POLÍCIA

Ação integrada recupera cabeças de gado desviadas em golpes de estelionato contra pecuaristas em Vila Rica

Publicados

em

Vinte quatro bezerros desviados em golpes aplicados em compra e venda de gado ocorridos no município de Vila Rica (1.259 km a nordeste de Cuiabá) foram recuperados em uma ação conjunta da Polícia Civil, Polícia Militar e Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT), realizada na tarde de quinta-feira (28.01), durante diligências para apurar os casos. Na ação duas pessoas foram conduzidas e responderão pelo crime de receptação.

As investigações iniciaram após o registro de 12 boletins de ocorrências de vítimas lesadas com os golpes, causando um prejuízo estimado de meio milhão de reais. Na semana passada, o suspeito de aplicar os golpes se desfez dos bens na cidade, não teve mais contato com os credores e sumiu.

Segundo as investigações da Delegacia de Vila Rica, os crimes foram praticados por um homem, que desde o último trimestre de 2021, iniciou uma intensa movimentação de compra e venda de gado na região. Para ganhar a confiança dos pecuaristas da região, ele pagava parte do gado comercializado em dinheiro e o restante era negociado com cheques pré-datados.

Contudo, quando chegava a data de descontar os cheques, os pecuaristas descobriram que não tinha fundo ou que havia sido sustado, quando o golpista dava um novo cheque, que também retornava por falta de provisão financeira. Quando atuava na venda do gado, o modo dele de agir era vendendo o mesmo gado para pessoas diferentes ou, às vezes, para a mesma pessoa.

Em relação ao gado recuperado, o suspeito havia vendido para um primeiro comprador que pagou o valor de R$ 43 mil pelos animais, que inclusive foram marcados com a marca do comprador. Porém, o suspeito foi criando desculpas para fazer a entrega e nesse intervalo realizou a venda dos mesmos animais para um terceiro.

Diante dos fatos, duas pessoas que estavam na posse do gado recuperado, foram conduzidas a Delegacia de Vila Rica e responderão pelo crime de receptação.A equipe do Indea-MT aplicou os autos de infrações administrativas em relação a ausência de nota fiscal na comercialização de gado e de Guia de Trânsito Animal, uma vez que cada gado fora do que está registrado no órgão, ou qualquer outra irregularidade pode geral uma multa de R$ 300 por animal.

Segundo o delegado de Vila Rica, José Ramon Leite, a origem ilícita dos animais era totalmente previsível, em especial para o receptador, que não era uma pessoa leiga, e estava acostumado com o comércio de gado.“Estava clara a origem ilícita do gado, uma vez que já estava com a marca de outrem, e o segundo comprador não exigiu a nota fiscal e nem a Guia de Trânsito Animal (GTA), documentos necessários nesse tipo de transação”, explicou o delegado.

O delegado acredita que outras pessoas, que não registraram boletim de ocorrência, também possam ter sido vítimas dos golpes, resultando em uma movimentação de valores acima de meio milhão de reais. As diligências seguem em andamento para localizar o autor dos golpes, assim como para recuperar outras cabeças de gado desviadas nas transações.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍCIA

Em ação conjunta PRF e PC/MT prendem donos de oficina que adulteravam veículos roubados

Publicados

em

Duas pessoas foram presas em flagrante na região metropolitana de Cuiabá pelos crimes de receptação qualificada e adulteração de sinal identificador de veículo, em ações conjuntas da Polícia Rodoviária Federal e Polícia Civil.

Na última quinta-feira (26), no município de Várzea Grande, a Polícia Rodoviária Federal e a Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) localizaram uma oficina de funilaria automotiva utilizada para realizar adulteração de sinais identificadores de veículos pesados (caminhões), produtos de crime.

Ação foi possível após a PRF apreender um caminhão adulterado no município de Barra do Garças. Os policiais apuraram que o veículo era produto de crime e havia sido adulterado nessa oficina.

As equipes policiais se deslocaram ao local e encontraram escondido dentro do galpão da empresa um caminhão que estava com uma placa fria. Feitas as devidas checagens, constatou-se que a numeração de chassi correspondia a outra placa veicular, de um automóvel furtado no dia 18 de maio em Cuiabá. O proprietário do local foi preso em flagrante por receptação e adulteração de sinal identificador de veículo automotor.

Em outra ação conjunta realizada nessa sexta-feira (27), por equipes da PRF e Derfva, os policiais localizaram um semirreboque que foi roubado no município de Várzea Grande, no início deste mês.

O veículo estava escondido em um estabelecimento comercial de peças usadas, localizado em Cuiabá, na BR-364. O semirreboque estava em processo de adulteração, sendo que as etiquetas oficiais de identificação de numeração do chassi foram removidas e o número de identificação veicular adulterado.

O proprietário do local também foi conduzido para a Derfva e autuado em flagrante pelos crimes de receptação qualificada e adulteração de sinal identificador de veículo automotor.

Do início deste ano até o dia de hoje, somente a Polícia Rodoviária Federal em Mato Grosso já recuperou 188 veículos com registro de roubo/furto nas rodovias e estradas federais do estado. Esse resultado advém de um planejamento realizado com base nas estatísticas das ocorrências, aumento da fiscalização em pontos críticos e atuações integradas com outros órgãos.

Outro fator que contribui com isso é o Sistema Nacional de Alarmes da PRF (SINAL), disponibilizado desde novembro de 2017, serve para registrar roubos e furtos de veículos. O sistema tem por objetivo divulgar, imediatamente após o registro, informações de ocorrências nas últimas 72 horas. A probabilidade de recuperação de um veículo é maior nas primeiras horas após a ocorrência do fato.

Qualquer pessoa que tenha sofrido roubo ou furto de veículos dentro do Brasil pode efetuar o registro pelo site https://www.gov.br/prf/pt-br/servicos/sinal , como também pode ser feito por meio do número 191, central de emergência da Polícia Rodoviária Federal. Salienta-se a importância de que o registro na PRF não substitui o Boletim de Ocorrência na Polícia Civil.

Fonte: PRF MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana