Professores da rede estadual paralisam atividades na quarta-feira

A medida integra ato nacional contrário à Reforma da Previdência e também cobra valorização profissional

Julia Oviedo | O Livre

Da Assessoria

o-que-esperar-da-reforma-da-previdencia-em-2019.jpg

O que esperar da reforma da previdência?

Os professores e trabalhadores da rede pública de Mato Grosso vão paralisar as atividades durante toda a próxima quarta-feira (24). A medida integra um ato nacional contrário à Reforma da Previdência proposta pelo governo federal, e também cobra “valorização profissional” por parte do Governo do Estado.

 

O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público e Mato Grosso (Sintep-MT) acusa o governador Mauro Mendes e a secretária de Educação, Marioneide Kliemaschewsk, de não cumprirem as políticas que asseguram o direito à educação com qualidade e valorização profissional. Uma das reivindicações é a melhoria das estruturas físicas das unidades escolares.

 

Outra exigência é o retroativo da Revisão Geral Anual (RGA) e o pagamento dos restos a pagar da RGA de 2018, além do fim do parcelamento do salário dos servidores públicos. Além disso, o Sintep cobra que o Governo volte a pagar os salários até o dia 10 de cada mês e corrija os valores que foram pagos após esta data.

 

Os profissionais também pedem que o Executivo dê posse aos aprovados no último concurso e realize um novo certame para o preenchimento de todas as vagas existentes.

 

“A mobilização será o alerta ao governo e, em especial, à população, para os prejuízos apresentados com o descompromisso do governo com as reivindicações”, disse o presidente do sindicato, Valdeir Pereira.

 

Segundo ele, os trabalhadores exigem o cumprimento de direitos profissionais, entre eles a Lei nº 510/2013 (Dobra do Poder de Compras dos salários), ameaçada com medidas que cortam investimentos. Ação contraditória, acreditam, para um dos estados que está entre os que mais arrecadam no país.

 


Fonte: Portal Mato Grosso

Visite o website: wwww.portalmatogrosso.com.br