Saúde, de instituições médicas e hospitalares. 

Ana Luísa Santos, sob supervisão de Patrícia Oliveira

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Bolsonaro chama CPI de vexame e diz que ministros farão vídeo sobre cloroquina

Publicados

em


source
Bolsonaro em conversa com apoiadores no Palácio do Alvorada
Facebook Reprodução

Bolsonaro em conversa com apoiadores no Palácio do Alvorada

Jair Bolsonaro disse, neste sábado (8), em conversa com apoiadores no Palácio do Alvorada, que a  CPI da Covid é um “vexame” porque “só se fala em cloroquina”. O presidente disse, ainda, que fará um vídeo com 22 ministros para dizer quais deles tomaram o remédio —  comprovadamente ineficaz para tratar a doença causada pelo Sars-Cov-2.

“O cara que é contra [a cloroquina] e não dá alternativas. Tenho certeza que alguém aqui tomou hidroxicloroquina“, disse.

“A gente vai fazer um vídeo nesta semana, os 22 ministros. Todos aqueles que tomaram hidroxicloroquina vão falar: eu tomei. É a alternativa no momento. ‘Ah, não tem comprovação científica’. Mas não tem cientificamente dizendo o contrário também“, continuou. (Veja o vídeo abaixo).

O chefe de estado também disse que as mortes que envolveram o uso de cloroquina em Manaus se deram por conta de superdosagem. “Qualquer remédio se tomar em excesso pode entrar em óbito”, afirmou.

Bolsonaro também votou a colocar em dúvida o número de mortos por Covid-19 no Brasil. “Tudo é suspeita de covid.”

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana