POLÍCIA

Cachorro desenterra corpo de bebê no quintal de casa em Mato Grosso

Publicados

em

 

 

source
Cachorro desenterrou corpo de bebê em quintal de casa no MT
Divulgação

Cachorro desenterrou corpo de bebê em quintal de casa no MT

Um cachorro desenterrou o cadáver de um bebê de quatro meses do quintal de uma casa no bairro Benjamin Raiser, em Sorriso, no norte do Mato Grosso, nesta segunda-feira (17). Segundo a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), o corpo da criança já estava em estado avançado de decomposição e tinha alguns membros cortados. As informações são do portal G1 .

De acordo com a publicação, a principal suspeita do crime é a mãe , que fugiu do local. Uma das mulheres que moram na casa, que preferiu não se identificar, disse que havia alugado a casa com uma amiga, mas depois deixou o imóvel. Essa amiga, então, passou a dividir o local com uma terceira pessoa, que seria a mãe da criança .

A testemunha relatou que voltou à casa para buscar alguns pertences e, quando chegou no local, encontrou o imóvel trancado e o corpo da criança no chão. A mulher acredita que o cadáver tenha sido desenterrado pelo cachorro da casa.

Segundo o perito Rogério Koser, a casa estava bagunçada e o corpo foi levado, mas uma busca ainda será realizada para encontrar os membros do bebê que foram cortados. Ele disse que o crime pode ter acontecido há cerca de três ou quatro dias.

Além disso, a Polícia Civil do município tenta localizar os pais da criança.

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍCIA

Autor de feminicídio diz que levou notebook de vítima para ver mensagens

Publicados

em

(Imagem meramente ilustrativa)

Por Raquel Teixeira

Em depoimento nesta quinta-feira (17.06) à equipe da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa de Cuiabá, o autor do feminicídio que vitimou Dennilla Cris Dantas Barbosa, 19 anos, ocorrido em Araputanga no dia 16 de junho, deu detalhes de como cometeu o crime e admitiu que matou a garota por ciúmes.

O estudante de odontologia de 24 anos, natural de Fortaleza (CE), foi preso por uma equipe da DHPP, que realizou diligências em apoio à Delegacia da Polícia Civil em Araputanga. Ele foi localizado nas dependências de um centro de comércio popular, no bairro do Porto, em Cuiabá, na manhã desta quinta-feira, onde fazia compras logo depois de ter cortado o cabelo.

No local, ele também comercializou em uma das bancas do centro comercial, o notebook que havia dado de presente à vítima na ocasião do relacionamento entre ambos e que levou dela após cometer o crime.

Durante depoimento na sede da DHPP, na Capital, ao delegado Caio Fernando Albuquerque, o estudante confessou o crime e disse que em razão do término do relacionamento com a vítima e querendo entender o motivo e conversar com Dennila, ele resolveu vir a Mato Grosso. Ele estava em Araputanga desde a segunda-feira, mas disse que somente na quarta-feira é que ‘tomou coragem’ de procurá-la. Antes porém, foi até um supermercado da cidade, onde fez compras, inclusive de uma faca, a que usou para cometer o crime. Ele alegou que tinha o “costume” de andar com uma faca à noite, para sua defesa.

Ainda em depoimento, o autor do crime relatou que a vítima não o esperava e após ambos conversarem “normalmente”, ele aproveitou-se do instante em que ela foi ao banheiro e olhou o computador da vítima, onde afirma ter visto conversas de Dennila com outra pessoa. Nesse momento, ele afirmou ao delegado que ficou ‘cego’ e atacou a vítima. Em seguida, se lavou, mas deixou a residência com sangue nas vestes e no próprio corpo. Ele alega que levou o computador para que continuasse a leitura das mensagens.

Após o procedimento na DHPP, o estudante foi autuado em flagrante por homicídio qualificado por motivo fútil, emprego de meio cruel, recurso que impossibilitou a defesa e por ser praticado contra mulher em situação de violência doméstica, caraterizando feminicídio. O delegado representou à Justiça pela conversão do flagrante em prisão preventiva.

Ele será recambiado para Araputanga e ouvido no inquérito instaurado pela Polícia Civil no município.

Crime

Dennila foi encontrada pela mãe no chão do quarto de sua residência, no centro de Araputanga, na quarta-feira. O corpo apresentava golpes causados por objeto cortante na região do pescoço e no braço direito. Uma faca foi encontrada na mão direita da vítima, além de uma carta que teria sido escrita no computador dela, indicando que a garota teria cometido um possível suicídio.

De acordo com o delegado de Araputanga, Herbert Yuri Figueiredo Rezende, o estudante de odontologia cometeu o crime por não aceitar o término do relacionamento.

A Polícia Civil em Araputanga apurou que depois de cometer o crime, o estudante cearense percorreu a cidade à procura de uma corrida de mototáxi para a cidade vizinha, São José dos Quatro Marcos. No hotel em que se hospedou em Araputanga, ele apresentou um nome falso. Depois de pegar uma mototáxi até a cidade vizinha, ele fez um saque em uma agência bancária, pagou a corrida e depois foi para a rodoviária, onde pegou um ônibus para Cuiabá. A investigação da Delegacia de Araputanga iniciada ainda na tarde em que o corpo da vítima foi encontrado por sua mãe apontou que objetos pessoais da vítima haviam desaparecido da casa, como o notebook e uma mesa digital de desenho. A mãe de Dennila também reconheceu o ex-namorado da filha como o homem que havia se hospedado com nome falso no hotel da cidade.

Prisão de receptadores

Na manhã desta sexta-feira (18), policiais da Delegacia de Roubos e Furtos de Cuiabá, em apoio às investigações sobre o feminicídio, prenderam duas pessoas que compraram do autor do feminicídio o notebook que ele roubou da vítima.

A equipe da DERF realizou diligências no centro de comércio popular, no bairro do Porto, para localizar a banca onde o notebook foi vendido. Os investigadores encontraram o aparelho já exposto para venda e ao questionar o proprietário do local, o homem de 52 anos informou que o aparelho foi comprado no dia anterior e reconheceu o estudante de odontologia como a pessoa que levou o notebook.

O dono da banca disse ainda que foi pago R$ 1.300,00 pelo notebook, porém, quem fez a negociação foi seu funcionário, que confirmou as informações. Os dois foram conduzidos à delegacia especializada, onde foram autuados por receptação.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana