BRASIL E MUNDO

Atletas participam dos Jogos Universitários Brasileiros até o dia 18, em Brasília

Publicados

em


Cerca de 3,5 mil atletas de todo o país estão em Brasília participando das competições da 68ª edição dos Jogos Universitários Brasileiros (JUBs). São representantes de 271 entidades de ensino que participam de disputas em modalidades como atletismo, basquetebol, futsal, handebol, judô, natação, tênis de mesa, vôlei e xadrez.

A competição é organizada pela Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU) e segue até a segunda-feira (18) com 26 modalidades. É mais do que o dobro do último evento, realizado em 2019, já que a edição de 2020 não ocorreu em função da pandemia. O Banco do Brasil é um dos patrocinadores da competição.

Os Jogos Universitários Brasileiros voltam a Brasília após 15 anos. A última vez que o evento foi sediado na capital foi em 2006, quando ainda se chamava Olimpíadas Universitárias JUBs.

Ao participar da abertura da 68ª edição dos JUBs, na última segunda-feira (11), o secretário especial do Esporte do Ministério da Cidadania, Marcelo Magalhães, ressaltou a importância dos jogos educacionais para o desenvolvimento do esporte no país. “É importante retomar os jogos depois de dois anos e acreditamos nessa base da pirâmide invertida que é o esporte educacional. O esporte educacional volta a ser forte no Brasil e a gente não deve nada a nenhum país do mundo”, disse Marcelo Magalhães.

O atleta universitário Luan Araújo, de Salvador (BA), disse que poder participar novamente do JUBs é uma realização. “O JUBs realmente é o sonho de todo atleta universitário. No meu estado a gente treina todos os anos para poder estar aqui e, principalmente, depois desse período de pandemia que passamos, praticamente dois anos sem praticar esporte. Estar aqui é o ápice para qualquer atleta”, afirmou.

Retomada do turismo

O JUBs trouxe a oportunidade de movimentar o turismo e a economia na capital do país. A expectativa da Secretaria de Turismo do Governo do Distrito Federal é que sejam gerados mais de 500 trabalhos temporários, contratação de 33 mil hospedagens, locação de quase 200 veículos, 65 mil refeições oferecidas, entre outros tipos de serviços de infraestrutura e hospitalidade.

“O JUBs é um e evento de grandes proporções que movimenta toda a cadeia turística. Desde o aeroporto com a chegada dos atletas, aos hotéis, aplicativos de mobilidade, táxis, bares, restaurantes porque a gente tem uma gama de 4,5 mil participantes já confirmados no evento. O evento tem nove dias, então eles consomem todos os produtos que a cidade tem a oferecer”, disse o gerente de logística de Confederação Brasileira do Desporto Universitário, Paulo Souza.

Assista aos jogos através da página no Youtube da CBDU

Fonte: Brasil.gov

Comentários Facebook
Propaganda

BRASIL E MUNDO

Mais seis aeroportos são concedidos e auxiliarão a retomada do turismo no país

Publicados

em


Nesta quarta-feira (20/10), o Governo Federal concedeu à iniciativa privada seis aeroportos brasileiros, o que deve auxiliar a retomada do setor de turismo nas principais regiões do país no período pós covid-19. A partir de agora, os terminais de Goiânia (GO), Palmas (TO), São Luís (MA), Imperatriz (MA), Teresina (PI) e Petrolina (PE), hoje administrados pela Infraero, serão geridos pelo grupo CCR, que já opera no aeroporto de Belo Horizonte, por meio da BH Airport. Com a iniciativa, os terminais receberão investimentos na ordem de R$ 1,8 bilhão.

O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, ressaltou a importância desta iniciativa para todo o setor turístico, que foi um dos mais afetados durante a crise sanitária. “Com esta transferência, os passageiros e as empresas aéreas terão à disposição aeroportos uma infraestrutura cada vez melhor, mais confortável e mais integrada”, destacou.

A partir de agora, a empresa administradora dos terminais deverá realizar ações como a revisão e melhoria das condições de infraestrutura, a revitalização das sinalizações de informação e a disponibilização de internet wi-fi gratuita. Além disso, o contrato prevê que nos próximos 36 meses deverão ser realizadas adequações de infraestrutura para que o aeroporto esteja habilitado a operar, no mínimo, com uma pista de aproximação de não-precisão; disponibilizar pátio de aeronaves que atenda às especificações contratuais e adequar a capacidade de processamento de passageiros e bagagens no aeroporto.

Os seis aeroportos que fazem parte do Bloco Central transportaram cerca de 7,3 milhões de passageiros em 2019, segundo a Infraero. A previsão é de que a movimentação de passageiros aumente em 30% no primeiro ano de concessão (9,5 mi), podendo chegar a 208% de alta ao longo dos 30 anos (22,5 mi), período em que valerá a concessão dos seis terminais.

TURISMO – Com a concessão dos terminais do Bloco Central, os turistas que visitarem atrativos como o Jalapão (TO), Lençóis Maranhenses (MA) e o Delta do Parnaíba (PI) contarão com nova infraestrutura e conforto em seus deslocamentos. Além disso, os aeroportos servirão como base de apoio aos municípios vizinhos, contribuindo para a integração regional e nacional.

Em abril, o Governo Federal leiloou 22 terminais aéreos agrupados em três blocos: Central, Norte e Sul. Com isso, ficaram garantidos os investimentos de R$ 6,1 bilhões, sendo R$ 2,85 bilhões no bloco Sul, R$ 1,8 bilhão no Central e R$ 1,48 bilhão no Norte. A arrecadação total em outorgas chegou a R$ 3,3 bilhões.

Com informações do Ministério do Turismo

Fonte: Brasil.gov

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana