BRASIL E MUNDO

AM: Mourão diz que desaparecidos deviam ter alertado autoridades

Publicados

em

source
Hamilton Mourão durante evento de filiação ao Republicanos
Reprodução/Youtube

Hamilton Mourão durante evento de filiação ao Republicanos

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta segunda-feira que o indigenista Bruno Pereira e o jornalista inglês Dom Phillips, desaparecidos há mais de uma semana na Amazônia, passaram a “correr risco” por ter entrada em uma área “perigosa” sem escolta e sem terem avisado as autoridades.

“É um caso de polícia. É uma região inóspita, afastada de tudo. Na fronteira com o Peru, e do lado peruano uma série de ilegalidades acontece. Madeira etc e tal. Do nosso lado, também. As duas pessoas entram numa área que é perigosa, sem pedir uma escolta, sem avisar, efetivamente as autoridades competentes e, passam a correr risco. Lamentavelmente é isso aí”, disse Mourão, ao chegar no Palácio do Planalto.

No domingo, o Corpo de Bombeiros do Amazonas e a Polícia Federal informaram que foi encontrada uma mochila que pertencia a um dos dois desaparecidos. O material será encaminhado à perícia. Mourão disse que torce para que os dois ainda sejam encontrados com vida.

“Vamos torcer pra que eles estejam com vida ou tenham sido simplesmente aprisionados, seja lá o que for, ou tenham conseguido se evadir das pessoas que estavam tentando fazer algum dano a eles e estão vagando por dentro da selva”.

Também nesta segunda-feira, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que os “indícios” são de que os dois foram vítimas de alguma “maldade”, e que será “muito difícil encontrá-los com vida”.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Comentários Facebook
Propaganda

BRASIL E MUNDO

Agente de Salman Rushdie afirma que o escritor apresenta melhoras

Publicados

em

Salman Rushdie, autor do livro
Reprodução: Flickr

Salman Rushdie, autor do livro “Os Versos Satânicos”

Salman Rushdie  foi extubado neste sábado (13), como informa Andrew Wylie, agente do escritor. De acordo com o representante do autor, esfaqueado na última sexta-feira (12), ele apresenta melhora significativa e deve restabelecer o movimento da mão, apesar de os nervos do braço terem sido afetados pelo ataque. Rushdie pode perder um olho, e teve o fígado atingido.

O escritor anglo-indiano de 75 anos deixou de respirar por meio de ventilação mecânica após receber múltiplas facadas enquanto falava em uma conferência em Nova York . Ele passou por uma cirurgia e segundo seu agente nos Estados Unidos, Andrew Wylie, ainda não consegue falar.

Versos satânicos A obra de Rushdie fez com que ele se tornasse alvo de ameaças de morte no Irã desde a década de 1980. O livro “Os Versos Satânicos” de Rushdie é proibido no país desde 1988. Muitos muçulmanos consideram a história uma blasfêmia.

Um ano depois, o falecido líder do Irã, o aiatolá Ruhollah Khomeini, emitiu um edito, pedindo a morte de Rushdie. Uma recompensa de mais de US$ 3 milhões também foi oferecida para quem tirasse a vida dele. O escritor passou cerca de dez anos sob proteção policial e vivendo na clandestinidade. Ele mora nos EUA desde 2000.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

*Com informações de agências internacionais


Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana