POLÍTICA NACIONAL

Afastado, Witzel culpa “desgoverno” de Bolsonaro por crise de Covid-19

Publicados

em


source
Governador afastado do Rio, Wilson Witzel
Fernando Frazão/Agência Brasil

Governador afastado do Rio, Wilson Witzel

Wilson Witzel (PSC), governador afastado do Rio de Janeiro, declarou nesta quarta-feira (17) que atrela ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e aos bolsonaristas que o apoiam como os culpados pelo grave momento vivido na pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2) no país.

O político inclusive citou  pesquisa divulgada pelo Datafolha na última terça-feira (16), que indicou que 54% da população reprovam o desempenho de Bolsonaro na pandemia para criticar o governo federal:

“Infelizmente esse é o retrato que o governo federal tem hoje. A população, inclusive, está entendendo que o problema da pandemia hoje, na última pesquisa (Datafolha) que saiu, é do desgoverno, que infelizmente é um desgoverno negacionista e que está desestruturando a política de saúde em todos os estados”, critica em entrevista ao UOL.

Réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro , Witzel é acusado por irregularidades e desvios na Saúde do Rio, e admitiu que “não acertou 100%” em sua gestão durante a pandemia em 2020, quando esteve à frente do cargo:

Você viu?

“Eu não posso dizer que acertei 100%, mas nós tivemos sérios problemas de fake news, resistência à instalação dos nossos hospitais (de campanha). Tudo fica muito mais difícil quando você tem uma campanha difamatória na imprensa, através de deputados, através de informações falsas”, se defende.

Ainda na visão de Wilson Witzel , falta diálogo entre o Planalto com os governos estaduais, que segundo, ele, “foram abandonados”:

“Os governadores foram completamente abandonados à sua própria sorte. Não se fez no Brasil aquilo que todo país tem que fazer, que é o controle da pandemia pelo governo federal através de diálogo com governadores”.

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Câmara conclui discussão de projeto sobre pedágios; votação será na manhã desta quinta

Publicados

em


Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
Plenário - Sessão Deliberativa
Sessão do Plenário da Câmara dos Deputados

A Câmara dos Deputados encerrou a discussão do Projeto de Lei 886/21, do Senado, que estabelece regras gerais para a implantação do sistema de livre passagem na cobrança de pedágios em rodovias e vias urbanas. Por acordo entre os líderes, a votação ficou para esta quinta-feira (6), em sessão marcada para as 9h30.

O texto é um substitutivo dos senadores para o PL 1023/11, aprovado pelos deputados em 2013 e que concedia isenção de pedágio para moradores das cidades onde estão as praças de cobrança.

Enquanto a redação aprovada naquela ocasião remetia o custo da isenção à revisão de tarifa para os demais usuários, o projeto do Senado cria um sistema de cobrança proporcional aos quilômetros rodados na rodovia ou rua pedagiada.

Para isso, deve ser usado sistema de reconhecimento visual automático de placas (Reconhecimento Óptico de Caracteres – OCR) ou identificação de chips instalados na licença do veículo por meio de rádio (Identificação por Radiofrequência – RFID).

Deputados da oposição pretendem votar o texto da Câmara ou acolher pontos do texto do Senado.

Reportagem – Eduardo Piovesan
Edição – Pierre Triboli

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana