CIDADES

AMM e Seduc alinham diretrizes técnicas para a elaboração de projetos

Publicados

em


Para agilizar a elaboração e a aprovação de projetos de construção de quadras poliesportivas e reforma de escolas estaduais nos municípios, equipes de engenheiros da Associação Mato-grossense dos Municípios – AMM e da Secretaria de Estado de Educação – Seduc se reuniram nesta quarta-feira (12), na AMM. Durante a reunião, os profissionais discutiram o alinhamento de diretrizes técnicas relacionadas aos projetos, financiados com recursos estaduais e elaborados de acordo com padrão normativo estabelecido pela Secretaria.

A AMM já elaborou e entregou à Seduc 18 projetos para avaliação e aprovação, provenientes de convênio firmado entre 30 municípios e o Governo do Estado para a construção das quadras e reforma de unidades escolares. Um novo convênio deve ser firmado nos próximos meses que vai contemplar mais 70 prefeituras com recursos para as obras nas escolas estaduais nos municípios.

A coordenadora da Central de Projetos da AMM, Monique Godoi, disse que a parceria da Seduc é muito importante para atender os municípios  em suas demandas e aprimorar o trabalho desenvolvido pela equipe da Associação. “A troca de informações, o esclarecimento de dúvidas e o alinhamento de procedimentos contribuem para a agilidade e excelência do trabalho, que visa garantir agilidade nos projetos e na liberação de recursos para as obras”, afirmou, acrescentando que alinhamento semelhante já foi estabelecido com outras secretarias estaduais para agilizar a tramitação dos projetos, sempre de acordo com normas técnicas preconizadas pelos órgãos estaduais.

A Central de Projetos foi representada na reunião desta quarta-feira pelos engenheiros Felipe Xavier (eletricista) e Vivian Maria (civil), que integram a equipe de gestão da Central, além dos engenheiros Rogerson Rodrigo (civil), Evaldo Braz (sanitarista), Jéssyka Souza (civil), Gabriel Leão (civil) e Naíra Araújo (eletricista).

Fonte: AMM

Comentários Facebook
Propaganda

CIDADES

Presidente da AMM se reúne com secretário do Ministério do Desenvolvimento Regional

Publicados

em


Para tratar sobre as ações do Marco Regulatório do Saneamento Básico e Resíduos Sólidos, o presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios-AMM, Neurilan Fraga, se reuniu com o secretário do Ministério do Desenvolvimento Regional, Pedro Maranhão e sua equipe nesta terça-feira, 22 de junho.

Durante o encontro, o presidente da AMM fez o convite ao secretário, que logo confirmou a presença em Mato Grosso, nos próximos dias 15 e 16 de julho, para uma reunião com os prefeitos, secretários municipais, representante da secretaria estadual de Meio Ambiente-Sema, equipe da Universidade Federal de Mato Grosso-UFMT, que está fazendo o plano estadual de resíduos, além de outras entidades.

O objetivo do encontro é estreitar a parceria entre os governos federal, estadual, municípios e entidades nesta temática. “Vamos antecipar a orientação aos municípios que terão prazos para cumprir as ações, conforme a nova proposta do Marco Regulatório do Saneamento Básico e Resíduos Sólidos” disse ele, destacando que entre os maiores desafios dos municípios, está o de acabar com os lixões e implantar os aterros sanitários, conforme a Lei 12.305/2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Fraga ressaltou que acabar com os lixões, é uma das principais preocupações dos gestores municipais. ”Os municípios são penalizados pelo Ministério Público e pela Secretaria de Meio Ambiente, porque os gestores não tem condições de implantar os aterros sanitários, devido ao alto custo. É uma situação sofrida e que vem criando desconforto”, afirmou.

Os municípios, tinham antes um prazo até 2014, para acabar com os lixões, mas a maioria não teve condições de cumprir, principalmente os menores. Agora o prazo final vai até o ano de 2023.

Constantemente, o presidente da AMM esteve nas mobilizações em Brasília, debatendo este assunto. O movimento municipalista nacional defendeu a prorrogação do prazo para a construção dos aterros sanitários, para  substituir os lixões. Pra os municípios implantarem os aterros, serão necessários alto investimento financeiro e respaldo técnico.

 

Fonte: AMM

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana