POLÍTICA NACIONAL

Bolsonaro se encontra com Sarney e tenta diálogo com partido de Calheiros

Publicados

em


source
Bolsonaro e Sarney se encontraram na última terça-feira (27)
Bolsonaro e Sarney

Bolsonaro e Sarney se encontraram na última terça-feira (27)

Pressionado pela instalação da CPI da Covid , Bolsonaro tem tentado se reaproximar do MDB, partido do qual faz parte o relator da comissão, Renan Calheiros. Na terça-feira (27), o presidente se reuniu com José Sarney, atendendo a apelos de seus aliados. As informações são do G1.

Antes, o presidente já havia ligado para o filho de Calheiros. Segundo Eduardo Braga, líder do MDB no Senado, os movimentos de Bolsonaro foram tentativas de “quebrar o gelo e abrir um canal de interlocução com o partido”.

Braga afirmou, ainda, que as tentativas de Bolsonaro por enquanto não convenceram a cúpula do partido.

Renan Calheiros disse, nesta sexta (30), em entrevista à Globonews,  que os sinais de Bolsonaro são contraditórios  – ora quer embate, ora tenta diálogo.

“Acho que são sinais trocados, evidentemente. Mas essa conversa com o presidente Sarney, o telefonema para o governador de AL são simbólicos também e demonstram, por outro lado, a possibilidade de que essa CPI avance com absoluta isenção”, disse.

“Agora não sou mais o relator do presidente Omar Aziz, sou o relator da CPI, depois de duas decisões da Justiça, uma do STF, nunca tivemos dúvida com relação a isso porque a jurisprudência da suprema corte era farta com relação a isso”, prosseguiu.

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Ataques de Bolsonaro à imprensa aumentaram 74% no 1º semestre de 2021, diz ONG

Publicados

em


source
Presidente Jair Bolsonaro
Reprodução: ACidade ON

Presidente Jair Bolsonaro

RIO — Durante os primeiros seis meses de 2021 o número de ataques do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) contra a imprensa aumentou 74% em relação ao segundo semestre de 2020. É o que aponta o novo relatório sobre as violações contra a atividade jornalística da organização internacional Repórteres sem Fronteiras (RSF).

A RSF observou uma intensificação dos ataques feitos pelo chefe do Executivo e registrou ao menos 87 ofensivas — um aumento de 74% em relação aos 50 ataques identificados nos primeiros seis meses de 2020.

Além disso, a entidade registrou 331 ataques contra profissionais e veículos jornalísticos no mesmo período que partiram do presidente, seus filhos e membros do atual governo — grupo chamado de “sistema Bolsonaro” pelo relatório. O registro de 2021 representa alta de 5,4% frente aos 314 observados em 2020.

Nesse entorno do presidente, também atacam de forma recorrente a imprensa os três filhos políticos do presidente: o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), com 85 ataques; o vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), com 83; e o senador Flávio Bolsonaro (Patriotas-RJ), com 38.

Completa o ranking dos cinco agressores mais frequentes do jornalismo brasileiro no primeiro semestre de 2021 o ministro Onyx Lorenzoni (DEM-RS), com 18 ataques.

Você viu?

O relatório cita alguns exemplos das declarações consideradas como ataques contra a imprensa. Uma delas foi quando o presidente mandou jornalistas “enfiar as latas de leite condensado no rabo”, quando questionado sobre a polêmica de gastos públicos do governo federal.

Em outra ocasião, Bolsonaro insultou uma jornalista da TV Vanguarda, afiliada da Rede Globo, que o questionou sobre ele não estar usando máscara ao chegar ao local de sua visita: “Cala a boca (…) a Globo é imprensa de merda, imprensa podre”, gritou o presidente.

Em julho, a RSF inclui o presidente em sua galeria de “predadores da liberdade de imprensa” ao lado de nomes como o venezuelano Nicolás Maduro e Viktor Orbán da Hungria.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana