CIDADES

Campanha Vacina Solidária é destacada em posse das primeiras damas

Publicados

em


A primeira-dama de Cuiabá, Márcia Pinheiro, participou da posse da nova diretoria da Associação para Desenvolvimento Social dos Municípios de Mato Grosso (APDM-MT) realizada, nesta terça-feira (13), na Associação dos Mato-grossense dos Municípios. Durante a atividade,  ela destacou a campanha Vacina Solidária, uma ação que merece ser fortalecida em Mato Grosso.

“Nós estamos participando da posse da nova diretoria dessa instituição tão importante para o desenvolvimento social de Mato Grosso. Parabenizamos a última gestão, na figura da Tayane Castro, que exerceu uma ótimo trabalho e nos colocamos à disposição da nova diretoria já levando a campanha Vacina Solidária como uma das contribuições à APDM para levarmos mais igualdade social aos mato-grossenses”, destacou Márcia. A campanha arrecadará nos postos de vacinação já instalados em Cuiabá (Sesi Papa, Universidade Federal de Mato Grosso, Sesi Balneário e Centro de Eventos Pantanal) alimentos para serem distribuídos às famílias afetadas pela pandemia. Cada pessoa a ser vacinada pode levar alimentos que serão distribuídos. 

Confira aqui também: Idealizada pela primeira-dama de Cuiabá, Campanha Vacina Solidária é replicada para cidades do interior

A presidente empossada para o biênio 2021/2023   trata-se de Scheila Pedroso, atual primeira-dama de Sinop e secretária de Assistência Social do município. Segundo ela, entre os objetivos da APDM, nesse primeiro momento, está o fortalecimento de campanhas para contribuir com o social dos municípios.

“Nós temos campanhas para os idosos, o Natal Solidário, o selo Unicef,  tudo para fortalecer a parceria com os municípios. A própria Vacina Solidária é importantíssima para os municípios. Cuiabá foi a primeira cidade do estado a lançar a campanha e Sinop irá aderir e trabalhar para que os outros municípios também possam somar,  porque é muito importante para política social do município nesse momento de pandemia”, destacou Scheila.

Entre os membros da nova diretoria está a secretária de Assistência Social, Direitos Humanos e da Pessoa com Deficiência de Cuiabá, Hellen Ferreira, que ocupa o cargo de secretária geral para os próximos dois anos. Segundo a gestora, a experiência à frente do social de Cuiabá, nesta pandemia, será fundamental para o desenvolver dos trabalhos da instituição nesse cenário ainda de crise sanitária.

 

“Cuiabá tem sido reconhecido pelo bom trabalho social durante a pandemia e isso com certeza nos fortalece para levar experiência, projetos e ideias e ajudar as pessoas a superarem essa pandemia e o viés social sem sombra de dúvidas é um dos pilares mais importante hoje nesse cenário pandêmico. A Vacina Solidária é um belo exemplo de ação que pode ser levada a todos os municípios”, frisou.

 

 

Fonte: AMM

Comentários Facebook
Propaganda

CIDADES

AMM defende mais orientação aos municípios para o retorno das aulas presenciais

Publicados

em


A organização de um planejamento para a retomada das atividades escolares de forma presencial nas unidades públicas e privadas foi o tema de uma reunião realizada nesta terça-feira (11), com a participação da Associação Mato-grossense dos Municípios – AMM e de outras instituições. A reunião foi provocada e conduzida pelo promotor de Justiça Miguel Slhessarenko Júnior, que ponderou sobre a necessidade de garantir o retorno de forma segura para os profissionais da educação e para os alunos.  

O presidente da AMM, Neurilan Fraga, disse que alguns municípios já retomaram as atividades, mas muitos ainda aguardam para definir o retorno. “Muitos estão na dependência do estado, aguardando orientação sobre os protocolos sanitários a serem adotados, além de adequação da infraestrutura para que possam receber a comunidade escolar e viabilizar o funcionamento das atividades pedagógicas”, frisou, destacando a importância do repasse do transporte escolar, necessário para o deslocamento de alunos das redes estadual e municipal.   

Fraga destacou, ainda, que é importante que haja uma  maior sintonia entre as secretarias de estado de Educação e Saúde com as correspondentes municipais para promover um maior entendimento sobre as medidas a serem adotadas pelas prefeituras. Sugeriu, ainda, a abertura de um canal direito e contínuo de comunicação entre os gestores municipais e representantes da Seduc e SES, inclusive aos finais de semana e feriados, visando a adoção de medidas emergenciais para atender os municípios, quando necessário.

O promotor de Justiça Miguel Slhessarenko Júnior disse que é importante a articulação das secretarias estaduais e municipais para o retorno das aulas, considerando os prejuízos causados por mais de um ano de paralisação devido à pandemia.  “Precisamos buscar o equilíbrio para o retorno. A preocupação é como retornar, que é uma discussão que deve ser enfrentada o quanto antes para não ter ainda mais prejuízo”, assinalou, ponderando que não existe ambiente 100% seguro, mas as escolas são ambientes controlados.

O secretário-adjunto da Secretaria de Estado de Educação, Amauri Fernandes, disse que a Seduc ainda não definiu uma data exata para o retorno das atividades, mas que a secretaria está trabalhando para preparar as unidades escolares e os profissionais para a retomada. “A Seduc tem feito o possível para preparar a volta às aulas. Não temos previsão exata, estamos acompanhando a situação epidemiológica para definir, mas temos um plano de retorno. Já temos profissionais alocados, todas as regras biossegurança definidas e escolas preparadas”, frisou.

O presidente da União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Eduardo da Silva, destacou o prejuízo causado pela paralisação das aulas e apresentou algumas dificuldades enfrentadas pelos municípios. “A vigilância mais acentuada é uma preocupação. Temos dificuldade de pessoal para fazer essa fiscalização nos municípios, que precisam de parcerias para fazer o trabalho”, destacou, acrescentando que o repasse insuficiente para o transporte escolar também se apresenta com um desafio para as prefeituras. 

O presidente do Conselho dos Secretários Municipais de Saúde de Mato Grosso – Cosems, Marco Felipe, acredita que é possível retomar as aulas seguindo medidas de controle sanitário.Temos a possibilidade de ter o retorno das aulas com todas as medidas de segurança. O prejuízo maior ocorre com as crianças fora da escola. Seria interessante padronizar os protocolos de biossegurança nos municípios”, frisou.

Participaram também da reunião o secretário-adjunto de Atenção e Vigilância da  Secretaria Estadual de Saúde, Juliano Melo,  o presidente do  Conselho Estadual de Educação, Gelson Menegatti Filho, o  presidente do  Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT), Valdeir Pereira, o presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, deputado estadual Wilson  Santos, entre outros.

Fonte: AMM

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana