economia

Auxílio emergencial: 3,4 milhões sacam pela última vez nesta sexta; confira

Publicados

em


source

Brasil Econômico

app caixa tem
Marcello Casal Jr./Agência Brasil

3,4 milhões de brasileiros sacam o auxílio emergencial pela última vez nesta sexta-feira (15)

Chegou a vez de 3,4 milhões de trabalhadores nascidos em julho sacarem os últimos recursos referentes ao auxílio emergencial . Nesta sexta-feira (15), a Caixa Econômica Federal vai permitir a retirada em espécie para este grupo.

Foram creditados R$ 2,4 bilhões para os nascidos em julho dos ciclos 5 e 6. Desse total, R$ 2,16 bilhões são referentes a cotas da extensão de R$ 300. O restante (R$ 214,4 milhões) refere-se a parcelas do auxílio emergencial de R$ 600.

Neste caso, o dinheiro foi depositado em 2 de dezembro (Ciclo 5) e 20 de dezembro (Ciclo 6). Até então, a quantia somente podia ser movimentada pelo aplicativo  Caixa Tem . Vale destacar que o governo não tem intenção de prorrogar o benefício, que deve realmente terminar em 27 de janeiro.

De acordo com o cronograma do Ministério da Cidadania, todos os pagamentos serão encerrados no dia 27 deste mês, quando os 3,3 milhões de trabalhadores remanescentes — nascidos em dezembro — vão retirar o último valor devido.

Sem prorrogação

Apesar dos apelos de muitos parlamentares e economistas, que temem um forte impacto na economia sem o benefício — o que faria aumentar a  pobreza no país —, o governo federal não tem interesse em estender o pagamento, por conta da grande necessidade de recursos.

A ideia da equipe econômica é apenas ampliar o Bolsa Família , com a inclusão de mais 200 mil titulares e um incremento no valor pago aos beneficiários. Ainda assim, a proposta não foi apresentada oficialmente.

Você viu?

Confira o último calendário do auxílio emergencial

Saques e transferências – ciclos 5 e 6

  • 19 de dezembro: nascidos em janeiro;
  • 19 de dezembro: nascidos em fevereiro;
  • 4 de janeiro de 2021: nascidos em março;
  • 6 de janeiro de 2021: nascidos em abril;
  • 11 de janeiro de 2021: nascidos em maio;
  • 13 de janeiro de 2021: nascidos em junho;
  • 15 de janeiro de 2021: nascidos em julho;
  • 18 de janeiro de 2021: nascidos em agosto;
  • 20 de janeiro de 2021: nascidos em setembro;
  • 22 de janeiro de 2021: nascidos em outubro;
  • 25 de janeiro de 2021: nascidos em novembro; e
  • 27 de janeiro de 2021: nascidos em dezembro.

Bolsa Família

Os titulares do Bolsa Família começarão a receber o benefício de janeiro na próxima segunda-feira (18) — aqueles com Número de Identificação Social (NIS) de final 1. Esse valor já será reduzido, ou seja, as famílias voltarão a sacar o que recebiam antes do auxílio emergencial.

Os depósitos do programa social costumam ser feitos nos últimos dez dias úteis de cada mês e, em janeiro, o pagamento vai até o dia 29 (NIS de final 0).

Pagamento pelo Caixa Tem

No fim de 2020, a Caixa começou a migrar os pagamentos para a poupança social digital. Dessa forma, os beneficiários do Bolsa Família podem, agora, ter acesso aos recursos por meio do aplicativo Caixa Tem.

A vantagem é poder quitar boletos e contas de água, luz e gás; fazer compras com cartão de débito virtual gerado pela internet e com QR Code; ou ainda realizar transferências para outras contas bancárias.

Os beneficiários com NIS de finais 9 e 0 começaram a receber por meio de conta social digital aberta pela Caixa Econômica Federal em dezembro do ano passado. Neste mês, o pagamento pela Caixa Tem será feito aos inscritos com NIS de finais 6, 7 e 8. Os demais terão que esperar fevereiro e março.

Comentários Facebook
Propaganda

economia

Ministro diz que privatização da Petrobras ampliaria investimentos

Publicados

em


O ministro da Economia, Paulo Guedes, falou hoje (25), durante evento com o presidente Jair Bolsonaro, recursos da venda da Petrobras podem ser usados para ampliar os investimentos públicos e em tecnologia e bancar gastos sociais.

“E se daqui a 20 anos o mundo todo migrar para a energia elétrica, hidrogênio, nêutron, energia nuclear e o fóssil for abandonado? A Petrobras vai valer zero daqui a 30 anos. E o que nós fizemos?”, questionou o ministro, durante o lançamento do Plano de Crescimento Verde, no Palácio do Planalto.

“Deixamos o petróleo lá em baixo com um monopólio, uma placa de monopólio estatal em cima. O objetivo é tirar esse petróleo o mais rápido possível e transformar em educação, investimento, treinamento, tecnologia”, acrescentou Guedes.

Para o ministro, a alta de mais de 6% nas ações da Petrobras nesta segunda-feira é resultado da entrevista em que o presidente Jair Bolsonaro disse estudar um projeto de lei que permitiria a venda de ações da estatal nas mãos da União, até ela deixar de ser a controladora majoritária da empresa.

“Bastou o presidente falar ‘vamos estudar’, e o negócio [a ação da Petrobras] sai subindo e aparece R$ 100 bilhões. Não dá pra dar R$ 30 bilhões para os mais frágeis num momento terrível como esse, se basta uma frase do presidente para aparecer R$ 100 bilhões, brotar no chão de repente. Por que nós não podemos pensar ousadamente a respeito disso?”, comentou Guedes.

Caged

O ministro da Economia adiantou dados econômicos que serão divulgados amanhã (26). Segundo ele, a arrecadação de setembro, apurada pela Receita Federal, deverá trazer novos recordes. Além disso, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que mede o saldo de empregos formais, deve vir com mais de 300 mil postos de trabalho criados no país no mês passado.

“A economia está voltando com muita força. Conversava há pouco com o grupo da arrecadação da Receita Federal, novos recordes. Amanhã, possivelmente vão soltar também o Caged; mais de 300 mil empregos todo mês estamos criando”, declarou.

O ministro agradeceu ao presidente Jair Bolsonaro a confiança em mantê-lo no cargo. “Eu queria agradecer pela confiança do presidente. É sempre assim, eu estou morrendo afogado, ele aparece, renova a confiança e nós continuamos nessa aliança de liberais e conservadores por um futuro melhor do nosso país”, disse.

Edição: Maria Claudia

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana