Renovação da concessão da ferrovia Malha Paulista beneficiará Mato Grosso

O contrato com a Rumo, que venceria em 2028, ganhou mais 30 anos e se estenderá até 2058, com antecipação de investimentos da ordem de R$ 5,8 bilhões.

Alanna Jessika

Divulagação

trilho ferrovia trilhos

Renovação da concessão da ferrovia Malha Paulista beneficiará Mato Grosso

O deputado federal Emanuel Pinheiro Neto (PTB-MT), o Emanuelzinho, comemorou a renovação antecipada da concessão ferroviária da Malha Paulista, de propriedade da empresa Rumo. De acordo com o deputado, a renovação trará benefícios Mato Grosso, principalmente para a baixada cuiabana. A decisão foi do Tribunal de Contas da União (TCU).

 

A ferrovia, conhecida como Malha Paulista, é uma das mais importantes do país, com acesso direto ao Porto de Santos, maior terminal portuário da América Latina. O contrato com a Rumo, que venceria em 2028, ganhou mais 30 anos e se estenderá até 2058, com antecipação de investimentos da ordem de R$ 5,8 bilhões.

Câmara Federal

Emanuel Pinheiro Neto

Deputado Federal, Emanuel Pinheiro Neto

Em pronunciamento na tribuna do plenário Ulysses Guimarães, o deputado revelou que a renovação da concessão já era um desejo de toda a bancada mato-grossense, porque contribuirá com o desenvolvimento do estado.

“A renovação da concessão permitirá a integração da ferrovia com traçado que passará por Mato Grosso, com terminal em Cuiabá, o que contribuirá para o desenvolvimento da baixada cuiabana. Essa é uma luta antiga da bancada de Mato Grosso, que iniciou lá atrás, com o então senador Vicente Vuolo, e hoje perpassa pelo sentimento de todos os deputados e senadores do estado”, explicou.

De acordo com especialistas e estudos mencionados pelo parlamentar durante o pronunciamento, um trem pode carregar e transportar de carga o equivalente a 300 caminhões. “Isso significa manutenção das qualidades das estradas, das rodovias brasileiras e mato-grossenses, além de melhorar a qualidade de vida dos caminhoneiros que trabalham sobrecarregados e sob forte risco”, completou o Emanuelzinho.

 

Em um prazo de 5 a 10 anos, caso o planejamento da empresa Rumo for cumprido, é possível que a baixada cuiabana já possa começar a colher os benefícios de ter uma ferrovia passando próxima à região.

 

“Isso vai trazer desenvolvimento, qualidade de vida e riqueza para área, tendo em vista que a baixada cuiabana é uma das regiões que tem os piores Índice de Desenvolvimento Humano (Idh) do estado”, concluiu.


Fonte: Portal Mato Grosso

Visite o website: wwww.portalmatogrosso.com.br