artigos

A dose certa

Publicados

em

Por Claiton Cavalcante

Muito se pergunta antes de levar a picada da vacina contra a Covid-19, se após pode ingerir bebida alcoólica.

Pergunta elementar, tendo em vista que os brasileiros são considerados um dos que mais ingerem birita no mundo. Essa afirmação está contida no estudo1 realizado pela empresa Global Grug que coloca os brasileiros na lista dos top 10 no consumo de álcool.

Não é pra menos né! Para o brasileiro tudo é motivo para festa, é comum as pessoas terem estocadas na geladeira a cervejinha trincando de gelada pronta para ser aberta em qualquer situação.

Bom seria se esse mesmo brasileiro tivesse a mesma fogosidade com que abre uma latinha de cerveja para enfrentar as filas de vacinação contra a pandemia que insiste em assolar a população, agora muito mais contagiante, contudo, menos letal.

Segundo o Consórcio formado pelos veículos de imprensa, até o último dia 25, o percentual de imunização dos brasileiros contra a Covid-19, estava assim representado: 79% com ao menos uma dose, 70% com o primeiro ciclo vacinal completo e outros 19% receberam a dose de reforço.

Enquanto os Emirados Árabes Unidos já atingiram 100% de vacinados, o Brasil é o 12º colocado na lista de países que mais vacinaram2. Poderíamos estar em melhor posição se não fosse, ainda, a resistência de muitos que são manipulados por poucos e que ousam desacreditar na ciência.

Para os 30% de brasileiros que faltam para completar a totalidade de vacinados com a segunda dose, a Sociedade Brasileira de Imunizações tem uma boa notícia – claro que essa informação é válida somente para os apreciadores da birita.

A Entidade afirma que não existe restrição à ingestão de bebida alcoólica antes ou depois de tomar a vacina e que o consumo moderado de bebidas alcoólicas não interfere na resposta gerada por nenhum imunizante vacinal.

Se isso for um alento para aqueles que gostam da bebida, então desde já estão convocados para ir até um posto de vacinação para completar as doses faltantes.

Tomem quantas doses for necessária. Doses da vacina! Pois doses excessivas ou o uso abusivo de bebida alcoólica sabemos que torna sem efeito diversos medicamentos, além de levar o vacinado à dependência.

Já pensou se houvesse uma campanha com o seguinte slogan: “Tome e vacine, vacine e tome!”. Os aficionados preencheriam sem peso na consciência as filas que carecem de participantes necessitados de receberem as doses da imunização.

Então respondendo à pergunta do início do artigo. Você que recebeu ou pretende receber a dose da vacina contra a Covid-19, pode sim comemorar antes ou depois da picada abrindo a sua gelada de preferência ou degustando um bom vinho. Sempre com moderação!

Quanto a mim, após a dose de reforço que tomei semana passada, esperei três dias para tomar uma lapada de girgolina.

1 https://www.globaldrugsurvey.com/wp-content/uploads/2021/01/GDS2020-Executive-Summary.pdf

2 https://ourworldindata.org/covid-vaccinations

Claiton Cavalcante é Contador

 

Comentários Facebook
Propaganda

artigos

Consequências

Publicados

em

Por Francisney Liberato

É melhor pensar antes de agir do que viver a vida remoendo o que deveria ter evitado.

Tudo o que fazemos em nossa vida gera consequências. Nem eu e nem você está imune do reflexo de nossos atos, sejam eles bons ou ruins.

De acordo com a lei de Isaac Newton, toda ação gera uma reação, isto é, toda causa traz consigo uma consequência ou efeito, ou seja, se a causa for positiva, consequentemente, o resultado será positivo, por outro lado, se a causa for negativa, o efeito será negativo.

Pense, por exemplo, numa situação em que você estava extremamente estressado e, ao chegar em casa, a sua esposa o provocou. Como se não bastassem os problemas adjacentes, você ainda teve que lidar com aquela situação.

Devido ao seu estresse, acabou perdendo a paciência a ponto de ofender a sua companheira.

Transcorridas algumas horas, você se arrepende da ofensa que fez, contudo, ela, que aparentemente aceitara suas desculpas, ainda traz no íntimo a tristeza.

Perceba que não está mais no seu controle o que sua atitude gerou, antes deveria pensar na aplicação de algumas técnicas de autocontrole, para assim evitar a situação descrita.

Fato é que lidar com as emoções nem sempre é fácil, pois elas são muito mais rápidas do que a nossa racionalização, por isso, é necessário ter autocontrole para “puxar as rédeas” da emoção e assim conseguir dominar o “eu” rompante, e ter uma vida menos agressiva.

Não dá para viver alimentando a mentalidade de que é impossível dominar as próprias emoções. Não podemos viver trazendo consequências negativas para as pessoas que estão próximas a nós.

É necessário mudar a forma de pensar, treinar, lutar, batalhar, coordenar, controlar, e ser o dono da gestão da sua vida, sendo o autor principal da sua história. Se você deseja mudar a sua vida de forma sustentável, indico o meu livro “Mude sua vida em 50 dias”.

Quer hoje transmitir consequências positivas de sua vida para as demais pessoas? Quer entender, compreender, analisar e treinar o domínio da emoção? Quer ser uma pessoa melhor e mais feliz? Quer transmitir amor e felicidade para as pessoas? A forma que você tem para fazer tudo isso é por intermédio da gestão da emoção. Esteja no controle da sua vida.

Francisney Liberato é Auditor do Tribunal de Contas. Escritor, Palestrante, Professor, Coach e Mentor. Mestre em Educação pela University of Florida. Doutor em Filosofia Universal Ph.I. Honoris Causa. Bacharel em Administração, Bacharel em Ciências Contábeis (CRC-MT) e Bacharel em Direito (OAB-MT). Vice-presidente da Associação Brasileira dos Profissionais da Contabilidade – ABRAPCON. Membro da Academia Mundial de Letras. Autor dos Livros: “Mude sua vida em 50 dias”, “Como falar em público com eficiência”, “A arte de ser feliz”, “Singularidade”, “Autocontrole”, “Fenomenal”, “Reinvente sua vida” e “Como passar em concursos – Vol. 1 e 2”, “Como falar em público com excelência”, “Legado” e “Liderança”. 

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana