mato grosso

Asfalto vai facilitar escoamento da produção e incentivar o manejo sustentável

Publicado

Município com grande potencial de desenvolvimento no Médio-Norte de Mato Grosso, Nova Maringá terá o acesso à cidade feito por uma rodovia asfaltada após 40 anos de espera. A pavimentação de 81 quilômetros das MT-492 e MT-249 será realizada pelo Governo do Estado, em parceria com as prefeituras de Nova Maringá e São José do Rio Claro.

Sinfra consegui economizar R$ 10,6 milhões em obras de pavimentação de cerca de 80 KM | Foto: Tchélo Figueiredo

A pavimentação entre as duas cidades ainda vai permitir a interligação de Nova Maringá diretamente à rodovia federal BR-163, com maior rapidez e segurança. Isso vai  facilitar o escoamento da produção da cidade, que está em grande expansão e hoje  tem cerca de 250 mil hectares de produção agrícola e estima plantar mais 100 mil hectares nos próximos anos com a chegada do asfalto.

Além disso, o asfalto novo vai incentivar o manejo florestal sustentável na região Médio-Norte, uma vez que Nova Maringá possui grande potencial para o extrativismo vegetal  e contribui em grande parte para o desenvolvimento econômico do setor de base florestal de Mato Grosso.

De acordo com o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) Marcelo de Oliveira, a pavimentação é um importante ganho para o desenvolvimento da região, que está em exponente crescimento e que ainda precisava enfrentar os percalços logísticos causados por uma rodovia não-pavimentada.

“Até hoje Nova Maringá não é interligado ao asfalto. Mas com a união de esforços do Governo do Estado e das prefeituras formalizamos uma cooperação e vamos poder realizar essa pavimentação e tirar a cidade de Nova Maringá do isolamento”, disse o secretário.

Por meio da cooperação, a Sinfra vai realizar a licitação da obra, excluindo alguns serviços que serão executados diretamente pelos municípios, dentro do limite territorial de cada um. O valor de referência da Sinfra para a licitação da obra é de R$ 65 milhões.

Sob a responsabilidade das prefeituras está a execução de serviços complementares, como terraplanagem, recomposição ambiental e sinalização das vias, por exemplo. Serão investidos cerca de R$ 7,5 milhões pelos municípios.

A Prefeitura de Nova Maringá ficará com a responsabilidade de execução dos serviços em uma extensão de 48,02 quilômetros da rodovia, que corta o município. Já a prefeitura de São José do Rio Claro será responsável por executar os serviços em uma extensão de 33,07 quilômetros.

Para Claudinei Freitas, presidente do Sindicato das Indústrias Madeireiras do Médio-Norte de Mato Grosso, a chegada do asfalto vai impulsionar a abertura de novas indústrias no município de Nova Maringá – e toda a região – que tem grande potencial para se tornar uma cidade incubadora de empresas para esse segmento.

“Parabéns ao governo e aos prefeitos que tiveram a coragem de assinar esse convênio neste momento de pandemia. Nós temos muita biomassa aqui na região e, com esse asfalto, eu tenho certeza de que tudo o que o governo investir vai retornar muito rapidamente. Por isso, só temos que agradecer ao governador Mauro Mendes pela obra”, disse.

Além do ganho econômico, a obra também é a realização de um sonho dos moradores da cidade, segundo o prefeito de Nova Maringá, João Braga Neto.

“Até que enfim um governador chegou para entender o que os outros não entenderam: a importância de Nova Maringá. Já estou louco para por as máquinas na obra para realizar esse sonho que o povo de Nova Maringá espera já tem 40 anos”, encerrou.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

mato grosso

Sesp-MT lamenta falecimento de piloto da Força Nacional

Publicado


O Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), lamenta o falecimento, na madrugada desta terça-feira (27.10), do piloto da Força Nacional Renato de Oliveira Souza, que se acidentou no Pantanal no dia 08 de outubro.

Ele havia sido transferido em UTI Aérea para o Rio de Janeiro (RJ), no último dia 21, para continuar o tratamento perto da família. Na noite anterior (26.10), ele teve um quadro de falta de ar súbito, foi socorrido por uma ambulância, mas não resistiu. A suspeita, segundo informações da família, é de tromboembolismo pulmonar.

O secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, lamentou o falecimento e ressaltou o trabalho desempenhado pelo piloto em vida. “O Renato dedicou boa parte de sua vida na defesa da vida, e não foi diferente nesta última missão. Externamos nosso máximo respeito e admiração e nossos sentimentos aos familiares e amigos”.

Renato de Oliveira Souza era agende especial da Polícia Civil do Distrito Federal e fez parte da equipe da Força Nacional desde maio de 2016. Tinha 55 anos de idade e já atuou em vários estados, como Goiás, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Sergipe, Rio Grande do Norte, Mato Grosso do Sul, Ceará, Minas Gerais e Mato Grosso, comandando a aeronave Nacional 01.

Ele compôs a equipe enviada pelo Governo Federal para auxiliar o Estado mato-grossense no combate aos incêndios florestais, em setembro deste ano. Juntamente com dois integrantes da Força Nacional, foi vítima de acidente com um helicóptero e estava internado em um hospital de Cuiabá desde o dia do acidente, 08 de outubro.

No dia 21 deste mês, Renato decolou na UTI Aérea do Governo do Estado, equipada em aeronave do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), após receber autorização médica. O apoio também foi prestado no dia do acidente, com transporte das vítimas e acompanhamento do estado de saúde.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana