Saúde

Bolsonaro diz que Queiroga estuda rebaixar pandemia para endemia

Publicados

em


source
 Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, ao lado do presidente Jair Bolsonaro (PL)
Reprodução

Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, ao lado do presidente Jair Bolsonaro (PL)

Nesta quinta-feira (3), o presidente Jair Bolsonaro (PL) disse que o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, estuda reclassificar a pandemia de Covid-19 como endemia no Brasil .

“Em virtude da melhora do cenário epidemiológico e de acordo com o § 2° do Art. 1° da Lei 13.979/2020, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, estuda rebaixar para ENDEMIA a atual situação da COVID-19 no Brasil”, escreveu Bolsonaro em publicação nas redes sociais.




Sem especificar critérios ou quando a medida deve entrar em vigor, Queiroga já havia dito na última semana que a pasta podia adotar o termo endemia em breve.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a pandemia é uma doença de nível mundial, que já se disseminou em diversos países e continentes. Já a endemia, é recorrente em uma só região, sem um aumento significativo no número de casos, permitindo que a população conviva com ela, como a dengue no Brasil.

Sem especificar critérios ou quando a medida deve entrar em vigor, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou na terça-feira (22) que a pasta pode reclassificar a covid-19 de pandemia para endemia em breve.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a pandemia é uma doença de nível mundial, que já se disseminou em diversos países e continentes. A  endemia, por outro lado, é recorrente em uma só região , sem um aumento significativo no número de casos, permitindo que a população conviva com ela, como a dengue no Brasil.

Leia Também

Em entrevista ao iG , o diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), Dr. Renato Kfouri, disse que esse tipo de reclassificação deve ser feita pela própria OMS, e não pode cada nação separadamente , como sugerido pelo mandatário e pelo ministro. “[Um país] Pode classificar [uma doença] como emergência de saúde ou não, mas quem declara a pandemia ou suspende a pandemia é a OMS, ou somente ela”, explicou.

De acordo com ele, uma doença deixa de ser pandêmica quando se tem uma letalidade muito baixa, “seja pela vacina, pela mudança no vírus ou por ter infectado muita gente”. “Nenhuma doença com 800 mortes por dia pode ser cogitada como endêmica”, acrescentou.

Nessa quarta-feira (2), o país contabilizou 370 óbitos e 30.995 casos de covid-19 . As estatísticas, porém, apareceram um pouco abaixo do patamar recente em virtude do feriado de Carnaval, já que as secretarias de saúde não funcionam.

Desta forma, o total de óbitos confirmados em todo o Brasil desde o início da pandemia atingiu a marca de 650.000. Em relação aos resultados positivos em todo o período, já são 28.842.160.


A OMS caracterizou como pandemia a emergência sanitária em decorrência da Covid-19 em março de 2020.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.


Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Propaganda

Saúde

Úvula: função, tipos, cuidados e tratamentos

Publicados

em

Médico examina a garganta do paciente otorrinolaringologista fazendo exame de garganta
Freepik/stefamerpik

Médico examina a garganta do paciente otorrinolaringologista fazendo exame de garganta

A úvula é o “sininho” que temos na entrada da garganta. Aquela parte molinha que fica lá no fundo da boca. Ela é formada de músculos, tecidos conjuntivos e mucosa; e está localizada próxima às amígdalas no palato mole.

Qual a função

  • auxilia na deglutição: essa estrutura se move para cima quando engolimos algo, impedindo que os pedaços de comida acabem entrando na cavidade nasal;
  • auxilia na fala: a úvula é conectada à emissão de sons, pois ajuda a articular cada fonema, formando as palavras que desejamos;
  • previne engasgamentos: ela gera a sensação de náuseas quando tentamos engolir algo que não foi bem mastigado, fazendo com que nenhum desses pedaços fique preso no meio do caminho para o estômago.

Alguns problemas que começam na Úvula

UVULITE

  • Esse é a doença na úvula mais comum, pois trata-se de uma infecção nessa área. Além da contaminação por bactérias ou germes, pode ser causada por alergias e até lesões na região. Os sintomas mais comuns nesses casos é o inchaço, vermelhidão, irritação na garganta e dor .

ÚVULA ALONGADA

  • O alongamento da úvula é quando essa estrutura tem seu tamanho maior que o normal, o que gera a obstrução do fluxo de ar. Essa condição é um dos fatores que causa a Apneia do Sono, um distúrbio que atrapalha a respiração durante o período que está adormecido e gera o ronco 

ÚVULA BÍFIDA

  • A úvula bífida é um problema que está na mesma categoria que a fenda palatina e o lábio leporino. Ela ocorre quando os tecidos do palato mole não conseguem se encontrar no meio do “céu da boca” para formar a úvula corretamente. Dessa forma, fica ali uma abertura na região que deveria ser como o filtro na parte de deglutição.
  • Se associada com a fenda palatina, essa má formação da úvula pode causar problemas na fala, dificuldades na alimentação – em especial de bebês – e potencializar as infecções no ouvido. Para corrigir essa condição, o paciente deve fazer uma cirurgia ainda nos primeiros anos de vida.

Tratamento

  • É possível remover a úvula e, em alguns casos, esse procedimento é necessário para manter a saúde bucal. No caso de úvula alongada, alguns casos ela precisa ser retirada parcialmente para desobstruir a respiração. Há também aqueles pacientes que possuem essa estrutura tão além do tamanho normal, que precisa ser cortada por completo.
  • Algumas vezes, quando é preciso retirar as amígdalas de um paciente, a úvula também é removida se estiver sendo constantemente debilitada pelas infecções nessas outras partes. 

CUIDADOS

  • lubrificar a garganta com certa frequência, bebendo água e sucos;
  • evitar fumar, pois a fumaça machuca a mucosa;
  • fazer gargarejos com antisséptico bucal para eliminar bactérias;
  • evitar o consumo de bebidas muito quentes, pois os tecidos do palato mole são mais sensíveis;
  • mastigar bem os alimentos, para evitar que algo arranhe a úvula ou a garganta.

Tomando esses cuidados, as chances de ter alguma complicação nessa região diminuirá bastante. Mesmo assim, se perceber qualquer incômodo na úvula ou garganta, busque tratamento com um especialista

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana