artigos

A relação de dores articulares com doenças intestinais

Publicados

em

Dra. Fernanda Breder

Por Fernanda Breder

Diarréia prolongada, com muco, pus ou sangramento nas fezes pode ser um sinal de doença inflamatória intestinal (DII), que se caracteriza por feridas e vermelhidão no intestino. Tais doenças são divididas em Doença de Crohn e Colite Ulcerativa. Há muito tempo se sabe da relação entre as DII e artrite, e os sintomas articulares são os mais frequentes fora do intestino, podendo ocorrer em 40% a 50% dos pacientes.

A dor articular das DII pode ser muito semelhante às dores presentes em outras doenças. Por isso muitas vezes pode ser difícil realizar o diagnóstico correto. Além disso, os sintomas articulares da DII podem ocorrer antes dos sintomas intestinais. Portanto, pacientes que têm DII e que apresentam dor articular ou lombar devem passar por avaliação especializada com o reumatologista.

O acometimento articular relacionado às DII pode se apresentar como artralgia (dor articular), artrite (inflamação articular), sacro ileíte (inflamação da articulação sacroilíaca) e entesite (inflamação de tensões).

A maioria dos pacientes com DII (até 70%) e manifestações articulares apresentam artrite periférica migratória atingindo menos de cinco articulações, principalmente as grandes articulações como os joelhos, tornozelos, cotovelos e quadris. Os sintomas são dor, edema articular (inchaço) e limitação de movimentos.

Mas, por que as doenças inflamatórias intestinais causam artrite? Provavelmente devido a um componente genético associado a um componente de inflamação que se sobrepõem e causam a artrite. Um intestino inflamado faz com o que o sistema imune fique exposto a várias partículas estranhas que podem ativar a inflamação nas articulações.

Tratamento

O tratamento deve ser realizado pelo reumatologista juntamente com o especialista em DII (gastroenterologista ou coloproctologista)

Portanto, se você tem artrite, mas também tem diarréia ou dor abdominal, fique atento, pois pode não ser uma coincidência!

Fernanda Breder é reumatologista, graduada em Medicina e em Clínica Médica pela UFMT

 

Comentários Facebook
Propaganda

artigos

Conheça o seu limite

Publicados

em

Por Francisney Liberato

Para evitar respostas negativas de seus comportamentos, é necessário passar pelo autoconhecimento.

Todos nós, seres humanos, temos um limite sob o ponto de vista da emoção, que devemos observar atentamente a fim de termos uma vida mais equilibrada.

Sabe aquela situação em que você está no ambiente de trabalho e um colega profere palavras inverídicas contra a sua reputação? Por mais pacientes que sejamos, é difícil passar por uma situação dessas sem rebatê-la com um comportamento exaltado.

Por isso, é fundamental que tenhamos conhecimento prévio sobre os nossos limites emocionais. Precisamos conhecer os gatilhos emocionais que nos fazem perder o controle e a paciência diante de uma situação desagradável.

É indispensável que haja um conhecimento profundo sobre os nossos limites, pois, como diz a expressão popular, “ninguém é de ferro”.

Pode ser que você seja uma pessoa tranquila, mas posso lhe afirmar algo: respeite os seus limites, não pense que em todas as situações tensas e estressantes você conseguirá administrar e controlar as suas emoções. Há dias em que não amanhecemos tão bem, consequentemente, as nossas emoções estarão afloradas e basta acionar um gatilho que toda a calmaria se transforme em caos.

Nem sempre temos total controle sobre tudo o que nos acomete, por isso o excesso de confiança, nesse caso, é um risco ao autocontrole.

É importante que você saiba reconhecer quando os seus níveis de autocontrole estão baixos. Evite qualquer tipo de impulso emocional que possa acionar uma desproteção e um descontrole das suas emoções.

Em situações adversas, evite o confronto, não confie demais no seu controle e domínio sobre as emoções. Creio que é melhor desviar o foco e fugir de uma situação estressante.

Conhecer nossos limites é saber até onde poderemos controlar as nossas emoções. Não deixe chegar ao limite para tomar uma atitude comportamental. Evite o caos, seja sábio e faça o que puder para não perder o controle.

Francisney Liberato é Auditor do Tribunal de Contas. Escritor, Palestrante, Professor, Coach e Mentor. Mestre em Educação pela University of Florida. Doutor em Filosofia Universal Ph.I. Honoris Causa. Bacharel em Administração, Bacharel em Ciências Contábeis (CRC-MT) e Bacharel em Direito (OAB-MT). Vice-presidente da Associação Brasileira dos Profissionais da Contabilidade – ABRAPCON. Membro da Academia Mundial de Letras. Autor dos Livros: “Mude sua vida em 50 dias”, “Como falar em público com eficiência”, “A arte de ser feliz”, “Singularidade”, “Autocontrole”, “Fenomenal”, “Reinvente sua vida” e “Como passar em concursos – Vol. 1 e 2”, “Como falar em público com excelência”, “Legado” e “Liderança”. 

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana