assembleia legislativa

14ª Legislatura e Mesas Diretoras 1999-2003

Publicados

em


PARLAMENTARES:

Alencar Soares Filho
Amador Ataíde Gonçalves Tut
Benedito Pinto da Silva
Carlos Brito de Lima
Carlos Carlão Pereira do Nascimento
Eliene José de Lima
Emanuel Pinheiro
Ernandy Maurício Baracat de Arruda (Nico Baracat)
Francisco Tarquínio Daltro (Chico Daltro)
Gilney Amorim Viana
Hermínio José Barreto
Humberto Melo Bosaipo
Jair Mariano
Joaquim Sucena Rasga
José Carlos de Freitas Martins
José Carlos Junqueira de Araújo (Zé Carlos do Pátio)
José Geraldo Riva
Moacir Pires de Miranda Filho
Pedro Inácio Wiegert (Pedro Satélite)
Renê Barbour
Romoaldo Aloísio Boraczynski
Serys Marly Slhessarenko
Silval da Cunha Barbosa
Wilson Celso Teixeira (Wilson Teixeira Dentinho)

SUPLENTES:
Amadeu Teles Tamandaré
Carlos Roberto Santana Nunes
Edmilson Paulista Martins
Elarmim Miranda
Everaldo Simões de Andrade
Francisco Dantas Garcia (Chiquinho Garcia)
Gonçalo Domingos de Campos Neto (*)
José Antônio de Almeida(Baú)
José Eduardo Barbosa Barros (Duda Barros)
Milton Ferreira Rodrigues
Moisés Feltrin
Nilson Aparecido Leitão
Nilson Novaes Porto
Sebastião Norberto de Barros (Batico)
Túlio Aurélio Campos Fontes
(*) Efetivou-se no mandato em decorrência da eleição do deputado Romoaldo Júnior à prefeitura de Alta Floresta.

Mesa Diretora (1999-2001)
Presidente José Geraldo Riva
1º Vice-Pres. Pedro Inácio Wiegert
2º Vice-Pres. Eliene José de Lima
1º Secretário Humberto Melo Bosaipo
2º Secretário Jair Mariano
3º Secretário José Carlos de Freitas Martins

Mesa Diretora (2001-2003)
Presidente Humberto Melo Bosaipo
1º Vice-Pres. Ernandy Maurício Baracat de Arruda
2º Vice-Pres. Joaquim Sucena Rasga
1º Secretário José Geraldo Riva
2º Secretário Hermínio Barreto
3º Secretário Eliene José de Lima

Comentários Facebook
Propaganda

assembleia legislativa

Assembleia apoia projeto de combate à violência contra a mulher

Meta do projeto da ALMT é reunir 10 mil voluntários nos 43 municípios onde ele será implantado inicialmente

Publicados

em

Por


ALMT

Maluf.jpg

Projeto pretende combater os casos de violência no estado a partir da formação de um “exército” de voluntários, orientados com base na Lei Maria da Penha

A Assembleia Legislativa firmou parceria com a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) para desenvolvimento do projeto “Exército de Marias da Penha”, que visa combater a violência contra a mulher em Mato Grosso. A parceria foi assegurada pelo presidente da Assembleia, deputado Guilherme Maluf (PSDB), e será executada pela Sala da Mulher e TV Assembleia.

 

O projeto pretende combater os casos de violência no estado a partir da formação de um “exército” de voluntários, que serão capacitados e disseminarão em suas comunidades informações acerca dos tipos mais comuns de violência contra a mulher, fatores relacionados às ocorrências e detalhes da Lei n° 11.340, conhecida popularmente como Lei Maria da Penha.

 

A meta do projeto é reunir 10 mil voluntários nos 43 municípios onde ele será implantado inicialmente. “Começaremos pelos locais que apresentam maior vulnerabilidade no que se refere à violência contra a mulher, mas queremos alcançar o maior número de pessoas possível, chegando até os 141 municípios mato-grossenses”, frisou a idealizadora do projeto e superintendente de Políticas para as Mulheres de Mato Grosso, Isabel Silveira.

 

Podem participar como voluntários mulheres e homens com idades acima de 16 anos, sendo que estes serão envolvidos no projeto através do Programa “Eles por Elas”, da Organização das Nações Unidas (ONU). Para se inscrever, basta enviar um email para [email protected] ou ligar no telefone (65) 99987-5303.

 

Capacitação

 

A capacitação dos voluntários será realizada em três etapas, por meio de 21 videoaulas, gravadas nos estúdios da TV Assembleia.

 

A primeira etapa orientará os voluntários a disseminar as informações em escolas e unidades do  Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) e do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS).

 

A segunda etapa irá prepará-los para abordar mulheres vítimas de violência nas comunidades urbanas e rurais e a terceira etapa, para ministrar palestras para homens em canteiros de obras, postos de gasolina, lavouras, entre outros lugares.

 

Ministrada pela juíza da 10ª Vara Criminal e da 1ª Vara da Violência Doméstica, Ana Cristina Mendes, a primeira das 21 videoaulas foi gravada nesta terça-feira (12) e abordou as formas de violência contra a mulher, os fatores econômicos que podem influenciar as ocorrências e o ciclo no qual estão incluídas as vítimas.

 

Segundo Ana Cristina, muitas mulheres acreditam ser culpadas pela agressão que sofreram. “Essas mulheres geralmente apresentam baixa auto-estima e são dependentes financeiramente e emocionalmente de seus parceiros. Elas acreditam que não merecem ser felizes ou que só conseguirão ser felizes ao lado deles”, relatou.

 

As demais videoaulas serão ministradas por juízes, promotores, defensores públicos, professores, psicólogos e outros profissionais que atuam em favor da causa. Além do Governo do Estado e da Assembleia Legislativa, o Tribunal de Justiça e a Defensoria Pública também participam do projeto.

 

Realidade de MT

 

Mato Grosso foi o primeiro estado do país a implantar a Lei Maria da Penha, que completará 10 anos no dia 7 de agosto. Apesar disso, segundo Isabel Silveira, nos últimos 10 anos houve um aumento de 32% de homicídios contra a mulher registrados no estado.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana