Prefeitura faz parceria com Banco do Brasil e prevê arrecadar mais de 70 milhões por ano

O termo abrange contribuintes com débitos de até 15 UPF’s com o fisco municipal, em torno de R$ 2.500,00, que somados chegam a um montante equivalente a R$ 200 milhões de reais de dívida. A expectativa é que os valores sejam arrecadados em até três anos.

Carolina Miranda

Davi Valle

emanuel pinheiro reuniao banco do brasil

Prefeito, Emanuel Pinheiro, assina termo de parceria com Banco do Brasil

Foi assinado nesta semana, o segundo termo aditivo referente ao contrato de prestação de serviços financeiros entre a Prefeitura de Cuiabá e o Banco do Brasil. Esse é mais um compromisso firmado e cumprido pelo prefeito Emanuel Pinheiro em benefício da população cuiabana.

 

O termo abrange contribuintes com débitos de até 15 UPF’s com o fisco municipal, em torno de R$ 2.500,00, que somados chegam a um montante equivalente a R$ 200 milhões de reais de dívida. A expectativa é que os valores sejam arrecadados em até três anos, cerca de R$ 70 milhões/ano.

 

 

“A formalização de mais esse instrumento facilitador visa atingir principalmente a inadimplência, que no início da nossa gestão estava em torno de 40%. Já avançamos muito, a exemplo dos mutirões fiscais que temos alcançado êxitos na arrecadação. A assinatura desse termo aditivo com a instituição financeira é a forma que a Prefeitura encontrou de receber esses valores que o poder judiciário não admite execução fiscal, e nem é intenção do munícipio executar o contribuinte, o que só acarreta em prejuízos, com a negativação do nome”, declarou o prefeito Emanuel Pinheiro.

 

O secretário municipal de Fazenda, Antônio Roberto Possas de Carvalho informou que o montante acumulado é desde o ano de 2013. “A Prefeitura vai ganhar além do aumento da arrecadação, a atualização da base cadastral, muito válida para nós, pois todos os imóveis da Capital possui deficiência cadastral. Por meio desse trabalho em conjunto com o Banco do Brasil, teremos uma noção real do município. Acaba que a Prefeitura não tem a informação de quem é o contribuinte e com essa limpeza da base de dados que o sistema do banco propõe, será feita uma atualização das informações, como nome, cpf, e endereço”, explicou Possas.

 

O superintendente regional do Banco do Brasil, José Aparecido de Oliveira disse que a instituição está disposta a contribuir com a Prefeitura a fim de melhorar a arrecadação dos tributos. Segundo ele, o trabalho terá início já na próxima semana. “Iremos trabalhar para que o mais breve possível já sejam alcançados resultados satisfatórios com maior número de contatos. Estamos muito satisfeitos em fazer parte desse instrumento de facilitação com os contribuintes”, ressaltou.

 

Na oportunidade, o prefeito informou que será publicado um decreto com todas as informações e procedimentos sobre o contrato e as formas de financiamento. “Essa é uma luta incessante para que o Executivo municipal consiga aumentar a receita própria do município, sem dificultar a vida do cidadão. Já avançamos muito, a inadimplência era em torno de 40%. Os mutirões de conciliação são exemplos de sucesso. Podemos dizer que nesse caso ganha os dois lados, o contribuinte que consegue regularizar a situação financeira e a Prefeitura que recebe valores considerados perdidos. Não queremos prejudicar e nem negativar o nome do contribuinte. Pela humanização da gestão, buscamos essa forma que respeita o contribuinte, que o trata como parceiro, oferecendo as condições sem prejuízo no seu crédito. Vamos tentar com essa parceria facilitar sem judicialização, amigavelmente, como forma de melhorar a arrecadação”. 

 


Fonte: Portal Mato Grosso

Visite o website: wwww.portalmatogrosso.com.br