economia

Caminhoneiros do Espírito Santo anunciam greve após reajuste do diesel

Publicados

em

source
Caminhoneiros do Espírito Santo anunciam greve após reajuste do diesel
Antonio Cruz/Agência Brasil

Caminhoneiros do Espírito Santo anunciam greve após reajuste do diesel

O Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens do Espírito Santo (Sindicam-ES) anunciou ontem que a categoria entraria em greve a partir da madrugada desta quarta-feira (11) após o aumento do preço do diesel. A Petrobras  reajustou em 8,87% o valor do combustível das refinarias, que passou de R$ 4,51 para R$ 4,91 por litro.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia

O último reajuste havia sido feito pela petroleira no dia 11 de março, quando o diesel sofreu alta de 24,9%, passando de R$ 3,61 para R$ 4,51 para as distribuidoras. Até agora, o Espiríto Santo é o único estado a registrar paralisações. 

“O Sindicam-ES, ACA e Coopercolog, juntamente aos representantes dos caçambeiros, apoiam esse movimento. Entendemos que a situação dos autônomos ficou insustentável depois de tantos reajustes, seja no preço do diesel ou dos insumos que compõem o dia a dia do caminhoneiro”, diz o sindicato.

Também nesta terça, o presidente da Abrava (Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores) e um dos líderes da greve dos caminhoneiros de 2018, Wallace Landim, mais conhecido como Chorão, divulgou um vídeo  em que demonstra insatisfação com os reajustes.

“Não podemos ficar quietos. Eu conheço e sei o que vai impactar na mesa do trabalhador no final, na prateleira. Na última fala do presidente ficou bem claro, que ele começou a entender que ele precisa realmente mexer no Preço de Paridade de importação. Uma estatal que teve um lucro de 3.400% no trimestre”, declarou.

“Como brasileiro, eu preciso deixar muito bem claro para vocês: eu não sou da esquerda e nem da direita, eu sou brasileiro e caminhoneiro. Como brasileiro, nós precisamos fazer alguma coisa”.

Comentários Facebook
Propaganda

economia

Aneel mantém bandeira tarifária verde para julho

Publicados

em

source
Hoje, há 212 localidades isoladas do SIN, com consumo energético abaixo de 1%
Agência Brasil

Hoje, há 212 localidades isoladas do SIN, com consumo energético abaixo de 1%

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu acionar a bandeira verde no mês de junho para todos os consumidores conectados ao Sistema Interligado Nacional (SIN). De acordo com a agência, dessa forma, não haverá cobrança extra na conta de luz no próximo mês.

É o segundo anúncio de bandeira verde realizado pela Aneel desde o fim da Bandeira Escassez Hídrica , que durou de setembro de 2021 até meados de abril deste ano. Em maio, a agência já havia acionado a bandeira verde . Segundo a Aneel, na ocasião, a bandeira verde foi escolhida devido às condições favoráveis de geração de energia.

Criadas em 2015 pela Aneel, as bandeiras tarifárias refletem os custos variáveis da geração de energia elétrica. Divididas em níveis, as bandeiras indicam quanto está custando para o SIN gerar a energia usada nas casas, em estabelecimentos comerciais e nas indústrias.

Quando a conta de luz é calculada pela bandeira verde, significa que a conta não sofre qualquer acréscimo. Quando são aplicadas as bandeiras vermelha ou amarela, a conta sofre um acréscimos, que variam de R$ 1,874 por 100 quilowatt-hora (kWh) consumido a 9,492 por 100 kWh.

O Sistema Interligado Nacional é dividido em quatro subsistemas: Sudeste/Centro-Oeste, Sul, Nordeste e Norte. Praticamente todo o país é coberto pelo SIN. A exceção são algumas partes de estados da Região Norte e de Mato Grosso, além de todo o estado de Roraima.

Atualmente, há 212 localidades isoladas do SIN, nas quais o consumo é baixo e representa menos de 1% da carga total do país. A demanda por energia nessas regiões é suprida, principalmente, por térmicas a óleo diesel.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana