turismo

5 lugares para curtir o frio na Serra Gaúcha fora de Gramado e Canela

Publicados

em


source


vinicola
linaurqugatt

vinicola








Gramado e Canela são as cidades mais conhecidas quando o assunto é turistar e curtir o frio no sul do Brasil. No entanto, existem outras cidades também na serra gaúcha, lindas, geladas e com lugares super interessantes para o seu tour de inverno com glamour no Rio Grande do Sul. Pensando nisso, o iG Turismo organizou uma listinha de lugares e cidades para o turista conhecer.

A serra gaúcha é conhecida por ser uma região muito fria, com fabricação de bons queijos, chocolates e vinhos. Dependendo da sua sorte, também é possível presenciar neve e geadas bem nos primeiros horários do dia.  A arquitetura também não passa despercebida, uma vez que por conta da forte migração italiana e alemã, as casas e os prédios dão uma sensação de estar em território europeu. 

Ao todo são 13 municípios que formam a região da serra gaúcha. Gramado e Canela formam a rota de imigração alemã, com café colonial alemão e atividades culturais essencialmente da cultura germânica. Bento Gonçalves, Garibaldi e Carlos Barbosa são cidades conhecidas como rota do vinho. Já Caxias do Sul, Flores da Cunha e Nova Pádua com uma forte cultura italiana, com restaurantes e cafés coloniais italiano. Confiram abaixo roteiros para conhecer por completo a região da serra gaúcha.

Vinícola Centenária Peterlongo – Garibaldi

vinícola
mr.martins.rafa

vinícola



Apesar de não ser tão conhecida, é uma linda cidade da serra gaúcha, considerada a capital brasileira do espumante. No centro de Garibaldi há vinícolas e uma delas é a centenária vinícola Peterlongo, local onde foi inaugurado o primeiro espumante brasileiro. O casarão onde fica localizado a vinícola é basicamente um castelo no meio da cidade.

Por lá, é possível realizar um piquenique em família, degustando vinhos, espumantes e experimentando as comidinhas servidas nos parreirais ao lado. O tour inicia pelo Museu da Peterlongo, passando pelos tanques, cave subterrânea, finalizando na degustação de vinhos e espumantes.

Cada dupla participante do piquenique receberá uma cesta com taças, frios, geleia, porções de torradinhas, damasco, amendoim japonês, azeitonas, pão de mel, trufas artesanais, um espumante e um suco de uva integral.  

O atendimento é somente sob reserva e o valor do piquenique para duas pessoas é de R$ 220.

Cabana no Vale dos Vinhedos – Bento Gonçalves

Você viu?


Cabana no Vale dos Vinhedos
Cabana no Vale dos Vinhedos

Cabana no Vale dos Vinhedos

Bento Gonçalves é conhecida como a cidade dos vinhos, com restaurantes e acomodações supreendentes. A cabana no Vale dos Vinhedos é um exemplo desses aconchegos, com uma grande estrutura para receber os turistas com Wi-Fi gratuito, recepção 24 horas, cozinha compartilhada, estacionamento privativo gratuito, ar-condicionado, cozinha, área de estar, área para refeições e TV de tela plana, além de churrasqueira e um terraço ao ar livre. 

O Cabana no Vale dos Vinhedos fica a 6 km da Vinícola Aurora e a 8 km do Centro de Convenções – Fundaparque, na rua Estrada Linha 15 da Graciema, Bento Gonçalves. O aeroporto mais próximo é o Aeroporto Regional Hugo Cantergiani, a 37 km de distância. Neste local, duas diárias custam cerca de R$ 800.

Restaurante Panorâmico Belvedere Sonda – Nova Pádua

restaurante
Restaurante Panorâmico Belvedere Sonda

restaurante


O município Nova Pádua, nascido como uma homenagem à cidade italiana Pádua, é conhecido por ter vários restaurantes com culinária do país europeu e é mais um dos lugares que para curtir o frio na Serra Gaúcha. O restaurante panorâmico Belvedere Sonda é um dos mais bem avaliados em Nova Pádua com gastronomia italiana. 

Funcionando com reservas e em fins de semana e somente no horário do almoço, o restaurante conta com sabores típicos da gastronomia italiana e com uma bela taça de vinho produzido na própria região. O tamanho do salão do restaurante é enorme, com mesas compridas com toalhas quadriculadas, em um ambiente simples.  

O preço do almoço típico italiano é em torno de R$ 49 e a localização é na região rural de Nova Pádua, na rua Travessão Mutzel. 

Mirante Morro do Calvário – Carlos Barbosa

Morro do Calvário
Leandro Facchini

Morro do Calvário


Para quem gosta de uma visão panorâmica e um turismo movido pela fé, uma ida até o Morro do Calvário pode ser um bom roteiro. Anualmente, o local apresenta as cenas finais e mais emocionantes da encenação da Paixão de Cristo e o Morro do Calvário possibilita uma deslumbrante visão do município de Carlos Barbosa, com 30 mil habitantes, conhecido pela sua forte migração italiana.

Lá em cima se encontra a famosa Igreja Nossa Senhora das Dores, que fica no topo do morro. O turista vai precisar percorrer um percurso que possui as 14 estações da Via Sacra, onde acontece anualmente a encenação da Paixão e Morte de Cristo. O horário de funcionamento é das 9h às 17h, com entrada gratuita, e durante a pandemia é necessário ficar atento à reabertura. 

Para ter acesso ao município de Carlos Barbosa é preciso acessar a  BR-470, tanto para quem vem de  Bento Gonçalves e e tanto para quem vem de Garibaldi. Para quem vem da capital, Porto Alegre, a opção é a RS-446, em São Vendelino.

Fondue em Arcanjo Restaurante – Caxias do Sul

fondue
Divulgação/ViajaNet

fondue


Fondue é um dos pedidos favoritos quando o assunto é frio. Em Caxias do Sul, uma das maiores cidades da Serra Gaúcha, o restaurante Arcanjo é uma das melhores opções para esta delícia quentinha. 


A estrutura do Arcanjo é fascinante e enorme, contando com salão principal; com capacidade para acomodar confortavelmente até 130 pessoas, salão privativo, conforto e diversão para crianças. Cada mesa possui um espaço reservado, permitindo a privacidade entre os clientes.

Três tipos de fondue são servidos: tradicional de queijo, carnes e chocolates por R$ 85 com direito a repetição. A local fica na Rua Pinheiro Machado, 2851, Bairro São Pelegrino, em Caxias do Sul.

Fonte: IG Turismo

Comentários Facebook
Propaganda

turismo

Road trip: conheça as estradas mais bonitas do mundo

Publicados

em


source
Estradas mais bonitas do mundo
Reprodução

Estradas mais bonitas do mundo



Para viajar de carro, não basta conhecer muito bem o lugar para onde vai e se preparar para grandes trajetos, mas também saber aproveitar ao máximo a vista e as belezas que ela proporciona. Há quem diga que, às vezes, o caminho é mais impressionante que o destino final da viagem.

Por este motivo, o iG Turismo selecionou as estradas mais surpreendentes em diversas partes do mundo, inclusive no Brasil, para fazer do trajeto algo prazeroso e que faça parte da grande viagem sobre quatro rodas. 

Passo Stelvio, Itália

Estradas mais bonitas do mundo
Reprodução

Estradas mais bonitas do mundo


Nos alpes italianos, a estrada possui 75 km de extensão e liga Valtellina Merano a Bolzano, província bem próxima à fronteira com a Suíça. Quem viajar por lá terá que passar por 60 curvas tortuosas em zigue-zague. Além disso, a estrada fica a 2.757 metros de altitude, o que a torna extremamente perigosa também.

Passo do Stelvio está cravada em uma montanha localizada no Tirol do Sul, na fronteira entre Trentino-Alto Ádige e a Lombardia, na Itália, e contornam os Alpes Orientais. Construída no ano de 1820, é a estrada de maior altitude do país.

Rodovia do Atlântico, Noruega

Estradas mais bonitas do mundo
Reprodução

Estradas mais bonitas do mundo


Com 8,4 km de extensão, a estrada liga a ilha de Averøy ao continente. Ela foi inaugurada em 1989, considerada Patrimônio Cultural do país. A exuberância de sua paisagem se vale, principalmente, pelas ondas que quebram sobre ela.

A rota foi proposta, originalmente, como uma linha ferroviária no início do século 20, mas foi abandonada. Assim, na década de 1970 começou a ser estudada a possibilidade da construção de uma rodovia no mesmo local, o que efetivamente começou no dia 1 de agosto de 1983. Durante a obra, a área foi atingida por 12 tempestades de vento europeias e a estrada foi inaugurada somente em julho de 1989.

A estrada começa em uma aldeia chamada Kårvåg, segue por diversas ilhas, todas ligadas entre si por pontes, e passa por três mirantes e locais de descanso em toda sua extensão. 


Você viu?

Transfagarasan, Romênia

Estradas mais bonitas do mundo
Reprodução

Estradas mais bonitas do mundo


Uma das atrações turísticas mais visitadas da Romênia, a rodovia é uma estrada de montanha que atravessa o sul da cordilheira dos Cárpatos da Roménia. Pertence à rede rodoviária principal da Romênia e é a segunda maior estrada pavimentada no país após a Transalpina.

Ela está aberta apenas durante o verão no Hemisfério Norte, de junho a outubro, devido aos altos índices de nevascas no local. O caminho possui mais de 90 km de extensão, cercadas por um imenso campo com montanhas e vegetação. Seu ponto mais alto fica a 2.042 metros de altura.

A rota, construída no início da década de 1970, era uma estrada militar estratégica que ligava as regiões históricas de regiões da Transilvânia e da Valáquia. O caminho é sinuoso, com curvas íngremes e fechadas, longas curvas em ‘S’ e descidas. Devido à topografia, a velocidade média é em torno de 40 km/h.

Lá, é possível ver o Lago Bâlea, o Túnel Bâlea – o maior do país com 884 m -, além do Castelo Poenari, que pertenceu a Vlad, o Empalador, a inspiração do Conde Drácula de Bram Stoker. Além disso, a parte norte é usada para competições anuais de ciclismo, incluindo o Tour da Romênia.

Great Ocean Road, Austrália

Estradas mais bonitas do mundo
Reprodução

Estradas mais bonitas do mundo


Situada no estado de Victoria, ela se estende por 240 km de extensão. Perto de Melbourne, ela possui um cenário tão espetacular que é impossível não se encantar. A união de falésias, costeiras à beira-mar, vegetação, formações rochosas e animais selvagens a transformam em uma das rotas mais bonitas da Austrália.

A Great Ocean Road liga as cidades de Torquay e Allansford e percorre a costa sudoeste do litoral australiano. A rodovia faz parte do “Australian National Heritage List” (em português, Lista do Patrimônio Nacional australiano).

O caminho foi construído por soldados do exército australiano entre 1919 e 1932, é o maior memorial de guerra do mundo, além de estar inserido em ambientes de belas praias e paisagens.

Serra do Corvo Branco, Brasil 

Estradas mais bonitas do mundo
Reprodução

Estradas mais bonitas do mundo


Em Santa Catarina, a estrada tem 56,5 km de extensão, buscada por viajantes da serra catarinense e ciclistas. O caminho atravessa as subdivisões da formação rochosa que tem origem no Paraguai e corta os três estados da Região Sul do Brasil, indo na direção do Uruguai e Argentina, dividindo o litoral do interior de Santa Catarina.

A serra do Corvo Branco liga os municípios de Urubici e Grão-Pará, que têm uma diferença de altitude de 805 metros entre elas. O nome da estrada é em homenagem a uma ave de rara conhecida como Urubu-rei. Esta ave, de plumagem branca e alguns detalhes coloridos, desconhecida pelos habitantes locais, foi apelidada erroneamente de corvo.

Big Sur Coast Highway, Estados Unidos

Estradas mais bonitas do mundo
Reprodução

Estradas mais bonitas do mundo


No estado da Califórnia, a estrada possui cerca de 140 km e é uma grande atração turística do país. Entre o mar azul e montanhas impressionantes, ela ficou ainda mais estimada ao ser cenário de Big Little Lies, série da HBO.

A Pacific Coast Highway é considerada a maior estrada costeira do estado norte-americano que liga as localidades de Dana Point e Leggett e a maioria das cidades sobre na linha costeira do estado, famosa por cortar deslumbrantes paisagens praianas em sua extensão.

Em seu percurso, a rota cruza com grandes e médias cidades como conhecidas no Brasil por ser cenário de diversos filmes como Los Angeles, Long Beach, Santa Mônica e Malibu.

Rota Alpina Kurobe, Japão

Estradas mais bonitas do mundo
Reprodução

Estradas mais bonitas do mundo


A estrada une as províncias de Nagano e Toyama, apresentando uma paisagem montanhosa de encher os olhos, em aproximadamente 37 km de extensão. Também conhecida como a Rota Alpina de Tateyama Kurobe, este reservas grandes surpresas em seu caminho, sendo uma delas o Vale do Inferno, que fica próximo a Jigokudani e ganhou este nome por suas atividades vulcânicas constantes.

Por ali, o turista também vai encontrar os cânions de neve, um dos pontos prediletos de quem passa por ali. Durante o inverno, começando ao final de novembro, a estrada se fecha por causa do excesso de neve e, em abril, o caminho se reabre e o governo faz a limpeza das pistas, o que cria um corredor de neve. A atração chama a atenção dos visitantes que passam por ali só para ver os paredões brancos que podem atingir 20 metros de altura e que permanece ali até meados de junho até derreter.

No caminho, também é possível conhecer a diversidade de vegetação do Japão, com montanhas verdejantes e campos que parecem cenários de novelas e filmes. Quando o outono chega, todo verde vai embora e dá lugar a uma paisagem de folhas secas que não deixa de ter seu charme.

Fonte: IG Turismo

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana