artigos

A história se repete de novo ao Senado, será!

Publicados

em

Por Atila Pedroso de Jesus

Eleições gerais de 1982, disputava o Governo de Mato Grosso-PE. Pombo pelo PMDB e Júlio Campos pelo PDS, juntamente com a eleição de SENADOR que elegeu Roberto Campos.

Para essa reflexão pesquisei o histórico do Senador Roberto Campos, eleito em 1982 que atua nos governos de Getúlio Vargas, onde criou o BNDES, governo Juscelino Kubitscheck participando ativamente do Plano de Metas, posteriormente foi embaixador do Brasil em Washington no governo João Goulart e em Londres no governo Ernesto Geisel. Ministro do Planejamento do governo Castelo Branco, fundando o Ministério da Fazenda, criou também o BNH (Banco Nacional da Habitação), participou da criação do Banco Central.

Nascido em Cuiabá, foi para Belo Horizonte aos cinco anos órfão de pai, mas estudou 10 anos num seminário católico, deixando-o por rebeldia intelectual. Mudou-se para São Paulo (Batatais) onde lecionou. Em seguida foi para o Rio de Janeiro, legalmente analfabeto e sendo aprovado no concurso do Itamaraty.

Contado se forma sintética é essa a grande história antes de virar Senador, é nessa ótica que sigo a reflexão.

Em 1982 eu tinha apenas 9 anos, a casa da minha avó na Praça Bispo Dom José era o comitê político do PDS de “Julinho”, que recebia a visita do candidato a senador, então Roberto Campos. Sentados a uma mesa vários candidatos dentre os já mencionados, todavia, lembro como se fosse hoje, que havia um acerto para eleger o Senador e em seguida é apresentada uma mala com muito dinheiro para “AJUDAR” na campanha.

Este senador nascido em Cuiabá, tendo morado apenas até os 5 anos em Cuiabá e quiçá em outra cidade de Mato Grosso, foi eleito Senador da República pelo estado de Mato Grosso, de fato.

Dizem que posteriormente questionado por um jornalista sobre lutar e trabalhar pelo nosso estado, em que foi eleito respondeu “comprei minha eleição então não tenho obrigação nenhuma”, penso que esta seja uma verdade, posteriormente foi eleito deputado Federal pelo Rio de Janeiro por duas oportunidades (1991-1999).

Essa história pelos fatos apresentados de ser história com “H”.

Será que vai acontecer novamente, como o que se apresenta.

Atila Pedroso de Jesus – Cuiabano Nato – criado na Praça Bispo Dom José     

 

Comentários Facebook
Propaganda

artigos

A angústia dos Anjos Guardiães

Publicados

em

Por Paiva Netto 

 No Evangelho-Apocalipse de Jesus, somos constantemente exortados pelo Divino Mestre à vigilância. Por exemplo, Ele encerra o Seu Sermão Profético com esta determinação celeste: 

 — O que digo a vós, em particular, digo-o publicamente a todos: vigiai! 

Jesus (Marcos, 13:37) 

 Acerca dessa necessidade de nos mantermos de atalaia, enfatizamos uma questão fundamental: os nossos Anjos Guardiães, muitas vezes, querem inspirar-nos, e nós não prestamos atenção às instituições que eles nos dirigem. É ilustrativo o que notamos em trecho extraído do livro Sexo e Destino, de autoria do Espírito André Luiz, pela psicografia de Chico Xavier (1910-2002). 

Os fatos aqui desenrolam-se em torno de pobre moça que, completamente inebriada de paixão por um jovem disputado por ela e por sua irmã, marca um encontro numa pensão da cidade do Rio de Janeiro. Seu nome: Marita. Ela fora adotada por abonado casal do bairro do Flamengo. Seu padrasto (Cláudio Nogueira), entorpecido por um desejo lastimável de possuí-la, convence o leviano rapaz (Gilberto) a não comparecer ao encontro, de forma que ele mesmo, ao passar-se pelo jovem no quarto previamente reservado, pudesse consumar o hediondo objetivo. 

André Luiz, como um Anjo da Guarda de Marina, procurou em vão, de todas as maneiras, por alguém que captasse o pensamento que remetia ao cérebro de vários familiares, amigos e pessoas ligadas a ela, a fim de protegê-la daquela situação. 

Para tentar salvar a desventurada jovem do estupro, observem o esforço desesperado dos que se encontram numa dimensão em que há restrições ao contato entre eles e nós, por causa da mediocridade dos nossos cinco sentidos principais — porque existem outros que ainda descobriremos, como o sexto e depois o sétimo, o oitavo etc. 

Chamo a atenção de todos vocês, meus queridos Irmãos, estimadas Irmãs, jovens, pré-adolescentes, crianças, para que não lhes ocorra fato assim tão trágico. Não se pode fechar os canais mediúnicos à intuição do Bem. Daí estarmos sempre vigilantes, espiritual e materialmente falando, a fim de manter os “lobos” (invisíveis ou não) bem distantes. É imprescindível destacar que apenas nos devemos submeter à influência dos Espíritos de Luz. Só! De que maneira identificá-la?! É simples. Os Benfeitores do Espaço tão somente inspirarão coisas elevadas. Não vão intuir uma ação prejudicial a quem quer que seja, nem mesmo a nós próprios. Foi Jesus quem nos revelou a chave para distinguir uma presença espiritual boa de uma ruim: 

 Árvores e seus frutos 

43 Não existe árvore boa que produza mau fruto; nem árvore má que produza bom fruto. 

44 Pois cada árvore é conhecida pelos seus próprios frutos. Não é possível colher-se figos de espinheiros, nem tampouco uvas de ervas daninhas (Evangelho, segundo Lucas, 6:43 e 44). 

 Fiquemos, portanto, atentos! 

 José de Paiva Netto é jornalista, radialista e escritor – [email protected]www.boavontade.com 

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana