b

BARRA DO BUGRES

Publicado


BARRA DO BUGRES. Localizado na Mesorregião 129, Microrregião 530 – Tangará da Serra. Sudoeste matogrossense. Em 1878, chegou à região Pedro Torquato Leite Rocha, vindo de Cáceres. Ergueu rancho às margens do Rio dos Bugres. Deu início à exploração das cercanias em busca da preciosa poaia – a ipecacuanha – com resultados satisfatórios. A localidade tornou-se ponto de referência, e famílias instalaram-se no local onde as águas do Rio dos Bugres encontravam-se com a correnteza turvosa do Rio Paraguai. O lugar começou a ser conhecido por Barra do Rio dos Bugres, passando esta denominação à história, e inserida nos mapas cartográficos pelo Marechal Rondon. A Lei nº 541, de 13 de junho de 1910, autorizou a desapropriação de dois mil hectares de terras pertencentes a Manoel de Campos Borges para o patrimônio da povoação. Em 1926, passou por Barra do Rio dos Bugres a Coluna Prestes, movimento revoltoso, no rumo da Bolívia. Houve confronto com moradores da localidade, verificando-se inúmeras baixas. Pelo Decreto-Lei nº 771, de 29 de julho de 1927, foi reservada uma área de terras considerada devoluta para patrimônio da povoação. O município foi criado pelo Decreto-Lei nº 545, de 31 de dezembro de 1943. A Manoel Rodrigues, paulista de Potirendaba, coube o primeiro movimento de indústria em Barra do Bugres. Primeiro experimentou plantar café, posteriormente dedicou-se à industrialização de aguardente, popularizando a marca “bugrina”, deixando fama pela qualidade. Em 1979, um surto progressista deu-se em função do programa Probor-3, que incentivava a plantação de seringueiras. A 13 de setembro de 1980, instala-se em Barra do Bugres a Barralcool, destilaria que constitui-se em enorme fonte de receita e empregos para o município.

Comentários Facebook
publicidade

b

BUSSIKI (Gentil)

Publicado

por


BUSSIKI (Gentil). Advogado, radialista, jornalista, poeta e músico (Cuiabá-MT, 1940). Nome respeitado no meio cultural matogrossense, Gentil Bussiki gravou um disco em 2002, denominado Essencial, no gênero serestas. Sua dedicação à música e à literatura permitiram que fosse homenageado pelo bloco carnavalesco “Bode do Karuá”, em Chapada dos Guimarães, no carnaval de 2005, em que o tema foi Ser Chapada é ser Gentil, samba-enredo de autoria de Renatinho Olavarria e Zaquel do Cavaco. A par das atividade culturais, Bussiki exerceu cargo de Procurador Regional da Junta Comercial de MT. Bussiki faz a seguinte afirmação de si mesmo: “Sou um compositor intuitivo, nunca estudei música, mas quando componho, faço letra e música”. Sobre música regional é categórico: “Está muito mal direcionada. O universo da música é amplo, e não restrito apenas ao lambadão ou o rasqueado”.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana