BRASIL E MUNDO

Cobras e aranhas invadem residências e assustam população de cidade mineira

Publicados

em


source
Animais têm aparecido dentro das residências e preocupam moradores
Pixabay

Animais têm aparecido dentro das residências e preocupam moradores

Moradores da pequena cidade de Oliveira, localizada no centro-oeste do estado de Minas Gerais, estão enfrentando um problema de saúde pública nos últimos tempos. Relatos frequentes nas redes sociais apontam para o surgimento de cobras,  aranhas e outros animais peçonhentos dentro das residências, levando pânico à população.

Segundo informações do site BHAZ, o problema tem atingido diversos bairros no município e preocupa quem tem crianças pequenas dentro de casa e mora próximo de lotes abandonados e cobertos de mato. Ainda de acordo com o publicação, este é um problema antigo em Oliveira, mas o descaso das autoridades faz com que a situação de perigo se mantenha.

“Vira e mexe aparece escorpião , aranha venenosa dentro de casa. Meu filho já achou um dentro do banheiro, eu já achei no meu quarto, em vários lugares. Meu medo é ele pegar, colocar a mão”, revelou Luciana Aparecida Santos, mãe de um filho de 3 anos e outro de 9 anos, em entrevista ao portal.

No último mês, houve casos até de aparição de cascavéis e jararacas, cobras que têm veneno letal para crianças. Além do descaso da prefeitura e das autoridades de saúde, a população pede também que os responsáveis pelos lotes abandonados sejam identificados e obrigados a realizar a limpeza do local. “Eles esperam acontecer o pior”, lamentou Luciana.

Procurada pela reportagem, a Prefeitura de Oliveira disse que não tem obrigação de fazer a limpeza dos lotes, mas que notifica os responsáveis. Já a Vigilância Ambiental confirmou o recebimento de diversas denúncias sobre, mas que muitos dos cadastros estão desatualizados na prefeitura, o que impede o contato e a notificação correta dos responsáveis.

Comentários Facebook
Propaganda

BRASIL E MUNDO

Policial que matou negro após abordagem de trânsito é presa

Publicados

em


 A policial que baleou e matou um homem negro durante uma briga ocorrida após uma abordagem de trânsito de rotina no estado norte-americano de Minnesota foi presa e formalmente acusada de homicídio culposo nesta quarta-feira (14).

Kim Potter, veterana com 26 anos de serviço que se demitiu da força policial de Brooklyn Center na terça-feira, foi posta sob custódia na manhã desta quarta-feira e fichada na prisão do condado de Hennepin por matar a tiro Daunte Wright, de 20 anos, na tarde de domingo, disse o Órgão de Apreensão Criminal de Minnesota em um comunicado.

Potter, de 48 anos, estava detida sem direito a fiança, segundo registros da prisão.

Wright foi parado no domingo devido a um registro de veículo vencido, disse a polícia. Policiais descobriram que existia um mandado de prisão contra ele e Potter sacou a arma de fogo ao invés da arma de choque acidentalmente durante uma luta com Wright, que voltou para o carro, disse na segunda-feira o chefe policial de Brooklyn Center, Tim Gannon, que também pediu demissão na terça-feira.

No vídeo da polícia, ouve-se Potter gritando um palavrão e, em seguida, “acabei de atirar nele”.

Para que ela seja condenada pela lei do Minnesota por homicídio culposo, os procuradores precisam mostrar que Potter foi “culposamente negligente” e que correu um “risco insensato” em suas ações contra Wright. A acusação implica uma pena máxima de 10 anos de prisão e uma multa de 20 mil dólares.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana