economia

Banco Central inicia reuniões para definir a taxa básica de juros

Publicados

em


source
Selic é utilizada para regular a inflação
Lorena Amaro

Selic é utilizada para regular a inflação

Depois de aumentar os juros pela primeira vez em seis anos na última reunião, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) deve repetir a dose na terceira reunião do ano para definir a taxa básica de juros , a Selic. O encontro começa hoje (4) e termina amanhã (5), ao final do dia, quando o Copom anunciará a decisão.

Com a alta da inflação nos últimos meses, a previsão das instituições financeiras, é de que a Selic deve subir de 2,75% ao ano para 3,5% ao ano. A expectativa de alta está no boletim Focus , pesquisa divulgada toda semana pelo BC. Para o final de 2021, o mercado prevê que a taxa estará em 5,5% ao ano.

De agosto de 2020 a março deste ano, a Selic estava em 2% ao ano, no menor nível desde o início da série histórica do Banco Central, em 1986. A taxa básica de juros é usada nas negociações de títulos públicos emitidos pelo Tesouro Nacional no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve de referência para as demais taxas da economia.

Ela também é o principal instrumento do Banco Central para manter a inflação sob controle. O BC atua diariamente por meio de operações de mercado aberto – comprando e vendendo títulos públicos federais – para manter a taxa de juros próxima ao valor definido na reunião.

Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, a finalidade é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Entretanto, os bancos consideram outros fatores na hora de definir os juros cobrados dos consumidores, como risco de inadimplência, lucro e despesas administrativas.

Você viu?

Ao reduzir a Selic, a tendência é de que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica. Entretanto, as taxas de juros do crédito não caem na mesma proporção da Selic, pois a Selic é apenas uma parte do custo do crédito.

O Copom reúne-se a cada 45 dias. No primeiro dia do encontro, são feitas apresentações técnicas sobre a evolução e as perspectivas das economias brasileira, mundial e o comportamento do mercado financeiro. No segundo dia, os membros do Copom, formado pela diretoria do BC, analisam as possibilidades e definem a Selic.

Meta de inflação

Para 2021, a meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 3,75% para este ano, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 2,25% e o superior é 5,25%.

Para 2022, a meta é 3,5%, também com intervalo de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Os analistas consultados no boletim Focus agora projetam que a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), terminará o ano em 5,04%, próxima ao teto do intervalo de tolerância, motivada pelos preços dos alimentos, da energia e dos combustíveis. Para 2022, a estimativa está em 3,61%.* Colaborou Andreia Verdélio

Comentários Facebook
Propaganda

economia

MPEs: 5 dicas para sua empresa conseguir um empréstimo

Publicados

em


source
MPEs: 5 dicas para sua empresa conseguir um empréstimo
Redação 1Bilhão Educação Financeira

MPEs: 5 dicas para sua empresa conseguir um empréstimo

As MPEs passaram por um período conturbado durante a fase mais restritiva da pandemia de Covid-19. Contudo, o momento agora é de recuperação e o crédito PJ pode ser uma boa alternativa para que as empresas voltem a crescer em 2021. O governo estadual do Rio de Janeiro, por exemplo, acaba de anunciar as condições do programa Supera Rio, que visa conceder empréstimos de até R$50mil a pessoas físicas, microempreendedores e pequenas empresas. Mas quem precisa de um crédito maior, existem outras opções no mercado, como as fintechs, que garantem um processo menos burocrático e com mais agilidade.


Você viu?

Cristiano Rocha, diretor de crédito e cofundador da BizCapital, fintech de soluções financeiras para micro e pequenas empresas, explica que é fundamental que o empreendedor planeje e entenda a fase atual do seu negócio para garantir o crescimento saudável a médio e longo prazo com o crédito PJ. “Para que o empréstimo empresarial seja vantajoso, é necessário bastante planejamento. Você já sabe quanto dinheiro é realmente necessário para a sua empresa e para qual finalidade ele será usado? É essencial que o empreendedor saiba responder a essas duas perguntas. Trabalhar com base em planejamento faz toda a diferença, pois um empréstimo sem organização financeira pode comprometer a saúde fiscal do negócio”, ressalta Rocha.

Leia o restante da matéria aqui .

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana