TECNOLOGIA

Com grave vício em Fortnite, jovem é internado por dois meses; caso é inédito

Publicados

em


source
Fortnite levou jovem ao vício
Unsplash/Joshua Hoehne

Fortnite levou jovem ao vício

Um adolescente espanhol ficou internado durante dois meses em razão de um grave vício no jogo Fortnite, caso tratado como o primeiro do mundo estudado pela literatura científica. O jovem foi hospitalizado após apresentar um distúrbio comportamental que o levou a se isolar em casa e recusar interações sociais.

Segundo a equipe médica do hospital provincial de Castellón, onde o menor deu entrada, ele exibia uma série de sintomas relacionados à dependência ao jogo, entre eles rejeição de ir aos serviços de saúde, inflexibilidade pessoal persistente e pouco interesse pelo meio à sua volta.

Os profissionais de saúde informaram ainda que o jovem desencadeou alterações no desempenho das atividades básicas diárias, teve o sono prejudicado e dificuldade de aceitar o tratamento prescrito.

Desde o início do ano letivo, a família do menor, antes com um desempenho acadêmico elevado, notou um aumento do absentismo, interrupção dos tempos de descanso e desinteresse pelos estudos, o que implicou uma mudança de turma.

O tratamento envolveu tanto o adolescente quanto a família, e os resultados mostraram uma diminuição significativa no uso de tecnologias na primeira fase após a hospitalização, que consistia em promover sua socialização de maneira supervisionada. Os médicos também observaram uma melhoria no desenvolvimento pessoal e social do paciente.

De acordo com o hospital, este é o primeiro caso de vício associado ao Fortnite estudado pela literatura científica. Especialistas que integram a pesquisa alertaram para a necessidade de prestar atenção ao comportamento de jovens que dedicam horas a videogames, dada “a crescente precocidade do seu consumo”, especialmente devido à “falta de maturidade nas funções executivas e cognitivas durante a adolescência”.

A pesquisa conclui que se deve fiscalizar o uso que os menores fazem dessas tecnologias, “estabelecendo limites claros e bem definidos” e “promovendo a prática de outras fontes de satisfação”.

Comentários Facebook
Propaganda

TECNOLOGIA

FIFA 22 bane mais de 30 mil jogadores por abusarem de bug no Ultimate Team

Publicados

em


source
FIFA 22 bane jogadores
Divulgação

FIFA 22 bane jogadores

Mais de 30 mil jogadores de FIFA 22 receberam suspensões temporárias por abusarem de um bug no Ultimate Team que garantia vitórias fáceis durante o FUT Champions. A Electronic Arts decidiu deixar os infratores de fora do game por sete dias, até 27 de outubro, mas sem remover os pontos e prêmios obtidos por eles com a falha do modo ranqueado.

Em resumo, o bug permitia que os jogadores terminassem as partidas do FUT Champions com um placar de 20 vitórias e zero derrotas. Para fazer isso, bastava abandonar as partidas indo até o menu principal dos consoles e esperando lá até o tempo acabar. Assim, o FIFA 22 não registrava a derrota.

Graças ao erro do Ultimate Team, os jogadores podiam desistir das partidas assim que sentissem que iriam perder. Com isso, eles continuavam jogando somente as partidas nas quais a vitória era certa, resultando no placar perfeito.

Além do problema no ranking, o mercado de atletas de FIFA 22 também foi afetado, já que uma quantidade enorme de pessoas recebeu o prêmio máximo do FUT Champions ao terminar o posicionamento com o placar perfeito. Cartas de atletas muito valiosos, por exemplo, ficaram muito baratas em pouco tempo.

Leia Também

Após identificar o bug, a Electronic Arts comunicou no Twitter que havia banido mais de 30 mil perfis de FIFA 22 durante sete dias. Com essa suspensão, os jogadores punidos ficam impedidos de entrarem nas finais do FUT Champions do próximo final de semana (23 e 24) — a Weekend League.

A punição foi vista como um “tapinha no ombro”

Mesmo com a suspensão, a EA não removeu as recompensas recebidas pelos jogadores trapaceiros no FUT Champions. Isso resultou em críticas por parte da comunidade, que tinha pedido punições mais severas. Para algumas pessoas nas redes sociais, a atitude da empresa foi comparada a um “tapinha no ombro”.

“Muitos jogadores ruins conseguiram as melhores recompensas que jamais receberão de novo. Sete dias é moleza, já que a maioria deles vai perder um Weekend League em que nem sequer se qualificariam”, disse o usuário Statcat2017 no Reddit.

“Essa punição é um tapa na cara e não chega nem perto de compensar todos os outros que perderam moedas devido ao acidente”, comentou o usuário GrizzlyAdam12, também no Reddit.

Em resposta, a Electronic Arts somente compartilhou suas Diretrizes de Jogos Positivos, as quais dizem que é errado “usar exploits, cheats, recursos não documentados, erros de design, bugs ou problemas para levar vantagem sobre as outras pessoas”.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana