economia

Câmara recupera proposta que amplia tabela do Simples Nacional

Publicados

em

source
Arrecadação pode mudar com nova tabela do Simples
Reprodução

Arrecadação pode mudar com nova tabela do Simples

A Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (4) um requerimento para realizar um audiência pública para debater o projeto de lei complementar (PLP) que amplia a tabela do Simples Nacional, regime simplificado de impostos.

O requerimento, de autoria do deputado Marco Bertaiolli (PSD-SP), presidente da CTF, prevê a realização de uma audiência pública para debater o PLP 108/2021. O projeto visa ampliar o enquadramento como Microempreendedor Individual (MEI) de pessoa com receita bruta anual igual ou inferior a R$ 81 mil para R$ 130 mil. Além disso, o MEI também poderia ter até dois funcionários – hoje, o limite é de um.

Bertaiolli afirmou, durante audiência nesta quarta, que é necessário atualizar, além do MEI, toda a tabela do Simples para pequenas empresas. O teto para Empresas de Pequeno Porte (EPP), por exemplo, iria de R$ 4,8 milhões para R$ 8,7 milhões.

Segundo o presidente da CFT, a medida “não aumenta um real”, mas apenas aplica o IPCA sobre os valores que foram definidos ainda em 2008 e, desde então, não foram corretamente reajustados.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia

Bertaiolli também disse aos colegas deputados que eles devem se antecipar, já que a proposta deve enfrentar oposição da Receita Federal, do Ministério da Economia e dos estados, já que pode reduzir a arrecadação de impostos. Para o presidente da comissão, essa diminuição não deve existir na prática.

“A Receita diz que isso é abrir mão de arrecadação. Mas nós precisamos ir para o Brasil real: essa arrecadação não existe e não existirá. O proprietário da pequena empresa, quando ele vê que o limite dele vai estourar no final do ano, primeiro, ele para de faturar, para de vender; e segundo, ele abre uma segunda ou terceira microempresa. Não tem jeito, essa é a verdade. Não é que o cara estourou e montou uma empresa no lucro presumido e está pagando; ele fatiou em várias microempresas”, argumentou.

Para ele, a atualização dos valores “é justa” e “vai gerar empregos”. O requerimento para a audiência pública foi aceito pela CFT, e a discussão deve acontecer nas próximas semanas. Representantes no Ministério da Economia, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), da Associação Comercial de São Paulo e da Confederação Nacional do Comércio (CNC) devem ser convidados a participarem da audiência.

Comentários Facebook
Propaganda

economia

Governo quer acabar com o IPI, diz Guedes

Publicados

em

Ministro da Economia, Paulo Guedes
Lorena Amaro

Ministro da Economia, Paulo Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, voltou a dizer nesta terça-feira, 28, que o governo quer acabar com o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), tributo que, para Guedes, “desindustrializou” o País. “Vamos continuar reduzindo, ir para zero”, afirmou o ministro durante palestra de abertura do Painel Telebrasil 2022. “O IPI é regressivo, desindustrializa o Brasil”, continuou.

Guedes também voltou a dizer que o “barulho” no cenário internacional será “ensurdecedor”, em referência à crise econômica. “Vamos ver uma inflação alta nos Estados Unidos e Europa e pode haver uma recessão”.

O ministro defendeu, novamente, por sua vez, que o Brasil vive um movimento distinto desses países. “Tem que pensar que a economia brasileira é um corpo enorme, é uma das economias mais fechadas do mundo”, disse Guedes, citando que o aumento de produtividade “é a coisa mais importante” para aumentar salários e emprego.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Fonte: IG ECONOMIA

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana