Saúde

Brasil vai buscar 2 milhões de doses de vacina na Índia

Publicado


Uma missão coordenada pelo Ministério da Saúde vai até a Índia para buscar dois milhões de doses da vacina contra a covid-19 desenvolvida pelo consórcio da farmacêutica britânica AstraZeneca e da Universidade de Oxford. O lote foi fabricado pelo laboratório indiano Serum.

A missão sai amanhã (14) em um avião que parte da cidade do Recife e fará uma viagem de 15 horas de duração até a cidade indiana de Mumbai. A aeronave deve retornar ao Brasil no sábado (16). A chegada será no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro.

Segundo o Ministério da Saúde, os documentos de importação já estão prontos. O procedimento compreenderá apenas a chegada ao país e o carregamento das doses. A carga está estimada em 15 toneladas.

A distribuição da vacina, contudo, só poderá ocorrer após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) dar a autorização em caráter emergencial. O órgão avalia o pedido feito pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que firmou parceria com a AstraZeneca e a Universidade de Oxford.

A Anvisa informou que a reunião para tomada da decisão sobre a concessão ou não da autorização em caráter emergencial está prevista para este domingo (17). A agência também decidirá sobre a solicitação feita pelo Instituto Butantan.

Caso a Anvisa dê a autorização, a previsão do Ministério da Saúde é que em até cinco dias as vacinas sejam distribuídas aos estados. Para além das duas milhões de doses da vacina da AstraZeneca, o governo informou que estariam disponíveis também, caso a Anvisa permita, mais seis milhões de doses da vacina CoronaVac, do Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.

Edição: Fernando Fraga

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
publicidade

Saúde

Doria diz: SP vai receber 60 bebês prematuros que estão sem oxigênio em Manaus

Publicado


source
oxigênio
Reprodução: BBC News Brasil

Coronavírus: governo do Amazonas requisita oxigênio de 11 indústrias para suprir hospitais em colapso

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou que vai atender ao apelo do governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), de que  60 bebês prematuros e mães amazonenses que estão sem oxigênio sejam transferidos para outros estados por causa do colapso na saúde pública no estado do norte do país .

Doria atribuiu ao governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a falta de insumos para o tratamento dos bebês e pacientes graves infectados pela Covid-19 na capital Manaus. O governador disse que a crise de saúde no estado é fruto da  “irresponsabilidade” de Bolsonaro .

Você viu?

“Acabo de falar com o secretário da Saúde, São Paulo atenderá integralmente estes 60 bebês e já pedi a ele para ao término da coletiva falar com o secretário de Saúde do Estado do Amazonas. Nós acolheremos todos os bebês que puderem ser transportados para São Paulo. Gente é o fim do mundo . Para quem é pai e quem mãe não ter oxigênio para bebê, é uma irresponsabilidade do governo Bolsonaro. Me choca isso como brasileiro”, disse Doria batendo o celular no púlpito.

O governador de São Paulo recebeu a informação sobre a falta de oxigênio para prematuros durante a coletiva de imprensa no Palácio do Bandeirantes, na tarde desta sexta-feira (15). Ele leu uma publicação feita pela jornalista Daniela Lima, da CNN Brasil, no Twitter em que ela relata o apelo do governador Wilson Lima. 

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana