Várzea Grande

Assistência Social atende população em situação de rua

Publicados

em

Nesses dias de baixa temperatura e clima atípico em Mato Grosso, a Prefeitura de Várzea Grande, por meio da Secretaria de Assistência estará realizando a abordagem social, de pessoas em situações de rua, oferecendo refeições quentes e cobertores para aqueles que não aceitam passar a noite em abrigo. Já aqueles que queiram ser melhor acomodados, o órgão social oferece refeição e acomodação em casa de acolhimento.

Na noite desta quarta-feira (18), considera uma das mais fria do ano, equipes compostas por psicólogas e assistentes sociais e técnicos, além da equipe do Centro Pop (Centro de Referência Especializado para a População em Situação de Rua) responsável pela abordagem desse público, fizeram a entrega de 50 marmitas de sopa e cobertores.

“A nossa preocupação é melhorar as condições de abrigo dessas pessoas, mas nem todos aceitam ir para as casas de acolhimento, daí a necessidade de levar uma alimentação quentinha e cobertores para amenizar o frio, que atingiu o país nesta semana. Para quem tem um lar o frio já incomoda, imagina aqueles que insistem em fazer da rua sua morada”, destacou a secretária Adjunta da Secretaria de Assistência Social, Daniela Barone, que participou da ação.

Leia também

Decisão judicial inocenta Antonio Joaquim em caso que gerou seu afastamento do TCE-MT

“O agronegócio é a vocação de Mato Grosso”, conselheiro Antonio Joaquim

Cuiabá vence o River-URU no Estádio Centenário em Montevidéu

Polícia localiza em meio de mata investigado por tentativa de feminicídio e tortura

Como explica a gestora, hoje o município tem condições de abrigar as pessoas que se encontram em vulnerabilidade social e que para cada situação existe um local específico de abrigamento e acolhimento. “Temos lares para meninos, lares para meninas e crianças que vão ser adotadas, e para esta situação específica, dos em situação de rua, temos uma casa de acolhimento para homens que estão fora de seus domicílios, de seus estados e que não possuem recursos para se manter em uma moradia, ou que simplesmente em função de desentendimento familiar, escolheram a rua vivendo de mendicância”, observou.

Daniela Barone destacou também que o olhar atencioso e acolhedor da primeira-dama Kika Dorilêo Baracat pelas causas sociais, tem sido um diferencial nesta gestão. “Ela se preocupa com todas as pessoas em situação de vulnerabilidade social, e uma de suas determinações é que a Secretaria de Assistência Social faça um trabalho referenciado, e que atenda aqueles que necessitam de auxílio, bem como  aqueles que mesmo que não procurem por assistência, sejam prontamente atendidos. E esse trabalho é referendado também pelo Centro Pop”, acrescentou.

O Centro Pop realiza um trabalho de abordagem da população em situação de rua e oferece condições para que essas pessoas resgatem a dignidade. “Encaminhamos para consultas médicas e psicológicas, tratamos para que tenham seus documentos pessoais, e incluímos em diversas atividades para que possam elevar a autoestima, a confiança e a vontade de mudar de vida”, destacou o coordenador Fábio Reveles.

Ele destaca que o órgão tem registrado os pontos de concentração das pessoas em situação de rua, porém alguns deles percorrem a região central, dormem embaixo de viadutos, e nos entornos de igrejas e comércio local. “Daí a necessidade de também percorrer todos os pontos para realizar o trabalho de abordagem social”.

A ação que teve início ontem à noite, segue nesta quinta-feira (19). Ao todo serão ofertadas 150 marmitas de sopas e cobertores, nestes três dias de ação.

Comentários Facebook
Propaganda

Várzea Grande

Prefeitura leva assistência técnica de análise da água para pequenos piscicultores

Publicados

em

Por Celly Silva

Há cerca de um mês, a Prefeitura de Várzea Grande, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável (SEMMADRS), adquiriu um kit de análise de água para piscicultura de água doce e tem prestado mais essa modalidade de assistência técnica aos pequenos produtores rurais do município, de forma totalmente gratuita.

A medida atende à premissa da gestão do prefeito Kalil Baracat, que busca o desenvolvimento econômico e social de todos os várzea-grandenses, da cidade e do campo, conforme o secretário municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável, Célio Santos. “Este é mais um serviço que a Prefeitura está disponibilizando aos pequenos produtores rurais, que vai atender não só aos piscicultores, mas também aos demais agricultores que querem avaliar a qualidade da água do poço, por exemplo, e que serve para consumo da família”.

A assistência técnica na piscicultura vai propiciar uma melhor sanidade animal e mais condições de inserção no mercado formal, profissionalizando cada vez mais a atividade. Com os novos equipamentos, é possível mensurar parâmetros físico-químicos da água, como Ph, alcalinidade, dureza total, gás carbônico, amônia total e amônia tóxica, transparência, nitrito, oxigênio dissolvido e temperatura. Com esses dados, a equipe técnica da SEMMADRS (composta pelo coordenador de Desenvolvimento Rural Sustentável, médicos veterinários, engenheiros agrônomos e técnico agrícola) consegue detectar possíveis problemas e já orientar o piscicultor no mesmo momento.

A avaliação é feita em campo, mas uma amostra da água também é colhida e um relatório completo é entregue ao criador, em média sete dias após, durante visita de retorno à propriedade. O peixe também é avaliado em relação à cor das guelras, proporção do tamanho das nadadeiras, em relação ao corpo e escamas.

De acordo com Jhonattan Luydd Fernandes Ferreira, coordenador de Desenvolvimento Rural Sustentável, o objetivo desse trabalho é contribuir para o melhor manejo da piscicultura, fazendo com que o animal se desenvolva de forma a atender o mercado. “É uma assistência técnica gratuita prestada pela Prefeitura, que vem ajudar muito a agricultura familiar, visto que são famílias cuja riqueza vem da terra. Vai ajudar muito porque vai melhorar a qualidade da água, levando esse produtor a produzir um peixe de qualidade”, explicou.

Existem cerca de 50 pequenos piscicultores nos assentamentos rurais de Várzea Grande. A maioria atua na informalidade. E o intuito da SEMMADRS com a assistência técnica é fomentar a cadeia produtiva de forma a se regularizar. Por isso, a coordenadora de Serviço de Inspeção do Município, a médica veterinária Glaucy Kelly Enciso, também acompanha as visitas técnicas nas propriedades para orientar os produtores e mostrar de que forma eles podem obter a certificação.  “Com o sistema de inspeção, esses piscicultores passam a poder comercializar de forma regular, gerando renda para as famílias e desenvolvimento econômico para o Município”, afirmou Jhonattan Ferreira.

Flauberto Flávio Alves Ferreira, piscicultor há 12 anos no assentamento Nossa Senhora Aparecida 1, também conhecido como Sadia 1, recebeu a assistência técnica da SEMMADRS em sua propriedade, onde cria cerca de 2,5 mil Tambatingas. Ele destacou que sempre tem recebido apoio dos profissionais da Prefeitura e acredita que isso vai alavancar seus projetos de expansão. “Ao longo do tempo, já tivemos várias ajudas. É bom porque é um conhecimento a mais. Espero que venha a melhorar pra nós. Eu tenho projeto de muitos anos de criar lambari, documentar, colocar no mercado, tudo da forma correta”, afirmou.

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana