Rondonópolis

Classificação de “risco baixo” faz SMS desativar parte do Projeto Sentinela para triagem da Covid-19

Publicados

em


A redução na classificação de risco ‘moderado’ para ‘baixo’ na contaminação pelo coronavírus, contribuiu e motivou a Secretaria Municipal de Saúde, a estrategicamente desativar a estrutura de parte do Projeto Sentinela, criado em junho de 2020 para a triagem e identificação da covid 19. 

Durante os cerca de 14 meses de funcionamento, as cinco unidades sentinelas como os PSFs Vila Olinda; Vila Rica, Cidade de Deus; Parque das Rosas e, Policlínica Itamaraty, realizaram milhares de atendimentos a pessoas apresentando problemas respiratórios ou com suspeita de contaminação pelo Coronavírus.

Para que isso fosse possível, o panorama da situação epidemiológica da Covid-19 em Mato Grosso apontou uma significativa redução nos casos da doença em Rondonópolis e o município passou da classificação de risco ‘moderado’ para ‘baixo’, na contaminação pelo coronavírus, reduzindo as taxas de contágio e internações hospitalares.

No entanto, como os indicadores de contaminação e internações continuaram a decrescer, a SMS optou pela desativação de três, dos cinco Postos Sentinelas. Essas unidades voltaram a oferecer os serviços de saúde do cotidiano das pessoas, realizando ainda, atendimentos no chamado “Terceiro Turno”, das 18h às 24h (meia noite) de segunda a sexta-feira.

É bom que se diga que ‘terceiro turno’, é o atendimento em horário diferenciado dispensado para casos de: dor (média e baixa intensidade); febre, e vômitos, entre outros sintomas, desde que não sejam necessariamente de urgência. Já que em casos de urgência, a recomendação é procurar de imediato a Unidade de Pronto Atendimento 24 Horas (UPA), localizada no Jardim Santa Marta.

DUAS CONTINUAM
Conforme informações do Departamento de Atenção à Saúde da SMS, até que a pandemia seja totalmente controlada, duas unidades do sentinela ainda atenderão a população com problemas respiratórios ou suspeita de covid: ou seja: a unidade da Policlínica Itamarati (região da vila operária) e, ESF- Parque das Rosas, no Residencial Margaridas.

Vale lembrar que esse trabalho inovador da criação dos ‘Postos Sentinelas’ pela SMS, foi extremamente importante na execução da política pública de biossegurança e enfrentamento da contaminação da pandemia pelo Coronavírus pela Prefeitura, que procurou de todas as formas, se estruturar e realizar um controle efetivo da doença, bem como propiciar os respectivos tratamentos, reduzindo significativamente muitas complicações, internações e salvando preciosas vidas.

Lembrando que nesse período, foram realizadas milhares de consultas, triagens, exames clínicos, testes rápidos e, a prescrições de medicamentos pelas equipes médicas, bem como, a entrega imediata da medicação recomendada a cada pessoa testada positivo. 

Comentários Facebook
Propaganda

Rondonópolis

Vereador Jonas diz que inoperância do Intermat prejudica Rondonópolis e o Estado

Publicados

em


Vereador Jonas diz que inoperância do Intermat prejudica Rondonópolis e o Estado.   REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA O vereador Jonas Rodrigues (SD), da Câmara de Rondonópolis, usou a tribuna do Parlamento para expressar sua indignação com a total inércia do Instituto de Terras de MT (Intermat), que não está cumprindo sua função, que é a de trabalhar, incentivar e promover a regularização fundiária.  Num discurso contundente, Jonas denunciou a paralisação do processo de regularização fundiária no Estado, especialmente em Rondonópolis. “Esta situação está prejudicando milhares de famílias porque impede a legalização dos lotes e de moradias e seu uso como referência em diversas transações do cotidiano”, pontuou. Jonas Rodrigues disse que coordenou, em Rondonópolis, o maior programa de regularização fundiária do Estado, trabalhando na Secretaria de Habitação e Urbanismo da Prefeitura de Rondonópolis. “Entregamos mais de 11 mil escrituras em Rondonópolis, em diversas regiões da cidade, trabalho este que demandou esforço e dedicação.Mas, de dois anos para cá, o Estado abandonou esta questão em nosso município, com processos parados e prejudicando quem mais precisa”, enfatiza. Conforme Jonas, assim que o governador Mauro Mendes (DEM) tomou posse, ele extinguiu a Regulariza MT, empresa criada para agilizar a regularização fundiária no Estado. “Desde a extinção da empresa há mais de dois anos, Rondonópolis não conseguiu regularizar nenhum imóvel, em nenhuma região da cidade”, atesta o parlamentar. AUTONOMIA PARA RONDONÓPOLIS Jonas Rodrigues informou que está se movimentando para que o Estado dê autonomia para o município de Rondonópolis fazer todo o processo de regularização fundiária e entrega das escrituras. “Temos experiência e trabalho comprovado de que conseguimos fazer este trabalho, basta nos dar autonomia que vamos regularizar a situação”, explicou o vereador, observando que a maioria das moradias que carecem desse processo são àquelas remanescentes da então Cohab. Fonte: Assessoria 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana