AGRO & NEGÓCIO

Centro de Pesquisa em Genômica para Mudanças Climáticas abre vaga para bolsista de pós-doutorado em Genética Molecular

Publicados

em

A pessoa selecionada terá uma bolsa do CNPQ e ficará sediada na Unicamp, em Campinas (SP). O prazo para se inscrever termina em 15 de julho.

O Centro de Pesquisa em Genômica para Mudanças Climáticas (GCCRC), uma iniciativa da Embrapa e da Universidade Estadual (Unicamp), está contratando um(a) bolsista de pós-doutorado para pesquisar associação genômica ampla, visando identificar variações genéticas associadas à tolerância a estresses. O(A) candidato(a) selecionado(a) terá a oportunidade de publicar seus resultados científicos e interagir com cientistas e pesquisadores do Brasil e do exterior.

Pesquisadores interessados devem ter doutorado na área de genética, biologia molecular, melhoramento de plantas e áreas afins. Além disso, devem ter experiência e conhecimento avançados em genotipagem (SNP chip, GBS), estatística genética e genômica funcional.

Ainda é desejável que os candidatos tenham forte organização, comunicação, habilidade de trabalho em equipe, capacidade de solução de problema, trabalho orientado a resultados, capacidade de aprender e executar novos procedimentos, motivação pessoal, capacidade de autogestão e nível avançado de proficiência em inglês.

A pessoa selecionada ficará sediada no GCCRC, na Unicamp, em Campinas (SP), e terá como responsabilidade: gerar e analisar dados de marcadores SNPs para caracterização de diversidade genética em milho; analisar dados fenotípicos utilizando modelos mistos, estatística bayesiana; realizar análises de associação genômica ampla (GWAS) para identificar genes/alelos candidatos haplótipos e marcadores moleculares associados à tolerância a estresses; e realizar extração de DNA, PCR e sequenciamento.

A bolsa disponível é do CNPq no valor de R$ 4.100,00 por 12 meses, podendo ser renovada por mais 12 meses.

Para se candidatar o(a) interessado(a) deve enviar seu curriculum vitae, carta de apresentação e dois contatos de referência para [email protected] até 15 de julho de 2022.

Sobre o GCCRC

O GCCRC é uma iniciativa entre Embrapa e Unicamp – no âmbito do programa da FAPESP Centros de Pesquisa em Engenharia (CPEs) – para o desenvolvimento de plantas adaptadas aos estresses das mudanças climáticas globais. Sua plataforma de pesquisa envolve ferramentas de bioinformática, edição gênica, transformação, microbioma, fenotipagem, propriedade intelectual e assuntos regulatórios.

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
Propaganda

AGRO & NEGÓCIO

Workshop aborda experiências para Inovação Social na Amazônia

Publicados

em

Começou nesta terça-feira (28/6) o Workshop Inovação Social: Contribuições dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) na Amazônia, promovido pela Embrapa. O evento ocorre no período de 28,29 e 30 de junho, no auditório da Inspetoria Laura Vicuña, bairro Aleixo, em Manaus, AM. Mais de 80 pessoas participam do evento, que contará com palestras, rodas de conversas, exposições de experiências e a sistematização das inovações apresentadas por agricultores, pesquisadores e agentes sociais.

Na abertura do evento, o pesquisador Everton Cordeiro, chefe-geral da Embrapa Amazônia Ocidental, saudou os participantes manifestando satisfação pela realização do primeiro grande evento presencial após dois anos que assumiu o cargo. Disse que a grande missão da Embrapa é melhorar a qualidade de vida dos produtores rurais e enfatizou a importância das redes de relacionamentos para se alcançar objetivos.  

O coordenador do evento, Lindomar Silva, pesquisador da Embrapa, explicou que o Workshop tem por objetivo promover a troca de experiências, fazer uma escuta ativa e semear novas ideias. “O impacto que a gente espera é que o diálogo ativo entre pesquisadores, comunidades rurais, ribeirinhas, quilombolas e indígenas na construção de alternativas participativas, com a integração de diversas instituições e, também, tecnologias formuladas pela Embrapa”, comentou Lindomar.

A Embrapa possui 34 portfólios de projetos de pesquisa sendo um estratégico para a inovação social na agricultura com carteira de projetos. Os portfólios são instrumentos de apoio gerencial para organização de projetos em temas estratégicos, com a missão de direcionar a produção de soluções em pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) para demandas nacionais e suas interfaces com as demandas regionais.

A representante deste portfólio, pesquisadora da Embrapa, Christiane Amancio, mostrou como foi construída a agenda e as atividades em inovação social na Empresa. Segundo ela, o maior desafio é construir redes mais sólidas dessas comunidades e dar valorização ao patrimônio cultural alimentar local, como uma alternativa na diversificação da dieta.

Durante a abertura do evento, a representante da Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (Faepam), Liliane Valente, destacou sobre a importância das pesquisas voltadas para o fortalecimento e alcance das ODS e, sobretudo, a importância das iniciativas inovadoras que visam fortalecer o ecossistema local, promovendo no Amazonas o fomento à cultura empreendedora, à agricultura local e, principalmente às pesquisas.

“Como é importante para a Fapeam participar de um encontro como esse, que desperta vocações regionais, onde as comunidades e agricultores apresentam suas ações inovadoras construídas por eles próprios. Que os desafios apresentados possam transpassar pelos setores econômicos, políticos, sociais e ambientais”, acrescentou Liliane.

Durante o evento serão apresentadas  iniciativas de inovações disponibilizadas por instituições públicas e privadas, construídas por ações das próprias comunidades e agricultores que possuem potencial para contribuir para o alcance dos ODS, que são uma agenda mundial composta por 17 objetivos e 169 metas a serem atingidos até 2030, que estão diretamente relacionadas aos desafios ambientais, políticos e econômicos mais urgentes presentes no mundo contemporâneo.

Programação – O primeiro dia focalizou a experiência dos agricultores familiares, dando ênfase nas redes e parcerias. O segundo dia terá como foco a participação feminina e a inovação social em comunidades indígenas e tradicionais e o terceiro dia será dedicado às discussões e propostas das contribuições das instituições públicas para o alcance da inovação social na Amazônia.

Lançamento de livro – Na quarta-feira (29/6), às 19h, será lançado o livro “50 anos do Instituto de Pesquisa e Experimentação Agropecuária da Amazônia Ocidental (IPEAAOc)”, uma publicação comemorativa ao cinquentenário da criação do Instituto, instituição precursora da Embrapa no Amazonas, e relata os primórdios da pesquisa agropecuária no Amazonas. O Instituto existiu de 1969 a 1973 e promoveu várias ações de pesquisa, que focaram nos principais produtos amazônicos com alta demanda pela população e com grande potencial para gerar renda e emprego no meio rural: seringueira, guaranazeiro, juta e culturas alimentares, principalmente arroz, feijão e mandioca.

Apoio do evento – Para a realização do Workshop, a Embrapa contou com o patrocínio do Governo do Estado do Amazonas por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), via Programa de Apoio à Realização de Eventos Científicos e Tecnológicos no Estado do Amazonas (Parev – Edital n° 005/2021).Conta com apoio da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), Conselho Nacional de Segurança Alimentar (Consea), Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Rede de Recursos Humanos e Inteligência para Sustentabilidade na Amazônia (Rhisa) e da Coordenação dos Povos Indígenas de Manaus e Entorno (Copime).

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana