Saúde

Bolsonaro participa de inauguração de hospital em Goiás

Publicado


.

Será inaugurado hoje (5), às 8h30, o Hospital de Campanha (HCamp) de Águas Lindas (GO), para atender exclusivamente casos suspeitos ou confirmados de covid-19 na região do Entorno do Distrito Federal. Águas Lindas fica a cerca de 50 quilômetros de Brasília.

O presidente Jair Bolsonaro e o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, devem participar da cerimônia.

Acompanhe a transmissão da cerimônia ao vivo:

A unidade terá 200 leitos de internação, dos quais 190 de enfermaria e 10 de UTI, com rede de gás instalada. Essa rede, os geradores elétricos e camas foram adquiridos com recursos do Ministério da Saúde. Segundo a Secretaria de Saúde de Goiás, a estrutura permite ampliar o número de leitos de UTI conforme a necessidade.

O governo federal também será responsável pelo aluguel e a manutenção da estrutura física do hospital.

A unidade foi construído pelo governo federal, ao custo de R$ 10 milhões, e será mantido pelo governo de Goiás, que custeará insumos e equipes, com total de 263 colaboradores diretos – que incluem 45 médicos, 85 enfermeiros e técnicos em enfermagem, 23 fisioterapeutas, além de farmacêuticos, psicólogos e nutricionistas.

A Secretaria de Saúde informa que já enviou dez ventiladores pulmonares para a unidade, onde estão instalados monitores multiparamétricos para verificação dos sinais vitais dos pacientes graves. O hospital de campanha dispõe de tomógrafo computadorizado e laboratório clínico para a realização de exames (análise clínica completa).

O acordo de cooperação entre os governos federal e de Goiás prevê o funcionamento do HCamp por quatro meses, podendo ser prorrogado. A assinatura do acordo é de 22 de maio. Inicialmente, a estimativa era de que as obras do hospital fossem concluídas em abril.

Edição: Graça Adjuto

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
publicidade

Saúde

MP prende ex-secretário de Saúde do Rio Edmar Santos

Publicado


.

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) prendeu hoje (10) o ex-secretário estadual de Saúde fluminense Edmar Santos. Ele é suspeito de integrar uma organização criminosa que fraudou contratos de compra de respiradores pulmonares, que são usados em pacientes com covid-19.

De acordo com o MP, ele foi preso em sua casa, em Botafogo, na zona sul da cidade. Também estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão em outra casa do ex-secretário, em Itaipava, na região serrana do Rio de Janeiro.

A ação de hoje é um desdobramento da Operação Mercadores do Caos, sobre fraudes em contratos da Secretaria Estadual de Saúde, que já tinha resultado na prisão do ex-subsecretário executivo Gabriell Neves, no início de maio deste ano.

Dias depois da prisão de Neves, ainda em maio, Edmar Santos foi exonerado do cargo de secretário estadual de Saúde.

De acordo com o MPRJ, também foi obtido junto à Justiça o arresto de R$ 36,9 milhões em bens de Edmar Santos, que seria o valor desviado em três contratos para a compra dos equipamentos médicos.

Segundo o MPRJ, Edmar Santos atuou de forma consciente, “em comunhão de ações e desígnios” com Neves e outros investigados na primeira fase da operação Mercadores do Caos, para desviar recursos públicos destinados à compra de ventiladores pulmonares.

Para o MPRJ, em liberdade, Edmar ainda pode adotar condutas para dificultar mais o rastreamento das verbas públicas desviadas, bem como destruir provas e até mesmo ameaçar testemunhas.

O ex-secretário responderá por organização criminosa e peculato, que é apropriar-se de bens ou recursos públicos em função de seu cargo.

Edição: Valéria Aguiar

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana