POLÍTICA NACIONAL

Ao STF, chefe da PF que troca de diretor foi ‘absolutamente natural’

Publicados

em


source
Márcio Nunes de Oliveira foi nomeado na PF em fevereiro
Tom Costa/MJSP

Márcio Nunes de Oliveira foi nomeado na PF em fevereiro

Nomeado para o comando da Polícia Federal no último mês de fevereiro, Márcio Nunes de Oliveira apresentou esclarecimentos nesta sexta-feira ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes sobre a substituição dos diretores da cúpula do órgão, dentre eles o diretor de Investigação e Combate ao Crime Organizado, responsável pelos casos de corrupção.

Nunes afirmou que as substituições são uma prática “absolutamente natural” para escolher pessoas de confiança nos cargos comissionados na PF e negou intenção de interferir em investigações em andamento.

“De fato, os titulares de cargos comissionados são pessoas de absoluta confiança das autoridades superiores, constituindo os canais de transmissão das diretrizes para a execução administrativa. É absolutamente natural, e por que não dizer desejável, ante o princípio republicano da temporariedade, que sejam trocados os titulares de cargos em comissão, permitindo que o dirigente máximo possa contar com pessoas de sua confiança durante sua gestão, comprometidas com o seu projeto de gestão”, escreveu o diretor-geral.

Os esclarecimentos foram solicitados por Moraes por causa de um pedido do senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP), que apontou suspeitas de interferência indevida nas mudanças feitas por Márcio Nunes de Oliveira. Agora, caberá a Moraes decidir o que fazer a partir dessas explicações apresentadas

Leia Também

No mês passado, a PF concluiu o inquérito sobre suspeita de interferência indevida pelo presidente Jair Bolsonaro e apontou que não houve prática de crimes.

Em sua manifestação, Nunes também apontou que as substituições feitas por ele estão dentro da média de trocas feitas pelos últimos diretores-gerais. Disse ainda que o delegado escolhido para comandar a Dicor, Caio Rodrigo Pellim, “atendeu aos requisitos, porquanto conta com mais de 18 anos de experiência no exercício do cargo de Delegado de Polícia Federal, tendo tomado posse em 29/12/2003, além de ser integrante há mais de uma década da classe especial e ter assumido cargos de chefia”.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Lula diz que Brasil retrocedeu e critica Bolsonaro: “País virou pária”

Publicados

em

Lula discursou na USP
Letícia Martins

Lula discursou na USP

Nesta segunda-feira (15), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) criticou o descaso do governo Bolsonaro sobre a economia brasileira. O petista afirmou que as gestões do PT levaram o Brasil a alcançar a sexta maior economia do mundo, mas hoje a posição do país é completamente diferente.

“Quando eu visitava as universidades com o Haddad, eu falava que queria ultrapassar a Alemanha e ficar entre as cinco maiores economias do mundo”, iniciou o ex-governante do executivo federal.

“Vinte anos depois, esse país retrocedeu. Esse país que já foi a sexta maior economia do mundo, agora é a 13ª. Esse país virou pária, porque ninguém quer receber o presidente da República e nem quer vir aqui. As pessoas sabem o tipo de gente que tá governando esse país”, acrescentou.

A declaração de Lula levou o público ao delírio, que começou a gritar “Fora Bolsonaro”. A plateia também chamou o ex-presidente de “lindo, tesão, bonito  e gostosão”.

“Tá na nossa responsabilidade de ver a educação que a gente quer, que trabalho nós queremos, que política de desenvolvimento nós queremos. Temos a responsabilidade de mapear o Brasil que queremos mais para frente. Se a gente se omitir, o Brasil que vai ressurgir do processo pode ser pior do que o Brasil de hoje”, completou.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana