CIDADES

Campanha Natal Solidário será lançada amanhã em parceria com entidades e municípios

Publicados

em


‘Fazer o bem é o que nos guia’, com este lema será lançada nesta terça-feira, a 8ª edição da campanha, com a adesão dos municípios e de entidades de classe. A campanha é promovida pelo Instituto Cometa de Cáceres, em parceria com a Associação Mato-grossense dos Municípios-AMM, Colegiado Estadual de Gestores Municipais da Assistência Social-Coegemas e a Associação para o Desenvolvimento Social dos Municípios de Mato Grosso-APDM.  O lançamento da campanha Natal Solidário será ás 14hs, de forma virtual, com transmissão pelo Zoom e também através do canal da APDM no Youtube.

O objetivo é arrecadar cerca de 600 toneladas de alimentos não perecíveis em todas regiões do Estado, para atender as comunidades em situação de vulnerabilidade. A cada quilo doado, a pessoa receberá um cupom com uma numeração específica para concorrer a 01 Carro HB20 Hyundai, 01 Motocicleta Honda CG 160, 01 Geladeira de 240 litros, 01 Fogão 5 bocas e 01 TV Smart de 50 polegadas, doados pelo Grupo Cometa. O sorteio será realizado através da loteria federal.

Conforme o calendário, terá o lançamento para todos os municípios e o período de arrecadação. O sorteio dos prêmios, será no dia 8 de dezembro e a distribuição das cestas básicas para as famílias, no dia 20 de dezembro. Em cada município, o gestor receberá um kit com as peças de publicidade para trabalhar in loco a campanha que visa a troca de cupons por cinco quilos de alimentos. A Ação consiste em mobilizar a sociedade local, os setores do comércio, indústria, entidades representativas de classes, religiosas e outros segmentos.

O fundador do Grupo Cometa, Francis Maris, explica que a campanha é fundamental para promover o bem estar social das famílias em situação de vulnerabilidade econômica e social. A cada ano, a campanha idealizada pelo instituto vem evoluindo, com as parcerias de entidades, clubes de serviços e empresas. “Já foram beneficiadas 250 mil pessoas, com 46 mil cestas básicas arrecadas. Nossa meta neste ano, é arrecadar 30 mil cestas e distribuir para 150 mil pessoas em todas as regiões do Estado. Uma paixão em servir, é o nosso lema”, argumenta. Vamos ajudar as famílias mais vulneráveis. Juntos com os parceiros, podemos fazer o Natal de milhares de famílias mais feliz em meio aos desafios dessa pandemia.

O presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios, Neurilan Fraga, destaca que a instituição está empenhada mobilização de todos os prefeitos e prefeitas, para a adesão da campanha, visando a arrecadação do maior número de cestas básicas. Ele frisa que neste momento de enfrentamento da pandemia da Covid-19, muitas famílias estão vivendo momentos difíceis e esperam receber ajuda. “Estamos buscando o engajamento dos municípios e também vamos trabalhar com a participação dos nossos colaboradores para a ação social do final do ano”, disse ele. Com a nossa solidariedade, podemos contribuir para que muitas famílias possam ter um Natal digno, com alimento na mesa. 

Para mais informação: Instituto Cometa (65) 2122-1010 – AMM (65) 2123.1200  –  Coegemas (65 ) 3644.1265  e APDM (65)  3644-2723 .

Fonte: AMM

Comentários Facebook
Propaganda

CIDADES

AMM defende mais orientação aos municípios para o retorno das aulas presenciais

Publicados

em


A organização de um planejamento para a retomada das atividades escolares de forma presencial nas unidades públicas e privadas foi o tema de uma reunião realizada nesta terça-feira (11), com a participação da Associação Mato-grossense dos Municípios – AMM e de outras instituições. A reunião foi provocada e conduzida pelo promotor de Justiça Miguel Slhessarenko Júnior, que ponderou sobre a necessidade de garantir o retorno de forma segura para os profissionais da educação e para os alunos.  

O presidente da AMM, Neurilan Fraga, disse que alguns municípios já retomaram as atividades, mas muitos ainda aguardam para definir o retorno. “Muitos estão na dependência do estado, aguardando orientação sobre os protocolos sanitários a serem adotados, além de adequação da infraestrutura para que possam receber a comunidade escolar e viabilizar o funcionamento das atividades pedagógicas”, frisou, destacando a importância do repasse do transporte escolar, necessário para o deslocamento de alunos das redes estadual e municipal.   

Fraga destacou, ainda, que é importante que haja uma  maior sintonia entre as secretarias de estado de Educação e Saúde com as correspondentes municipais para promover um maior entendimento sobre as medidas a serem adotadas pelas prefeituras. Sugeriu, ainda, a abertura de um canal direito e contínuo de comunicação entre os gestores municipais e representantes da Seduc e SES, inclusive aos finais de semana e feriados, visando a adoção de medidas emergenciais para atender os municípios, quando necessário.

O promotor de Justiça Miguel Slhessarenko Júnior disse que é importante a articulação das secretarias estaduais e municipais para o retorno das aulas, considerando os prejuízos causados por mais de um ano de paralisação devido à pandemia.  “Precisamos buscar o equilíbrio para o retorno. A preocupação é como retornar, que é uma discussão que deve ser enfrentada o quanto antes para não ter ainda mais prejuízo”, assinalou, ponderando que não existe ambiente 100% seguro, mas as escolas são ambientes controlados.

O secretário-adjunto da Secretaria de Estado de Educação, Amauri Fernandes, disse que a Seduc ainda não definiu uma data exata para o retorno das atividades, mas que a secretaria está trabalhando para preparar as unidades escolares e os profissionais para a retomada. “A Seduc tem feito o possível para preparar a volta às aulas. Não temos previsão exata, estamos acompanhando a situação epidemiológica para definir, mas temos um plano de retorno. Já temos profissionais alocados, todas as regras biossegurança definidas e escolas preparadas”, frisou.

O presidente da União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Eduardo da Silva, destacou o prejuízo causado pela paralisação das aulas e apresentou algumas dificuldades enfrentadas pelos municípios. “A vigilância mais acentuada é uma preocupação. Temos dificuldade de pessoal para fazer essa fiscalização nos municípios, que precisam de parcerias para fazer o trabalho”, destacou, acrescentando que o repasse insuficiente para o transporte escolar também se apresenta com um desafio para as prefeituras. 

O presidente do Conselho dos Secretários Municipais de Saúde de Mato Grosso – Cosems, Marco Felipe, acredita que é possível retomar as aulas seguindo medidas de controle sanitário.Temos a possibilidade de ter o retorno das aulas com todas as medidas de segurança. O prejuízo maior ocorre com as crianças fora da escola. Seria interessante padronizar os protocolos de biossegurança nos municípios”, frisou.

Participaram também da reunião o secretário-adjunto de Atenção e Vigilância da  Secretaria Estadual de Saúde, Juliano Melo,  o presidente do  Conselho Estadual de Educação, Gelson Menegatti Filho, o  presidente do  Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT), Valdeir Pereira, o presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, deputado estadual Wilson  Santos, entre outros.

Fonte: AMM

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana