TECNOLOGIA

10 crossovers inusitados no mundo dos games

Publicados

em


source
Crossovers acontecem com frequência no mundo dos games
Reprodução

Crossovers acontecem com frequência no mundo dos games

Quando personagens de franquias diferentes se encontram nos jogos e em outras mídias, chamamos isso de um crossover. Quase sempre há um motivo na narrativa para que isso aconteça, porém o que mais importa é poder ver nomes queridos em uma mesma aventura. Separamos 10 crossovers diferentões no mundo dos games para você conhecer. Confira!

1. Robocop versus The Terminator

Baseado em uma série de quadrinhos lançada em 1992, esse encontro entre dois ícones da ficção científica chegou aos games em 1993 pela Virgin Interactive Entertainment. Curiosamente, cada console que recebeu o game, acabou com uma narrativa diferente. No geral, há um pano de fundo para fazer com que o Exterminador e o Robocop acabem se encontrando e se estranhando.

No jogo de luta Mortal Kombat 11 de 2019, há um pacote de DLC que traz esses dois personagens para novos confrontos.

  • Ano de lançamento: 1993
  • Plataformas: Master System, Game Gear, Mega Drive, Game Boy, NES, SNES

2. Mortal Kombat vs. DC Universe

Antes do reboot da franquia Mortal Kombat que ocorreu em 2009, a Warner e a Midway Games decidiram colocar Batman e Superman em uma briga contra Scorpion e Sub-Zero. Trazendo uma história maluca na qual ambos mundos acabam se unindo, a obra traz lutas de 1 x 1 em um cenário totalmente 3D.

Caso você esteja se perguntando dos fatalities, vale destacar que os heróis da DC Comics não matam seus inimigos. Sendo assim, eles têm os chamados “Heroic Brutalities”, golpes finalizadores que nocauteiam o oponente.

  • Ano de lançamento: 2008
  • Plataformas: PlayStation 3, Xbox 360

3. Project X Zone

Crossovers em games de uma mesma empresa não é algo muito incomum hoje em dia, mas quando juntam três companhias diferentes, aí sim temos algo especial. É o que ocorre no RPG tático Project X Zone, que mescla franquias da Capcom, Sega e Namco em uma gigantesca aventura.

Toda a jogabilidade envolve mapas com espaços fixos nos quais os personagens enfrentam seus inimigos com o objetivo de salvar o mundo. Nomes como Jill Valentine de Resident Evil, Ryu de Street Fighter, Jin Kazama de Tekken, Kurt Irving de Valkyria Chronicles, entre muitos outros, fazem parte do elenco.

  • Ano de lançamento: 2012
  • Plataforma: Nintendo 3DS

4. Star Wars em Soul Calibur

Este já é um encontro extremamente inusitado, mas que divertiu muito quem jogou com Yoda ou Darth Vader em Soul Calibur IV. Usar ambos os mestres nos confrontos 1 x 1 faz parte de uma onda de personagens convidados nos jogos de luta de anos recentes.

Os jogadores podem usar as técnicas de sabre de luz ao encarar outros nomes famosos da franquia Soul Calibur, como Mitsurugi e Nightmare. Pode parecer maluco, mas a jogabilidade dos personagens de Star Wars acabou encaixando perfeitamente no título de luta. Ah! O Starkiller, protagonista de The Force Unleashed também está disponível no game.

  • Ano de lançamento: 2008
  • Plataformas: PlayStation 3, Xbox 360

5. Tartarugas Ninjas em Smite

Para quem gosta de MOBA, foi interessante ver as populares Tartarugas Ninjas dando as caras em Smite. É verdade que Leonardo, Raphael, Donatello e Michelangelo aparecem como skins de outros personagens, porém vale toda a nostalgia e diversão.

Os jogadores assumem o papel dos guerreiros em batalhas em terceira pessoa em uma grande arena. É possível usar as habilidades de cada tartaruga durante as partidas. Infelizmente, o passe de batalha só esteve disponível até janeiro de 2021.

Leia Também

  • Ano de lançamento: 2020
  • Plataformas: PlayStation 4, Nintendo Switch, Xbox One, Mac OS, Microsoft Windows

6. Professor Layton vs. Phoenix Wright

Talvez o meu favorito dessa lista de crossovers nos games. Juntar dois títulos de visual novel e quebra-cabeça em uma única aventura foi uma ideia excelente da Capcom e da Level-5. O game mistura elementos de investigação, casos no tribunal, puzzles e muitas reviravoltas empolgantes.

Além disso, ter personagens das franquias Professor Layton e Phoenix Wright em uma mesma narrativa faz com que qualquer fã fique apaixonado nos primeiros minutos de jogatina. Se não jogou, não perca tempo e comece essa jornada.

  • Ano de lançamento: 2012
  • Plataformas: Nintendo 3DS

7. Battletoads & Double Dragon

Dois sucessos do gênero beat ‘em up da década de 90 se encontraram em uma obra cheia de ação e momentos engraçados. Os corajosos sapos de Battletoads e os irmãos Lee de Double Dragon precisam derrotar a Dark Queen e os Shadow Warriors que querem dominar a galáxia.

A jogabilidade é pura porradaria, sendo um dos crossovers dos games que mais faz sentido, se pensarmos bem. Podemos escolher entre os cinco personagens e enfrentar hordas de inimigos e chefes. Um jogão!

  • Ano de lançamento: 1993
  • Plataformas: Game Boy, NES, Mega Drive, Super Nintendo

8. Kingdom Hearts

Uma série que mistura elementos e personagens da Square Enix com o mundo mágico da Disney. Ou seja, temos o Pato Donald enfrentando monstros com poderes mágicos clássicos de séries como Final Fantasy, por exemplo.

A franquia tem uma enorme base de fãs sempre empolgados para a próxima empreitada. Vale destacar a trilha sonora formidável e a história confusa. De qualquer forma, é uma mescla que ninguém esperava até ela ser lançada para o PlayStation 2.

  • Ano de lançamento: 2002
  • Plataformas: PS2, GBA, Nintendo DS, PSP, 3DS, PS3, PS4, Xbox One, Switch, PC, Dispositivos móveis

9. Sonic & All-Stars Racing Transformed

Assim como a Nintendo fez muito bem na série Mario Kart, a Sega também trouxe muita qualidade em um jogo de corrida com seus personagens mais relevantes. Nesse título, além dos carros, os veículos conseguem se transformar em aviões e barcos para passarem por caminhos distintos.

Há muitos nomes icônicos aqui, desde o ninja de Shinobi ao Beat de Jet Set Radio. Marcando vários anos de sucessos da empresa japonesa. Meu principal destaque vai para o modo campanha, charmoso e desafiador ao mesmo tempo.

  • Ano de lançamento: 2012
  • Plataformas: Wii U, PS3, Xbox 360, PC, 3DS, PS Vita, Dispositivos móveis

10. Marvels VS Capcom

Começando com X-Men vs. Street Fighter de 1996, essa franquia cresceu e trouxe aos fãs uma jogabilidade de qualidade, além de muitos personagens que jamais pensamos que um dia se enfrentariam. A partir daí, outros títulos foram lançados, abraçando o termo “versus game” em sua identidade.

Já em 1998, tanto Marvel quanto Capcom assumiram o protagonismo no primeiro jogo da consagrada série. Ryu contra Hulk, Mega Man contra Homem-Aranha. As possibilidades eram enormes, agradando público e crítica. Definitivamente, uma franquia imperdível.

  • Ano de lançamento: 1998
  • Plataformas: Arcades, Dreamcast, PS1, Sega Saturn, PS2, Xbox, PS3, Xbox 360, PS4, Xbox One, PC

Comentários Facebook
Propaganda

TECNOLOGIA

Veja como se proteger de golpistas online na compra de celulares

Publicados

em

Celulares e aparelhos eletrônicos são os principais alvos de golpistas na internet
Joshua Hoehne/Unsplash

Celulares e aparelhos eletrônicos são os principais alvos de golpistas na internet

Os celulares lideram a lista de produtos com mais fraudes no comércio eletrônico e têm despertado cada vez mais a atenção dos golpistas. Os dados são de uma pesquisa da OLX, plataforma de compra e venda on-line, e do AllowMe, de proteção de identidades digitais, feita no período de janeiro a maio de 2022. Segundo o levantamento, para atrair as vítimas, os fraudadores costumam anunciar os produtos cerca de 14% mais baratos do que os anúncios idôneos.

Somente no Estado do Rio, o prejuízo estimado nos cincos primeiros meses do ano foi da ordem de R$ 7,3 milhões. Em todo o país, o total de fraudes chegou a R$ 62,9 milhões. O chamado golpe da compra confirmada é o mais comum no Rio, seguido pelo do anúncio falso.

A fraude da compra confirmada ocorre quando um fraudador se passa por comprador, finge que fez o pagamento para resgatar o produto e envia um falso comprovante. No caso do anúncio falso, o golpista oferece um produto inexistente, recebe o dinheiro, mas não envia a mercadoria.

“Existe um aumento de compra de celulares usados, e o crescimento das fraudes se dá na esteira disso. O celular é um produto muito visado porque é de alto valor agregado, fácil de manusear e de revender. E no topo da lista está o iPhone”, destaca Beatriz Soares, diretora de Produto e Operações da OLX.

Os celulares representam 48%, seguidos por videogames (20%) e computadores (11%).

Para Pamela Prevedel, engenheira e líder de Produtos do AllowMe, os fraudadores em geral não agem sozinhos.

“Em geral, são quadrilhas especializadas. Eles entram em contato com muita gente, porque sabem que muitos não cairão no golpe. Eles agem em escala.Geralmente, são pessoas especializadas em cada processo e testam os golpes”, diz.

Roubo de dados: Veja quais são os cinco golpes mais comuns pelo celular e como se proteger

Camila Cardoso, funcionária de uma agência de eventos, de 33 anos, conta que foi vítima de três golpes. Em dois deles, fez compras em sites falsos, e não conseguiu reaver o que pagou. Em outra ocasião, ela fez uma compra em um grande site, mas também não recebeu o produto. O marketplace devolveu o dinheiro por meio de estorno do cartão de crédito.

“Fiz uma compra de uma minigeladeira em um marketplace. E o vendedor cobrou o frete por fora. Após o prazo de entrega, entrei em contato com o site, que estornou R$ 500 no cartão de crédito. Antigamente, tinham sinais mais claros de golpe. Hoje, não. Parece tudo certinho”, explicou.

Marketplace pode ter que ressarcir Para Beatriz Castilho Costa, pesquisadora do Centro de Tecnologia e Sociedade (CTS) da FGV Direito Rio, uma das formas de o consumidor se resguardar é utilizar a própria plataforma de marketplace para se comunicar, seja o usuário comprador ou o vendedor. Segundo ela, se a vítima seguiu todas as orientações da plataforma na negociação, o site pode ter ressarcir o prejuízo do consumidor:

“Toda a comunicação deve ser feita por meio da plataforma, no chat. Em geral, quando esse tipo de fraude acontece, as pessoas saem da plataforma. O que chega nos tribunais é que as tratativas começaram lá dentro do sistema e terminaram de outra forma. O que fica mais difícil de comprovar a responsabilidade do site”

Daniel Marques, presidente da AB2L, Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs, avalia que a negociação deve ser concluída dentro do site. “A empresa deve proteger os dados e criar métodos de verificação para confirmar a venda”, explica ele.

Documentos falsos

De acordo com especialistas, em caso de fraude, o suposto comprador pode enviar documentos falsos para comprovar o pagamento.

“Nos casos dos golpes da compra confirmada os consumidores devem se atentar a mensagens ou e-mails de empresas, conferindo se o endereço do e-mail recebido confere com o domínio da empresa gestora do marketplace e/ou do vendedor, e sempre que possível, acompanhar os seus pedidos diretamente no site ou aplicativo da plataforma” alerta Tatiana Coutinho, advogada de Privacidade e Proteção de Dados Pessoais, Regulação e Novas Tecnologias, do escritório Lima e Feigelson Advogados.

Já nos casos que envolvem anúncios falsos, o consumidor deve desconfiar de produtos negociados com o valor abaixo do preço de mercado. Caso opte por negociar diretamente com o vendedor, deve realizar o pagamento após o recebimento do produto. Segundo Coutinho, se desconfiar de atitudes suspeitas, o consumidor deve denunciar o vendedor ou anúncio à plataforma para a verificação de eventual fraude.

Compra confirmada : O fraudador faz um falso comprovante de depósito com os dados da vítima e o envia por e-mail ou aplicativo de mensagem, fazendo a pessoa acreditar que o valor já foi depositado e entregue o produto da venda. Quando a vítima percebe o golpe, o fraudador já está com o produto e deixa de responder às mensagens.

Como se prevenir : Só entregue o produto após a confirmação do depósito em sua conta bancária ou carteira digital. Mantenha a conversa pelos chats das plataformas e evite negociar por aplicativos de mensagens. Desconfie de mensagens ou e-mails que simulem comunicados oficiais das empresas, verifique o domínio do e-mail ([email protected]) e cheque sempre o status da negociação no site ou no aplicativo da empresa.

Anúncio falso : O fraudador insere o anúncio de um produto nas plataformas de compra e venda, com o objetivo de atrair as vítimas. Na maioria das vezes, o produto é, em média, 14% mais barato do que o valor de mercado. Imaginando ser uma oferta real, a vítima faz o pagamento e não recebe o produto.

Negociação direta : Prefira negociar diretamente pelas plataformas, que têm a opção de pagar/receber o valor e o delivery do produto. Ao optar por negociar diretamente, só realize o pagamento após receber o produto. Desconfie de preços muito abaixo dos valores de mercado e, ao desconfiar de atitudes suspeitas, denuncie o anúncio, que será verificado pelas plataformas.

Sites falsos : Falsas páginas na internet e em redes sociais fazem anúncios iscas para atrair compradores com a oferta de celulares novos e outros produtos, mas muito abaixo do preço de mercado. Também costumam destacar que há poucas unidades dos produtos e que a oferta dura apenas poucas horas, estimulando que as pessoas façam o pagamento rapidamente, e o produto não é enviado.

Como se prevenir : Pesquise sobre a loja virtual antes e verifique se há reclamação de outros usuários.

Outros cuidados

– Verifique a reputação do site no Consumidor.gov ou no Reclame Aqui.

– Sites falsos que imitam outras lojas possuem um endereço web diferente. Confira se está na página certa. As mudanças, algumas vezes, são sutis colocam um 0 em vez do O. Outras vezes mudam o domínio, em vez de “.com” está “.org.br”. É o chamado golpe homográfico, o uso de um endereço similar ao oficial para enganar o público.

– Em caso de dúvida, o Google tem uma ferramenta chamada Navegação Segura (https://transparencyreport.google.com/safe-browsing/search) . Nela, você pode inserir o endereço e verificar o grau de confiança e segurança da página.

– Desconfie de ofertas e promoções com preços fora do padrão do mercado.

– Busque selos de segurança. Eles devem ser clicáveis. Alguns são da McAfee, Google Trusted Store, PayPal, GeoTrust e Norton.

– Veja se na página tem o CNPJ, o endereço da sede e o telefone de contato da empresa.

– Procure as políticas de privacidade.

Fonte: OLX e Daniel Marques, presidente Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs

Fonte: IG TECNOLOGIA

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana