BRASIL E MUNDO

Bruno Covas é extubado após apresentar melhoras em sangramento no estômago

Publicados

em


source
Apesar de extubado, Covas segue na UTI do hospital Sírio Libanês, em SP
André Bueno/Câmara Municipal de São Paulo

Apesar de extubado, Covas segue na UTI do hospital Sírio Libanês, em SP

O prefeito licenciado de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), apresentou melhora em  seu sangramento no estômago e foi extubado no início da noite desta segunda-feira (5). Segundo informações do G1, o tucano continua internado em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no hospital Sírio Libanês, na capital paulista.

Covas foi transferido para a UTI nesta segunda-feira e, pouco depois, intubado após apresentar sangramento causado por uma úlcera em cima do tumor na cárdia – passagem do esôfago para o estômago. De acordo com David Uip, um dos profissionais que acompanham o quadro do prefeito, o sangramento foi controlado pelo endoscopista.

Os médicos afirmam que esse tipo de sangramento não é desejável, mas faz parte de um quadro de tratamento pelo qual passa o prefeito. Ainda segundo os médicos, Covas não deve realizar, nos próximos dias, as sessões de quimioterapia e imunoterapia que estavam previstas.

A intubação, segundo um dos profissionais, foi feita para proteger as vias aéreas e evitar alguma laceração no momento da endoscopia.

Comentários Facebook
Propaganda

BRASIL E MUNDO

Polícia não pode julgar quem vive e morre, diz diretora da Anistia Internacional

Publicados

em


source
Jurema Wernek, ativista e diretora-executiva da Anistia Internacional Brasil
Reprodução

Jurema Wernek, ativista e diretora-executiva da Anistia Internacional Brasil

A ativista e diretora-executiva da Anistia Internacional Brasil, Jurema Werneck, falou nesta segunda-feira (17) sobre a operação policial que deixou 29 mortos no bairro do Jacarezinho, no Rio.  Werneck criticou a operação e afirmou que “polícia nenhuma tem autorização para decidir quem vive e quem morre”.

“Se trata de uma chacina porque são muitas pessoas mortas, atacadas, traumatizadas e com sequelas que vão durar a vida toda. O país vai viver com essa marca de que policiais entraram na comunidade, nas casas, no quarto de crianças e mataram brasileiros e brasileiras. Mataram jovens, gente que tem uma vida pela frente”, disse Jurema no Roda Viva , da TV Cultura .

Segundo a ativista, existe uma ‘falência’ da promessa da segurança pública no Brasil, em especial no Rio de Janeiro. Ela diz que as forças de segurança querem “quase uma carta branca” para as suas ações.

“Essas ações que, nos últimos 30 anos, têm sido denunciadas como pouco inteligentes, truculentas e violadoras de direitos humanos (…) existe um profundo desprezo pela vida das pessoas que moram nas favelas, nas periferias, pela vida de pessoas negras”, disse Jurema. 

A ativista reforçou que a truculência das forças de segurança só fazem aumentar os índices de violência no Brasil. Segundo ela, a solução passa pelo respeito aos direitos humanos. “Que inclui saúde, educação, moradia, cultura, trabalho… é pela vida digna.”

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana