mato grosso

Acesso a crédito e orientação da Empaer mudam vida de agricultor em Campo Verde

Publicados

em


Os produtores Valmiro Silva Araujo, 61 anos, e sua esposa Roseli Maria Carlos, de 66 anos – são exemplos de resistência e persistência. Com o auxílio da equipe da Empaer de Campo Verde, os produtores conseguiram via Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), R$ 26,5 mil e, com o recurso realizaram a construção de um galpão em alvenaria de 60 m², com capacidade para 600 frangos

O benefício é subsidiado pelo Governo Federal por meio do Banco do Brasil que utiliza linhas de crédito a juros baixos e prazos de pagamento adequados a cada atividade agropecuária. O recurso oportunizou qualidade de vida e a garantia de uma renda com a produção de frango semicaipira. 

Todo espaço é coberto com piso de chão batido e mureta na lateral, além de instalação elétrica e hidráulica. Com a orientação e acompanhamento, atualmente o casal produz 1000 frangos por mês que são vendidos em Campo Verde e Primavera do Leste, por R$ 35 reais a unidade.

Eles moram no Assentamento Dom Ozório em Campo Verde (a 131 km de Cuiabá) e são um dos 20 produtores da região que já conseguiram a linha de crédito, sendo que outros 15 estão aguardando a liberação via Pronaf A e Pronaf A/C. Os beneficiários são agricultores assentados pelo Programa Nacional de Reforma Agrária junto ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

Seo Valmiro lembra a dificuldade vivida junto com a esposa quando ainda estavam acampados em busca do tão sonhado pedaço de terra. “A vida no campo não é fácil, mas para quem trabalha duro e respeita a terra o retorno é garantido. São 12 anos vivendo do que plantamos e colhemos”.

A equipe explica que para ter acesso ao benefício é preciso se enquadrar como agricultor familiar, assentado pelo Programa Nacional de Reforma Agrária (PNRA) ou ser beneficiário do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF). O crédito permite o desenvolvimento das famílias no meio rural, possibilita, também, a elevação da capacidade produtiva, a geração de emprego e renda, a redução das desigualdades sociais e uma melhor utilização da mão de obra familiar.

A expectativa, segundo a equipe é que em 10 anos, o casal consiga melhorar a receita proveniente da atividade, otimizando a produção agropecuária e garantindo uma melhor qualidade de vida.

Mudança completa na vida de seo Valmiro e de dona Roseli – a casa antiga e a atual – Foto: Empaer

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Propaganda

mato grosso

Empaer testa capim kurumi como alternativa para produtores de leite

Publicados

em


Conhecido pelo valor nutritivo, o capim kurumi é a nova aposta da Empresa Mato-grossense de Pesquisa Assistência e Extensão Rural (Empaer) e vem sendo testado junto a produtores de leite da agricultura familiar de Juara, Terra Nova do Norte e Nova Bandeirantes. A equipe técnica segue na produção de mudas e avaliação do potencial nutritivo da cultivar, que pretende junto com o capiaçu ser uma das alternativas de baixo custo e auxiliar os produtores, principalmente durante o longo período de estiagem.

O técnico da Empaer em Terra Nova do Norte, Rodrigo Cezar Ribeiro, explica que quanto maior a produção de leite, maior a demanda energética e proteica. Independente das estações do ano, a alimentação dos animais devem ser uma constante e no caso do período de entressafra, quando a chuva diminui é quando o pasto e o cocho necessitam de uma redobrada atenção.

Ele destaca que as mudas de BRS Kurumi foram fornecidas o ano passado pela Embrapa Agrossilvipastoril de Sinop, multiplicadas e plantadas no sitio Nonoai do senhor João Luis da Rosa, na comunidade Quinta Agrovila.  Na propriedade, em uma área de 1 hectare, a cultivar foi desenvolvida conforme planejado e no dia 20 de novembro será realizado o primeiro pastejo e a avaliação do potencial produtivo do Kurumi com a produção das matrizes leiteiras que irão consumir o pasto.

Rodrigo frisa que insumos para produção da ração como a soja e o milho tiveram um grande aumento nos últimos anos. “Na teoria, o capim produz 20% de proteína bruta e, por este motivo, está sendo plantado na propriedade com a intenção de reduzir custos de produção, principalmente com a alimentação”, destaca.

Ainda em Terra Nova do Norte, 100 produtores já receberam as mudas de kurumi, mas a meta é chegar a 160, o mesmo público atendido nos últimos dois anos com capiaçu.

Trabalho semelhante dos técnicos da Empaer em Nova Bandeirantes, Luma Regina Maldaner e Eder José Barreiros, que vêm atendendo produtores dos Projetos de Assentamento de Japuranã e Japuranomann junto ao Programa REM.

Luma Maldaner destaca que as mudas foram trazidas do escritório regional de Juara através de um produtor. “Em Nova Bandeirantes, nós trabalhamos em parceria com a Secretaria de Agricultura, Meio Ambiente e Saneamento. Elas foram plantadas em uma área de 1 hectare no viveiro municipal e serão doadas posteriormente aos produtores da cidade”.

De acordo com Luma, o objetivo é buscar novas alternativas que sejam de baixo custo. O próximo passo será gradear a área para o plantio. “Temos bons exemplos de produtores dos estados de Goiás e da região sul país que o kurumi é uma boa alternativa por ser de pastejo. Em contrapartida, com o capiaçu de silagem. Duas boas alternativas para o produtor da agricultura familiar”.

Mudas sendo mutiplicadas para serem distribuidas e plantadas                              Foto: Empaer 

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana