MULHER

Classe D usou menos os serviços de proteção contra violência durante a pandemia

Publicados

em


source
No Brasil, houve aumento de violência durante a pandemia
FreePik

No Brasil, houve aumento de violência durante a pandemia

As medidas de isolamento social necessárias para conter o avanço da pandemia no Brasil geraram uma série de impactos na sociedade e um desses impactos ocorreu dentro dos lares das famílias. O medo e a incerteza em relação à crise sanitária e a mudança de rotina tornaram os ambientes mais estressantes e contribuíram para o aumento da violência doméstica .

No ano passado o Fundo de População das Nações Unidas estimava que, para cada 3 meses de quarentena, era esperado o acréscimo de 15 milhões de casos de violência doméstica contra as mulheres. No Brasil, um estudo do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) mostra que houve um aumento do número de agressões dentro de casa, que passou de 42% para 48,8%.

Neste contexto, a pesquisa “Primeiríssima infância Comportamentos de pais e cuidadores de crianças de 0 a 3 anos em tempos de Covid-19 – interações na pandemia, idealizada pela Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal, traz dados sobre o acesso a serviços de prevenção à violência. Em todas as classes sociais ele ficou abaixo dos15%. O estudo foi feito em março desse ano sob consultoria da Kantar e contou com a participação de 1036 cuidadores – pais, mães, avôs, avós, tios, tias ou outros parentes – de todo o Brasil.

Enquanto 14% dos respondentes das classes A/B1 reportaram atendimento de serviços de prevenção de violência, como Conselho Tutelar e Ministério Público, apenas de 8% e 6% o fizeram nas classes mais baixas (B2 Interior e D, respectivamente). Uma das hipóteses para o índice é a dificuldade de acesso ou desconhecimento dessas políticas por parte da população.

Outra possibilidade para esse indicador pode estar relacionada aos programas de visitação. O estudo observou que o acesso a programas de visitação domiciliares, que podem ajudar as famílias a conhecerem os serviços e apoiá-las nos casos de violência, além de contribuírem para outros fatores de desenvolvimento da criança, ficou em 20% em todas as classes sociais.

“Os visitadores domiciliares, muitas vezes, são o único canal de comunicação e informações das famílias em situação de vulnerabilidade. Cabe a eles, assim, apoiar na articulação com outros setores da assistência social, da educação e da saúde para o atendimento adequado de demandas que impactam diretamente no bem-estar da criança e de toda a família. Assim, verifica-se a necessidade de fortalecer o acesso a esses programas de visitação, principalmente nas classes em maior vulnerabilidade”, explica Elisa Altafim, líder de portfólio da Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal.

Leia Também

Leia Também

Recentemente, a instituição, em parceria com A Fundação Bernard Van Leer, lançou a publicação Parentalidade: práticas de visitadores adaptadas à pandemia. O documento visa a registrar, reconhecer e disseminar boas ações de equipes que trabalham diretamente com a população, próximas às famílias mais vulneráveis do nosso país, durante esse momento de pandemia.

Impactos no desenvolvimento infantil

Segundo Mariana Luz, CEO da Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal, o acesso restrito a programas preventivos somado ao aumento da violência doméstica pode comprometer o desenvolvimento das crianças. “Os efeitos da violência doméstica no desenvolvimento infantil são múltiplos. Presenciar ou vivenciar atos violentos são fontes de estresse tóxico para a criança e pode levar a situações de ansiedade, depressão e até queda de imunidade. Já nas grávidas, a violência pode comprometer o desenvolvimento do feto”, conta.

A especialista alerta que o fechamento das unidades educativas, em março do ano passado, pode ter contribuído para a dificuldade de identificação de casos. “Muitas vezes a escola atua como um fator protetivo. Além disso, sem aulas, as crianças passam mais tempo em casa e podem ser expostas mais facilmente à violência e à negligência familiar”, finaliza.

Vale ressaltar que, na primeira infância, a criança aprende e se desenvolve a partir de suas experiências. Nesse sentido, os primeiros momentos da vida de uma criança são importantes e têm repercussões que podem durar a vida toda.

Esse período de desenvolvimento cumpre um papel decisivo na capacidade da criança aprender, adaptar-se às mudanças e demonstrar resistência em situações difíceis. À medida que o cérebro se desenvolve, as conexões neurais vão se formando e se modificando em resposta às experiências positivas e negativas.

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Propaganda

MULHER

Boas energias no lar: as melhores flores para decorar a casa

Publicados

em


source
Boas energias no lar: as melhores flores para decorar a casa
Redação João Bidu

Boas energias no lar: as melhores flores para decorar a casa

Muito utilizadas como itens decorativos, as flores levam mais beleza para os cômodos e renovam as energias com seus poderes naturais. Cada espécie tem um significado diferente e, por isso, deve ser utilizada na casa de acordo com suas necessidades e desejos – além de seu gosto.

Algumas pessoas preferem ter em casa vasos com ramos de flores artifíciais, porque elas não precisam de cuidados e duram por muito mais tempo. No entanto, elas não contêm as vibrações certas para atrair saúde, proteção, prosperidade e amor para dentro do seu lar. Portanto, opte pelas plantas naturais, para ajudar no equilíbrio das energias do ambiente e trazer muito mais bem-estar para os seus dias.

Para te auxiliar na escolha da espécie ideal, selecionamos as melhores flores para ter em casa e como cada uma delas pode te ajudar.

Melhores flores para ter em casa

Cravos

Utilizados em comemorações desde a Grécia Antiga, os cravos contam com um aroma delicado e, por isso, seu cultivo é comumente feito para o preparo de óleos aromáticos, perfumes e incensos. Na maioria das culturas conhecidas, essa flor simboliza a boa sorte e é perfeita para atrair vitórias e boas energias para o lar.

Cravo branco

Tem relação com o amor puro, aumenta o talento natural das pessoas e traz boa sorte. Seu poder é capaz de ampliar o lado espiritual das pessoas.

Cravo vermelho

Símbolo de amor, paixão e respeito. Um cômodo decorado com essa planta fica com as energias e o astral mais elevados.

Cravo cor-de-rosa

Chame a felicidade para seu lar com essa espécie. Ela também simboliza gratidão e respeito, por isso, pode ser utilizada como ótima opção de presente.

Cravo amarelo

Precisam ser utilizados com outras flores coloridas para terem o poder de aumentar a alegria e a vivacidade do local.

Crisântemo

Para ter uma vida longa, cultive um vasinho de crisântemo. Considerada a “flor de ouro”, essa planta representa simplicidade e perfeição. Na Ásia, região na qual ela é mais difundida e famosa pelo seu simbolismo, essa flor significa felicidade e uma vida cheia de fartura. O crisântemo branco tem relação com a verdade.

Begônia

Símbolo de felicidade, em ambientes fechados, pode levar mais serenidade para o local. Representa cordialidade e delicadeza, portanto, são ideais para deixar na sala ou próximo ao quarto. 

Girassol

Se cultivar um vasinho de girassol em casa, seu lar terá muito mais força. Essa flor também desperta a criatividade e é um tônico para elevar o astral de qualquer ambiente. A cor amarela de suas pétalas age como um estimulador da felicidade e otimismo. É um amuleto de boa sorte e auxilia nas boas vibrações do ambiente. 

Leia Também

Lírio

Atrai sorte, sucesso e o sentimento de segurança. Com flores chamativas e aroma irresistível, os lírios podem ser utilizados em simpatias e rituais. São conhecidos pela sua associação à pureza e inocência.

Lírio-da-paz

Eficaz na eliminação de pensamentos negativos e destrutivos, o lírio-da-paz te ajudará a passar pela fase da quarentena com muito mais calma. Ele também retira da casa as más energias e até as ondas eletromagnéticas dos aparelhos eletrônicos. 

Leia Também

Margarida

Quer mais romantismo e aconchego? Então cultive margaridas! Elas ampliam as vibrações do amor, da bondade e do afeto. Despertam as emoções da infância e trazem aquele sentimento bom dos tempos antigos. A flor branca representa a pureza do espírito e do corpo, por isso, traz leveza para a casa.

Orquídea

Para deixar a casa mais requintada, opte pelo cultivo da orquídea. Ela representa a fartura, força, sexualidade feminina e amor. Muito utilizada em decorações, algumas espécies já foram usadas para a produção de baunilha.

Flores roxas

Em geral, atraem sucesso com dinheiro. A cor roxa sempre teve relação com a nobreza, por isso, são consideradas elementos capazes de estimular a riqueza. Também alivia as tensões do espírito, auxilia o controle das emoções e sentimentos, provoca calmaria e confere a sensação de dignidade.  

Rosas: o poder escondido na delicadeza

Além de serem vistas como símbolo do romantismo e da pureza, quando utilizadas na decoração dos ambientes da casa, elas harmonizam as relações pessoais. O aroma das flores ajuda no combate de problemas de pele, dores de cabeça, depressão e o nervosismo.

Rosas cor-de-rosa

Mande para longe os problemas da relação cultivando essas rosas. Se precisar de uma ação imediata, deixe um vasinho ou uma única flor no quarto. Além da beleza que proporciona para a harmonização do ambiente, elas carregam consigo carinho e cumplicidade.

Rosas vermelhas

Para as dificuldades sexuais, as vibrações das rosas vermelhas podem aliviam a situação. O ideal é sempre manter suas flores cuidadas e saudáveis.

Rosas brancas

A proteção é o essencial para qualquer casa, não é? Afastar doenças, inveja, pessimismo e tudo que pode abalar a estrutura do lar é fundamental para o bom convívio dos moradores. As rosas brancas chamam pela paz, proteção e restauram a harmonia nos momentos de dificuldade.

Rosas amarelas

O sucesso e a criatividade têm terreno fértil na casa quando rosas amarelas são cultivadas nela. Essa espécia também levanta o astral do lugar e é grande aliada da esperança.

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana