GERAL

Bienal do Livro de SP começa segunda em edição totalmente virtual

Publicados

em


O maior evento literário da América Latina e um dos maiores do mundo, a tradicional Bienal do Livro de São Paulo, será totalmente online este ano. Prevista inicialmente para o final de outubro, o evento presencial acabou sendo adiado para 2022 por causa da pandemia do novo coronavírus. Mas, para não deixar de ocorrer neste ano de 2020, os organizadores do evento decidiram fazer uma edição especial, totalmente virtual.

Com isso, a 1ª Bienal Virtual do Livro de São Paulo será aberta nesta segunda-feira (7) e funcionará até o dia 13 de dezembro por meio do portal www.bienalvirtualsp.org.br, que vai dar acesso gratuito a toda a programação do evento, compra de livros e novidades do mercado editorial.

O evento é realizado pela Câmara Brasileira do Livro (CBL) e, nesta edição, tem como tema Conectando Pessoas e Livros. Participam da bienal virtual mais de 100 expositores e 330 autores. A expectativa dos organizadores é receber 1 milhão de pessoas no portal, mais do que o evento presencial costumava atrair. Na edição passada, o evento presencial contou com um público de 663 mil pessoas.

Segundo Vitor Tavares, presidente da CBL, o evento virtual será mais democrático e diverso. “O que está nos deixando muito feliz é que será uma Bienal inclusiva. Qualquer pessoa, de qualquer lugar do mundo, poderá acessá-la”, disse ele, em entrevista à Agência Brasil.

“É uma experiência nova. Estamos muito ansiosos e esperançosos de que dará tudo certo e que vamos cumprir o papel de um bom editor que é colocar o que há de melhor, em termos de literatura, à disposição do nosso público leitor. Todo mundo poderá ter acesso e acreditamos que vamos acabar tendo muito mais pessoas participando das mesas dos debates, passeando pelas estantes virtuais e adquirindo os seus livros [do que acontecia presencialmente]”, disse Tavares.

As palestras poderão ser assistidas até o dia 13 de janeiro. Neste ano, as discussões terão como temas centrais o racismo e o empoderamento feminino. Os participantes poderão solicitar certificados de participação. Nomes como Verônica Oliveira, Mauricio de Sousa, Raphael Montes, Nara Bueno, Claudia Raia, Isabela Freitas, Leandro Karnal, Monja Cohen e Mário Sergio Cortella compõem os mais de 70 bate-papos previstos na programação do espaço chamado Arena Virtual. 

Já no Salão de Ideias haverá discussões de amplo interesse com escritores, pensadores e profissionais do mercado. Entre os autores estrangeiros, estão confirmados Sarah MacLean, Scarlett Peckham, Nic Stone e Gavin Roy. E para os profissionais do mundo editorial, haverá espaço garantido nas discussões que farão parte do Papo de Mercado.

“Serão 220 horas de programação rica em termo de autores, debates, e mesas falando de assuntos do nosso cotidiano e da nossa realidade. Não deixaremos também de ter os grandes lançamentos. Grandes editoras estarão participando virtualmente”, disse Tavares. “A própria ganhadora do prêmio Jabuti deste ano [com o livro de poemas Solo para Vialejo], Cida Pedrosa, já tem mesa confirmada”, acrescentou.

A Bienal também fará uma homenagem especial ao centenário da escritora Clarice Lispector. Quatro mesas vão abordar a obra e vida de Clarice e a percepção de sua literatura hoje em dia. O centenário da obra de Agatha Christie será também celebrado no evento.

O público infanto-juvenil não ficará de fora desta Bienal Virtual. O Espaço Mauricio de Sousa contará com palestras sobre livros e temas específicos para o público.

Durante o evento, acontecerá também a 2ª edição da Jornada Profissional, com rodadas de negócios entre players nacionais e internacionais. Esses encontros vão promover discussões sobre os panoramas atuais do setor e as perspectivas para o mercado editorial mundial.

Loja virtual

Além das palestras, o público terá acesso às lojas virtuais de cada editora participante. Acessando o portal, os visitantes vão poder conferir os lançamentos de seus autores favoritos e possíveis promoções, com entrega e preços sob responsabilidade das próprias editoras. Segundo os organizadores, a loja virtual terá a presença de 84 expositores entre editoras, livrarias e distribuidores e 22 autores independentes que também estarão com estandes virtuais.

Edição: Aline Leal

Fonte: EBC Geral

Comentários Facebook
Propaganda

GERAL

Fiscalização fecha festa clandestina com 142 pessoas em São Paulo

Publicados

em


Uma festa clandestina com 142 pessoas em uma chácara na região de Parelheiros, na zona sul da capital paulista, foi encerrada na madrugada deste sábado (17) pelo Comitê de Blitze do governo do estado e da prefeitura da capital.Segundo o governo estadual, os participantes estavam descumprindo o distanciamento social recomendado pelo Centro de Contingência do Coronavírus e também não usavam máscaras de proteção facial.

Cinco organizadores do evento foram identificados e a ocorrência foi encaminhada ao Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC), onde registrou-se um Termo Circunstanciado de infração de medida sanitária preventiva. Além da aplicação das autuações, foram apreendidas máquinas de cartão de crédito e equipamentos de som. 

Entre a sexta-feira (16) e madrugada de sábado (17), a Polícia Militar atuou de forma preventiva na capital, litoral e interior em 28 ações de apoio à Vigilância Sanitária e 1.690 dispersões – ocorrências relacionadas à perturbação ao sossego –, além de flagrar 258 pontos de aglomeração de pessoas em todo o estado. Mais de 48 mil veículos foram vistoriados e 103 pessoas foram presas, sendo que 71 eram procuradas pela Justiça.

No mesmo período, a Vigilância Sanitária Estadual inspecionou na capital 22 estabelecimentos. Dois deles estavam fechados no momento da ação e outros dois foram autuados por promover aglomeração e permitir a presença de frequentadores sem máscaras em seu interior. Os bairros inspecionados foram Jardim Paulistano, Itaquera, Pompeia, Perdizes, Pinheiros, Vila Buarque e Interlagos.

Mais de cinco mil presos

Desde o início do toque de restrição, em 26 de fevereiro, a Polícia Militar realizou 4.814 operações em todo o estado. No total, 5.536 mil pessoas foram presas, sendo 3.671 procuradas pela justiça. Até 11 de abril, o Procon realizou 7.765 mil fiscalizações com 473 autuações.

Para garantir o cumprimento das determinações estabelecidas pela fase emergencial do Plano São Paulo, as ações de fiscalização têm sido intensificadas em toda capital paulista, inclusive com o reforço de policiais civis e militares no apoio às ações da vigilância sanitária, Procon e demais órgãos de fiscalização.

Para denunciar festas clandestinas e funcionamento irregular de serviços não essenciais, as pessoas podem entrar em contato pelo telefone 0800-771-3541, pelo site ou por e-mail do Centro de Vigilância Sanitária.

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Geral

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana