campos de julio

Campos de Júlio completa 26 anos com parcerias do Governo do Estado

Publicados

em

Campos de Júlio (554 ao oeste de Cuiabá) completa 26 anos de emancipação administrativa neste sábado (28.11). O Governo do Estado é parceiro do município, que é 17º em produção agrícola do país e o maior PIB per capita de Mato Grosso, no combate à pandemia da Covid-19 e mantém os repasses financeiros em dia.

Com 7.070 habitantes, o município recebeu da Secretaria de Estado de Saúde 575 testes rápidos para detecção do coronavírus e medicamentos para combatê-lo, num total de 25.221 comprimidos, entre azitromicina (3.101), ivermectina (2.481) e dipirona (19.639), também distribuído em gotas, com 482 frascos.

Entre janeiro e setembro deste ano, o Governo do Estado repassou R$ 19 milhões aos cofres municipais em ICMS, IPVA e Fethab, além de R$ 1 milhão em assistência social, transporte escolar e convênios na área de saúde, entre 2019 e julho de 2020.

Economia

Segundo dados do IBGE referentes a 2017, agropecuária, com R$ 524,14 milhões, e serviços (R$ 365,9 milhões) respondem por 71,9% do Produto Interno Bruto (PIB) municipal, avaliado em R$ 1,238 bilhão. Indústria (R$ 193,7 milhões), administração pública (R$ 61,29 milhões) e impostos (R$ 93,67 milhões) fecham a conta. O PIB per capita, maior do Estado, é de R$ 190.238,95.

Algodão, milho e soja, respectivamente 5º, 11º e 16º no ranking estadual de produção, são os carros chefes da agricultura municipal. Em 2019, segundo o IBGE, a produção de milho foi de 707,1 mil toneladas, de soja, 667,59 mil, e algodão em caroço, 255,9 mil, os três avaliados em R$ 1,457 bilhão, pouco abaixo do R$ 1,5 bilhão do valor total de sua produção agrícola, que conta ainda com arroz, cana-açúcar, feijão, girassol e sorgo.

Campos de Júlio é 6º maior produtor de algodão do país – Foto de Maike Toscano, Secom/MT 

Parte do milho e da cana de açúcar é utilizada como matéria-prima em uma usina de etanol localizada no município, que, segundo a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec/MT), conta ainda com três distribuidoras de insumos.

Na silvicultura, dados de 2019 registram uma área de seis mil hectares plantados, dos quais 5 mil destinados a eucalipto, e produção de 80 mil metros cúbicos de lenha. Já na pecuária, registram um rebanho bovino com 75.443 cabeças; galináceo 20,6 mil cabeças, das quais 9,7 mil galinhas; ovino, 2.101 cabeças; e suíno (2.035 cabeças, com 305 matrizes).

História

O nome é uma alusão ao próprio território onde está situado o município, cuja topografia é plana e as terras, férteis, próprias para a agricultura. Antes de ser colonizada, a área foi povoada pelos Nambikwara e Enawenê-nawê, que ainda consideram como sagrado parte deste território, por seus antepassados terem vivido na região.

O início da colonização foi na década de 1980, com a vinda de famílias sulistas. Formou-se um povoado, transformado em distrito em 1986 e elevado a município em 28 de novembro de 1994, desmembrado de Comodoro, de onde está distante 74 km, pela BR 364.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Propaganda

campos de julio

Justiça afasta presidente da Câmara de Vereadores

A decisão estabelece ainda a proibição de acesso às dependências do Legislativo e do Executivo.

Publicados

em

Por


Reprodução

martelo malhete juiz

Justiça afasta presidente da Câmara de Vereadores de Campos de Júlio

A Justiça acatou pedido da Promotoria de Justiça de Comodoro (a 644km de Cuiabá) e determinou o afastamento cautelar das funções do vereador Rodrigo Lemes de Paula, presidente da Câmara de Vereadores de Campos de Júlio (a 553km da Capital), durante a fase de instrução da ação civil pública proposta por atos de improbidade administrativa. A decisão estabelece ainda a proibição de acesso às dependências do Legislativo e do Executivo.

 

O pedido de afastamento cautelar foi apresentado pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPMT) em janeiro deste ano. “De início, no ato da propositura da presente ação de improbidade administrativa, não se vislumbrou a prática de ato e nem mesmo a existência de perigo concreto em face da respectiva instrução probatória, daí a falta de pedido cautelar de afastamento do vereador Rodrigo Lemes de Paula do cargo de presidente da Câmara de Campos de Júlio. Porém, tal situação mudou recentemente”, consideraram os promotores de Justiça Luiz Eduardo Martins Jacob Filho e Felipe Augusto Ribeiro de Oliveira.

 

Conforme a manifestação do MPMT, o servidor público Geraldo Ferreira Soares Junior, nomeado ao cargo de auditor público interno dos Poderes Executivo e Legislativo de Campos de Júlio, responsável pela auditoria que evidenciou os atos de improbidade administrativa denunciados na ACP, passou a sofrer “perseguições, retaliações e outras formas de abuso de autoridade” por parte do requerido Rodrigo Lemes de Paula.

 

“Ante este inaceitável cenário, no qual o acionado Rodrigo Lemes de Paula promove medidas retaliatórias desta estirpe, constrangendo frontalmente e usurpando ilegalmente as atribuições do servidor público Geraldo Ferreira Soares Junior, que é a principal testemunha a ser ouvida acerca da conduta ímproba em exame, torna-se urgente e necessário o seu imediato afastamento do cargo de presidente da Casa de Leis”, requereram os promotores de Justiça. Nenhum suspeito de cometer a chacina foi preso até o momento.

 

 

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana